terça-feira, 30 de setembro de 2014

Qual o sentido de Daniel 8.14? Ao apresentador do Bíblia Fácil/TV Novo Tempo

                        INTRODUÇÃO
O programa Bíblia Fácil da TV Novo Tempo, vez por outra volta com seus assuntos “proféticos” *AQUI*. O apresentador disse em um programa, que Daniel 8.14 é a maior profecia da Bíblia[!!!]. E obviamente, seu esforço é, e sempre será mostrar que Daniel 8.14 é um texto que confirma a doutrina do Santuário de 1844 (Crença Fundamental 24), uma doutrina exclusivamente Adventista. Mais especificamente das visões de H. Edson e de Ellen White, sendo esta última, segundo o apresentador do Bíblia Fácil “a única chamada por Deus” para ser profetisa na IASD. Apesar de ser uma fraude doutrinária e profética, a explicação do apresentador é bem didática e eficaz, para seus interesses.

UM BREVE PANO DE FUNDO HISTÓRICO

Segundo relata a história, um fazendeiro americano de nome Guilherme Miller, pegou a Bíblia, leu Daniel 8.14, fez suas ponderações e chegou à conclusão que Jesus voltaria em março de 1843. Depois mudou para março de 1844, e por fim, com a influência de um amigo, Samuel Snow, obteve certeza que seus cálculos estavam errados em poucos meses, a data do retorno de Cristo seria em 22 de outubro de 1844.

O diabo cegou Miller, a ponto de ele nem mesmo se dar conta de textos como Mateus 24.36 e Atos 1.7, uma mulher que é aclamada como uma constante ‘fonte de verdade’ da igreja verdadeira no tempo do fim, a senhora Ellen White, chegou a dizer a respeito de Miller “Anjos celestiais estavam a guiar-lhe o espírito e a abrir as Escrituras à sua compreensão.” (O Grande Conflito, p. 321).

O dia 22 de outubro de 1844 passou, causando uma das maiores vergonhas proféticas que o mundo já conheceu. Sim, a pobre jovenzinha Ellen White também falhou e foi enganada em esperar isso, tinha apenas 17 anos na época. Mas disse também posteriormente que Miller era orientado por anjos. Naquela época ela já sofria convulsões visionárias – bem típico do que ocorre hoje nos meios pentecostais (não todos), com seus possíveis distúrbios mentais. Caia ao chão, ficava falando glórias sem parar, com olhar fixo no ar, andando de forma profética... enfim, toda a histeria que conhecemos hoje.

Como o orgulho é uma arma diabólica para nos manter em erros, ela não seguiu Miller com suas conclusões posteriores. Visto que o mesmo chegou a dizer que foi um erro e qualquer tentativa de reinterpretar o fato seria mais um erro. Ellen White, a papisa, disse que algo desvendou qual foi o único detalhe que Miller errou. Ele esperava que Jesus voltasse para a terra, mas na verdade Jesus entraria não no mundo, mas no santíssimo celestial. Daí ela afirma:

“O assunto do santuário foi a chave que desvendou o mistério do desapontamento de 1844. Revelou um conjunto completo de verdades, ligadas harmoniosamente entre si e mostrando como a mão de Deus dirigia o grande movimento do advento [...]” (Ellen White. O Grande Conflito, p. 422).

Pois é isso mesmo. Os teólogos adventistas também dizem que foi ocorreu algo inverso, de ‘uma grande decepção para uma poderosa mensagem’, dizem eles fazendo eco ao que Ellen White escreveu.

A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA

 A doutrina diz em parte que: "Ele [Jesus Cristo] foi empossado como nosso grande Sumo Sacerdote e começou Seu ministério intercessor por ocasião de Sua ascensão. Em 1844, no fim do período profético dos 2.300 dias, Ele iniciou a segunda e última etapa de Seu ministério expiatório." Essa doutrina, por sua vez, é a principal doutrina adventista. Segundo um autor adventista, essa doutrina leva consigo o sustentáculo adventista: “A lógica me dizia que se a data de 1844 não fosse bíblica, o adventismo não seria nada mais do que uma seita.(1844 – uma explicação simples das profecias de Daniel).

Veja que interessante. Para os que têm conhecimento da fé ortodoxa, esse ensino é uma das provas que a IASD é uma seita, para um teólogo adventista não; para ele essa é a prova que a IASD é uma igreja e não uma seita!!!

E qual é o texto chave para essa doutrina, segundo os adventistas? Qual é a principal base bíblica apresentada pelos seguidores da seita? Ellen White responde:

“A passagem que, mais que todas as outras, havia sido tanto a base como a coluna central da fé do advento, foi: ‘Até duas mil e trezentas tardes e manhãs, e o santuário será purificado’. Daniel 8:14” (O Grande Conflito, p. 408).

Portanto, diante das citações, podemos dizer que o Adventismo é 1844 por que Ellen White assim determinou, e 1844, segundo ela, está baseado em Daniel 8.14. As perguntas simples que podem causar um grande embaraço ao sistema adventista são: o que indica o contexto de Daniel 8.14? Será que temos indicações no contexto de que esse versículo dê alguma base para a doutrina de que apenas a partir de 22 de outubro Jesus tenha entrado no santíssimo celestial, para iniciar a segunda etapa de seu ministério celestial, com objetivo de investigar a vida dos que serão salvos?

Vamos ao texto, e extrair dele nossas conclusões.

DANIEL 8.8-14 segundo a Nova Versão Internacional:

“O bode tornou-se muito grande, mas no auge da sua força o seu grande chifre foi quebrado, e em seu lugar cresceram quatro chifres enormes, na direção dos quatro ventos da terra. De um deles saiu um outro chifre, que começou pequeno, mas cresceu em poder na direção do sul, do leste e da Terra Magnífica. Cresceu até alcançar o exército dos céus, e atirou na terra alguns componentes do exército das estrelas e os pisoteou. Tanto cresceu que chegou a desafiar o príncipe do exército; suprimiu o sacrifício diário oferecido ao príncipe, e o local do santuário foi destruído. Por causa da rebelião, o exército dos santos e o sacrifício diário foram dados ao chifre. Ele tinha êxito em tudo o que fazia, e a verdade foi lançada por terra. Então ouvi dois anjos conversando, e um deles perguntou ao outro: "Quanto tempo durarão os acontecimentos anunciados por essa visão? Até quando será suprimido o sacrifício diário e a rebelião devastadora prevalecerá? Até quando o santuário e o exército ficarão entregues ao poder do chifre e serão pisoteados? "Ele me disse: "Isso tudo levará duas mil e trezentas tardes e manhãs; então o santuário será reconsagrado".

O que aprendemos com a profecia?

A)Dentre de um dos chifres*, que saíram do chifre quebrado, surgiu um “pequeno chifre”. Esse se tornou grande a ponto de causar perseguição ao povo de Deus.
B) Na perseguição ao povo de Deus, esse chifre interrompeu a adoração a Deus que era dada por meio de sacrifícios.
C)Um anjo pergunta a outro anjo, quanto tempo duraria essa perseguição, essa opressão e esse impedimento da adoração.
D)O anjo responde que durariam 2.300 dias (um pouco mais de 6 anos), e tudo voltaria ao normal, ao seu estado original.

*Os teólogos adventistas observam que no texto original, não é dito que esse chifre menor sai de um dos chifres, mas de um dos quatro ventos. As versões tradicionais dizem apenas “de um deles” – isso pode ser dos ventos e/ou dos chifres. No entanto, um dos mais importantes pioneiros Adventistas, U. Smith, Roma já havia dominado a Macedônia em 168 a.C, “Portanto ao profeta parecia sair de um dos chifres do Bode”(Série Eco dos Pioneiros: Daniel e Apocalipse, p.104,105). Ellen White provavelmente pensava assim, já que estudar o contexto do capítulo foi algo que menos ela  se empenhou em seus escritos. Mas ela sabendo ou não disso, o fato é - o que estava dentro daquela massa de ventos na visão de Daniel? O versículo 8 antecipou dizendo que eram os chifres que estavam lá, portanto, o texto apenas relata a forma da visão. O chifre saiu de um desses chifres pois eles estavam envoltos pelos “quatro ventos do céu”.

Daniel não podia entender, mas um anjo o assistiu novamente e explicou. O carneiro de dois chifres era o império da Média e da Pérsia. Que foi destruído pelo Bode, que veio ‘voando’, com uma velocidade extrema e derrotou o carneiro. Esse Bode era o império Grego. No auge de sua força, o chifre do Bode foi quebrado e partido em quatro – que seriam 4 reinos (v.22).

Sem recorrer à história
, por enquanto, já podemos perceber apenas com a leitura do texto que o reino da Grécia com essa profecia seria fragmentado em quatro reinos menores. E que no fim dos vestígios da dinastia Grega, vista nesses quatro reinos, surge um reino feroz que persegue o povo de Deus e impede a adoração que esses devem prestar. Porém, não mais que 2.300 dias, isso terminaria! E o verdadeiro Deus seria adorado novamente entre o povo da Aliança, segundo Seus termos.

No momento, não irei explorar nada a respeito de Antíoco Epifânio. Basta olharmos para o texto e seu contexto, e podemos extrair dele uma interpretação correta. Nenhum malabarismo, nem violência do contexto, como faz recorrentemente o Adventismo. Trato das objeções de C. Meryn Maxwell (Uma Nova Era Segundo as Profecias de Daniel) contra a interpretação tradicional de Daniel 8.14, no capítulo 5 do meu livro A Conspiração Adventista.

Uma das tentativas enganosas, por parte dos intérpretes adventistas, (proposital ou não, Deus o sabe) é de confundir o chifre pequeno do capitulo 7º de Daniel com o do capítulo 8º. Embora haja semelhança, ela é só isso - semelhança. No capítulo 7º as figuras são outras, são representados reinos diferentemente. No quadro abaixo mostro isso:

Os símbolos de Daniel cap. 7
Os símbolos de Daniel cap. 8
O império Medo Pérsia – um Urso comendo tudo pela frente
O império Medo Pérsia – um Carneiro que dava ‘marradas’ para todos os lados
O império Grego – um Leopardo com Quatro asas, muito veloz.
O império Grego – um Bode muito violento e feroz.
O Chifre pequeno sai de um dos dez chifres de um animal grande e temível, que não existe na visão de Daniel 8.
O Chifre pequeno sai de um dos quatro chifres do Bode, que na visão de Daniel 7 é o Leopardo.

Quanto a falta de nexo entre os serviços sacerdotais da doutrina adventista a respeito do que Jesus fazia antes de 1844 e após, com a profecia e contexto de Daniel 8.14, é um detalhe desesperador. Não dá para acreditar como pessoas tão inteligentes, como são os apresentadores da TV Novo Tempo, acabam acreditando em uma doutrina sem coerência mesmo com o texto que segundo eles, é a base dessa doutrina.

O estado que o santuário se encontra no relato de Daniel 8.14 é em decorrência das atividades do chifre pequeno e não de pecados ali lançados. Por isso, é que o texto original não diz “purificado”, mas sim “restaurado/reestabelecido”. A Bíblia Judaica Completa traduz assim, a NVI como notamos na citação acima traz “reconsagrado”, também o erudito Reformado Dr. Antony Hoekema, e vários outros.

Que Deus livre as pessoas do engano do espírito por detrás da TV Novo Tempo, que está, seguindo a cartilha de Ellen, oferecendo outro sacerdote aos pecadores, que nada se assemelha com o que a Bíblia ensina em Hebreus - que no dia da sua ascensão entrou na presença de Deus, para interceder por nós, e deste mesmo modo permanecer, até o seu retorno, quando eliminará os que rejeitaram o Seu sangue justificador, por confiaram nas religiões mentirosas, que lhe oferecia uma exclusividade profética “distintiva”.


NENHUM CRISTÃO NO MUNDO DEFENDE ESSA INTERPRETAÇÃO ADVENTISTA A RESPEITO DE DANIEL 8.14 COMO SENDO UM SERVIÇO NO SANTUÁRIO CELESTIAL INAUGURADO EM 22 DE OUTUBRO DE 1844.

0 comentários: