quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Deus está irado e com toda razão

Eu tenho afirmado que Deus está irado com a humanidade. Mas, por que Deus está irado? Paulo diz que uma das razões pelas quais Deus está irado com a humanidade é porque os homens “detêm a verdade pela injustiça” (Romanos 1.18). O verbo “deter” deve ser entendido nesta passagem com o sentido de sufocar, reprimir, suprimir. Então, Paulo está dizendo que Deus está irado porque os homens, deliberadamente tentam sufocar e suprimir a verdade que Deus lhes transmitiu na criação, a respeito de si mesmo. Quando Deus criou todas as coisas Ele o fez de tal modo que a criação foi também revelação.
Ao criar o homem à sua imagem e semelhança, Deus imprimiu revelação de si mesmo no ser humano. Calvino chamou isto de “senso da divindade”. Deste modo o homem já nasce com o conhecimento daquele que o fez. Trata-se de um conhecimento de Deus que é inato e inerente à constituição da alma humana. Isto significa que todas as pessoas, de todas as épocas e lugares têm uma intuição íntima de que Deus existe, e de que Ele é o seu Criador. 
Uma das evidências deste senso da divindade que Deus imprimiu no ser humano é o que Calvino chamou de “semente da religião”. Calvino ensinou que o homem é por natureza um ser religioso porque Deus plantou em seu coração a semente da religião. Em qualquer sociedade humana, de qualquer lugar, época ou cultura, haverá sempre um elemento religioso. E é exatamente esta a consciência inata da existência de Deus que tem levado todas as culturas em todas as épocas, a desenvolverem suas religiões.
Mas Paulo ensina que além desta consciência íntima de que Deus existe, a humanidade encontrará também, no restante da criação, evidências claras de que Deus existe, e de que Ele é sábio, poderoso, rico, generoso, bondoso e amoroso. Paulo diz que “os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas” (Romanos 1.20).

É disto que o salmista está falando quando diz que “os céus proclamam a glória de Deus” (Salmo 19.1) ou “A terra, SENHOR, está cheia da tua bondade” (Salmo 119.64). Ou ainda “toda a terra está cheia da sua glória” (Isaias 6.3) Cada folha de árvore, cada inseto, cada pássaro, cada estrela do céu, ou qualquer outro elemento da criação está dizendo: “Deus existe e me criou”. A beleza de um floco de neve, o majestoso poder de uma tempestade, a habilidade de uma abelha, o paladar prazeroso de uma fruta, enfim, a diversidade, a beleza e a riqueza que contemplamos e das quais desfrutamos neste universo criado por Deus são proclamações a respeito da sabedoria, da riqueza, da bondade e da generosidade do Criador.
Deste modo o homem já nasce com o conhecimento daquele que o criou. Todas as pessoas, de todas as épocas e lugares têm uma intuição íntima de que Deus existe, e de que Ele é o seu Criador. Além disso, fomos colocados num mundo no qual é impossível ignorar a Deus. Esbarramos Nele o tempo todo. O problema da humanidade não é não saber que Deus existe. O problema é que os homens desprezam o Deus que sabem que existe. O problema não é intelectual. O problema é moral. A humanidade odeia Deus e faz de tudo para banir Deus de sua vida. Deus está irado e com toda razão.

0 comentários: