quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

“O ‘Jesus’ que o mundo ama”.

Comecemos sobre como alguém chega ao pleno conhecimento e a um relacionamento com Jesus Cristo. Isto começa com uma simples compreensão do Evangelho:
“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego”. (Romanos 1:16);
Que Jesus é Deus: “Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar. Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais? Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo”. (João 10:30-33);
Que Ele se fez Homem (1 Timóteo 2:5) - “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”, para salvar a humanidade da eterna separação de Deus, a qual resultou do pecado do homem: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (João 14:6); “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça”. (Isaías 59:2).

Que Jesus satisfez a perfeita justiça de Deus: “E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo”. (1 João 2:2), através de Sua morte na cruz: “Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus”. (Hebreus 10:10-12). “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus”. (Hebreus 12:2).
“Acerca de seu Filho, que nasceu da descendência de Davi segundo a carne, declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor”. (Romanos 1:3-4).
“Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte”. (2 Coríntios 7:10).
“Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios”. (Romanos 5:6).
“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus”. (Efésios 2:8).
“Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3:15).
“Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida”. (Romanos 5:18).
“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”. (João 3:3).
“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim”. (Gálatas 2:20).
“Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre”. (1 Pedro 1:23).
“Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória; (Colossenses 1:27).
“Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? (1 Coríntios 6:19).
“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra” (2 Timóteo 3:16-17).

Embora este seja um relacionamento sobrenatural, no qual todo crente verdadeiro é habitado por Deus [o Espírito Santo], mesmo assim ele progride, como acontece com todo relacionamento, quando melhor se conhece a pessoa com quem nos relacionamos.
A maneira principal para se desenvolver um relacionamento com Jesus é lendo a própria revelação que Ele nos dá, através de Sua Palavra. Esta é a única maneira de se obter uma informação específica sobre Ele, a qual é objetiva e absolutamente verdadeira. Além disso, não apenas o conteúdo da Escritura é inspirado pelo Espírito Santo, como o mesmo Espírito de Verdade é dado aos crentes para que entendam o seu conteúdo. Como, então, os que professam seguir a Palavra de Deus chegam a ter errôneas ideias sobre Jesus? Lamentavelmente, muitos estão obtendo suas informações sobre Jesus de fontes extra-bíblicas, ou de segunda mão, daqueles que pretendem estar ensinando o que a Bíblia diz sobre o Senhor.
Para demonstrar quão falsa é a relação dependente apenas de tais fontes de conhecimento, considerem o que pode acontecer a um marido e mulher, que tentam construir uma relação íntima, revelando os insights de outras pessoas, que afirmam conhecê-los. Esta é uma provável receita de fracasso, embora os cristãos estejam recorrendo a fontes extra-bíblicas a fim de conseguir o seu conhecimento sobre Jesus.

A admirável popularidade do livro “A Cabana” (TBC Q&A 08/08) entre os evangélicos é apenas um exemplo de alguém pintando um Jesus diferente e pior do que o Jesus da Bíblia. Ele é um “garoto boa vida”, o qual gosta de fixar coisas e tem prazer em cozinhar e fazer jardinagem. Ele ri das piadas impróprias, é um tanto avoado, deleita-se em pescar peixes, enquanto estes nadam sobre a água, fabrica um esquife para uma garotinha, e gosta de beijar, de abraçar e rir com os dois membros da “Trindade”. O livro está repleto de diálogos dos personagens representando Deus Pai (retratado com uma mulher afro-ameriana), o Espírito Santo (uma mulherzinha asiática) e Jesus. Todos três falam como “oráculos de Deus”, dando insights e explicações, que não se encontram, nem são consistentes com a Escritura.

Alguns leitores entusiastas dizem que as palavra e interações com a Divindade os confortaram, responderam perguntas difíceis sobre a sua fé e tornaram a pessoa do Senhor mais real para eles.
A realidade é que, além da própria imaginação, o autor colocou suas próprias palavras na boca do Pai, do Filho e do Espírito Santo, as quais foram, então, aceitas pelas multidões, como “assim diz o Senhor”. Esta não é apenas uma fonte espúria de segunda mão, mas a arrogância da falsa profecia, na melhor; e blasfêmia e idolatria, na pior das hipóteses. É o homem fazendo Deus à sua própria imagem decaída.

Mais influente entre os evangélicos do que “A Cabana” é o filme de Mel Gibson, “A Paixão de Cristo”, o qual se tornou um sucesso de bilheteria, graças, principalmente, ao apoio dos evangélicos. Disponível agora como uma “edição definitiva em DVD”, ele mostra, aos que desejam a teologia católica oficial do filme explicada, uma discussão com o autor Mel Gibson, junto com um apologista e os padres católicos, que foram os consultores do filme. O filme apresenta um falso evangelho, um falso Cristo e está repleto de cenas supostamente bíblicas, oriundas das mentes de Gibson e de uma freira católica dada a alucinações místicas (Ver Showtime for The Sheep). Mesmo assim, ele continua sendo usado com exclusividade pelas igrejas evangélicas, especialmente durante a Quaresma e a semana da Páscoa.

T. A. McMahon - The Jesus The World Loves

Traduzido por Mary Schultze, em 31/12/2011.

2 comentários:

LAURO RODRIGUES JUNIOR disse...

amigo e irmão: amo este site....Gostaria de saber se não vai mais dar para baixar os hinos que estão inseridos no site????

Abraços, a Paz do Senhor Jesus Cristo,

LAURO

Anônimo disse...

Graça e paz,

depois que fecharam o Megaupload a coisa ficou problemática, muitos provedores estão fechando, com isso não há uma definição ainda do que realmente irei fazer, estou pensando e que provedor estarei migrando o meu trabalho, estou trabalhando para poder continuar a postar tudo o que tenho, mas isso irá depender de como ficará a situação do SOPA.