sábado, 14 de fevereiro de 2015

As TJs e a problemática sobre o nome de Deus

        A Sociedade Torre de Vigia ensina que aqueles que não usam o nome de Deus, o qual entendem ser Jeová, não podem ser identificados como seu povo (At. 15.14). O uso de uma palavra especial, como meio de identificar um Deus particular ou uma religião, é uma antiga prática pagã, datando de séculos passados. Uma palavra em si mesma não tem mais poder do que qualquer ‘mantra’ ou palavras místicas usadas pelas religiões orientais. A palavra Jeová leva com ela uma não conhecida significância mística. Confirmação disto está que o uso de Jeová, como uma designação do nome de Deus, o Pai, não apresenta evidência uma única vez no Novo Testamento. Nas 237 vezes que aparece no Novo Testamento, na Tradução do Novo Mundo de propriedade da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, não tem base histórica nem nos manuscritos, é absolutamente e completamente uma invenção da Sociedade Torre de Vigia.

Ademais, o uso da palavra Jeová é um genuíno embaraço para a Sociedade Torre de Vigia, e representa um erro linguístico: a palavra é o resultado de uma falsa transliteração da palavra Iavé (que significa ‘o eternamente existente’) acrescida da palavra hebraica usada em seu lugar Adonai (ou Senhor). Os antigos hebreus usavam Adonai, a fim de não profanarem o nome de Deus, e inadvertidamente invalidarem o 3º mandamento. Como precaução, eles colocavam no lugar do tetragrama IHVH, encontrado no texto copiado das Escrituras, as vogais do nome do Senhor, que pronunciavam em seu lugar. Essa junção de consoantes de uma palavra com as vogais de outra, fizeram surgir a palavra Jeová.

Consideremos também os muitos nomes e títulos de Deus encontrados nas Escrituras. A Bíblia não afirma que podemos ser identificados como povo de Deus, por causa do uso de alguma palavra ou nome. Somos identificados com Deus quando somos reconciliados com Ele através da morte do Seu Filho (Jo. 1.12; Ap. 3.20).

1) Os nomes primários de Deus são:

Em português                          Equivalente hebraico

Deus                                         El – Elah – Elohim
Senhor                                      IHVH – Iavé
Senhor                                      Adon – Adonai

2) Nomes compostos usados com El (Deus) incluem:

Deus Todo-poderoso                El Shaddai
Altíssimo – Deus Altíssimo      El Elyon
Deus Eterno                             El Olam
Deus Poderoso                         El Gibbor

3) Nomes compostos formados com IHVH (Senhor) incluem:

Senhor Deus                             IHVH (Jeová) Elohim
Senhor Deus                             Adonay Jeová
Senhor dos Exércitos               Jeová Sabaoth

Deus poderia dar a si mesmo um nome pessoal, mas assim não o fez. Em Ex. 34.14 ele declara que ele é um Deus Zeloso e seu nome é Zeloso: “Porque não adorarás outro deus; pois o nome do Senhor é Zeloso; sim, Deus zeloso é ele”.

4) Alguns dos muitos nomes de Deus:

Deus (Gn. 1.1)                                                 Zeloso (Ex. 34.14)
Deus Altíssimo (Gn. 14.18-22)                        Deus Vivo (Js. 3.10)
Senhor Deus (Gn. 15.2,8)                         Poderoso Deus (Jr. 32.18)
Deus Todo-poderoso (Gn. 17.1)                      Pai Celestial (Mt. 6.26)
Deus Eterno (Gn. 21.33; Dt. 33.27)          Rei Eterno (1Tm. 11.17)
Eu Sou (Ex. 3.14)                                     Pai das Luzes (Tg. 1.17)
Jeová (Ex. 6.3)

Apontamos uma considerável inconsistência. No Velho Testamento, a Sociedade Torre de Vigia resolveu traduzir a palavra Adonai (Senhor) como Jeová em cada referência que se aplica a Deus (veja, por exemplo, Is. 9.8). A Tradução do Novo Mundo aparentemente não admitiu traduzir isso no Novo Testamento para a palavra Kurios (Senhor), porque isso provaria que Jesus é Jeová:

1.  a) O nome de Jesus está acima de todo nome (Fp. 2.9);


2. b) Paulo escolheu dar testemunho do nome de Jesus (At. 9.15);


3.  c) Recebemos graça e apostolado por amor do seu nome (Rm. 1.5).

0 comentários: