sexta-feira, 13 de março de 2015

A estranha e anticristã doutrina da Ressurreição das Testemunhas de Jeová

Creio [...] na ressurreição da carne”, ecoa o Credo Apostólico há séculos e séculos. Desde o início da fé cristã, após o período do NT, a fé na ressurreição é uma parte integrante do conjunto de crenças cristãs. Não é para menos, a esperança da ressurreição está ancorada na Escritura (Jo 5.28,29; Ap 20.12) além da ressurreição do próprio Cristo, que é a base de nossa fé ( I Co 15.17). Não é sem razão que o primeiro dia da semana substituiu o sábado judaico, pois nesse dia, o Senhor matou a sua morte e nos garantiu o mesmo destino se crermos nessa verdade (Rm 10.9,10). A Reforma Protestante em seu postulado de examinar tudo à luz das Escrituras manteve fielmente essa doutrina.

No entanto, a conhecida seita Testemunhas de Jeová, sob o comando absoluto do Corpo Governante, nega a doutrina da ressurreição conforme delineada pela fé cristã ortodoxa e atestada plenamente pela Escritura. Essa postagem mostrará pontos nessa doutrina da Torre de Vigia, que estão em confronto com a Bíblia.

1. A natureza da Ressurreição: a liderança TJ não ensina uma ressurreição propriamente dita. Nada que estava morto voltará a viver. Segundo a liderança TJ, ressurreição será um ato em que Jeová Deus fará um novo corpo, e reproduzirá a memória de cada individuo que ele ressuscitar – essa é a ressurreição dos mortos segundo a liderança. Ou seja, é:

a reativação do padrão de vida da pessoa, padrão esse que Deus guarda em sua memória. Segundo a vontade de Deus para o indivíduo, a pessoa será restaurada, quer num corpo humano, quer num corpo espiritual, e conservará a sua identidade pessoal tendo a mesma personalidade e memórias que tinha quando morreu.” (Raciocínios, p. 324).

2. Ressurreição de Jesus Cristo: segundo a liderança TJ, Jesus não ressuscitou com o mesmo corpo que morreu, foi fabricado por Deus outro corpo espiritualizado para aquele que foi e é o Arcanjo Miguel, ou Jesus, segundo eles, e aquele corpo humilhado e surrado da “estaca” [cruz] foi removido por Deus, não sendo conhecido o seu destino. Já foi dito pela liderança TJ que o homem de Nazaré não existe mais.

“[Jesus] aparecendo-lhes repetidamente em corpos materializados e daí, dizendo e fazendo coisas que eles identificariam com o Jesus que eles conheciam, fortaleceu-lhes a fé no fato de que ele havia realmente ressuscitado dentre os mortos.” (Raciocínios, p. 326).

“[...] evidencia indica que o Filho de Deus, antes de vir à terra, era conhecido como Miguel, e também é conhecido por esse nome desde que retornou ao céu, onde reside como glorificado Filho espiritual de Deus.” (Raciocínios, p.219).

“O homem terrestre, Jesus de Nazaré, não existe mais. Foi morto em 33 EC.” (Despertai - 22/12/84, p. 20).

Isso, obviamente, contribuiu – ou foi resultado – da crença na presença invisível de Cristo desde 1914.

3. A ressurreição 'celestial e terrestre': segundo a liderança TJ existirá duas classes de salvos; os que viverão na terra e os que viverão no céu (os 144 mil). Para ambos, Deus fará na, segundo a liderança TJ, dois tipos de corpos. Corpos humanos e corpos espiritualizados, para viver na terra ou no céu. O processo já foi dito, haverá uma construção nova de um corpo, onde será colocada a memória antiga.

Um fato curioso, porém, é que os que viverão na terra, não receberão a imortalidade, mas apenas a vida eterna – eles fazem distinção disso. Os 144 mil sim receberão um corpo imortal. Outro fato ainda mais curioso, é que a Liderança TJ afirma que desde 1918 a ressurreição celestial já ocorre, isto é, os que são dos 144 mil ungidos para ir para o céu, em um piscar de olhos em seu falecimento, recebem o corpo espiritualizado:

 “[...] dos 144.000 que morrem em nossos dias são ressuscitados instantaneamente para a vida no céu.” (Bíblia Ensina, p.  74).

*****

Creio que qualquer cristão nota de longe os erros e impasses bíblicos de tais doutrinas. Passagens bíblicas como Dn 12.2; Mt 20.37; Jo 2.21,22; 5.28; 11.25; 20.25; etc. refutam sem esforço tais aberrações “Torreológicas”. Quando as Testemunhas, mais entendidas, questionam a ‘impossibilidade’ da ressurreição do corpo, estão com a síndrome dos saduceus que apresentaram problemas lógicos para a ressurreição. A resposta do Senhor foi: “Porventura não errais vós em razão de não saberdes as Escrituras nem o poder de Deus?” Marcos 12:24 (ACF). Esse é o problema atual do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová.



Fonte: MCA

0 comentários: