sexta-feira, 13 de setembro de 2019

O VALOR DA GRAÇA

Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, aos santos que vivem em Éfeso e fiéis em Cristo Jesus, graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado, no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça, que Deus derramou abundantemente sobre nós em toda a sabedoria e prudência, desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu como as da terra; Ef 2:1-10

Quero trazer neste sermão o mais puro evangelho que um pastor pode ministrar. Não vou falar de prosperidade, de cura, de milagres ou coisas assim, mas vou destrinchar sobre o maior milagre que o homem recebeu, A SALVAÇÃO.

Uma das grandes falhas do cristão e não compreender a plenitude do que ele recebeu de Deus. A falta de entendimento sobre quem ele é, sobre quem Deus é e sobre o que foi realizado pelo Senhor, faz com que o evangelho seja tratado como algo sem importância e sem o mérito que ele deveria ter.

A palavra EVANGELHO significa BOAS NOTÍCIAS. E alguns ainda não entenderam QUÃO BOA NOTÍCIA ele é.

Imagine que você saiu do hospital, depois de passar por momentos difíceis, e você conta para um amigo o seu testemunho. Você diz para ele: - Eu estava doente, fiquei hospitalizado e graças a Deus estou aqui curado. Logo ele responde: - Que benção, glória a Deus!

Ele se alegra, mas diz apenas: “Que bom!”. Ele não entende tudo o que se passou, ele não sabe todos os momentos que você enfrentou, ele não viu quando você esteve à beira da morte, não sentiu a dor que você sentiu, não estava presente pra ver as aflições que você sofreu. Talvez você pense: Passei por tudo isso e ele diz apenas “que bom”. Ele não entendeu o tamanho do milagre.

Só entende qual o tamanho do livramento quem entende qual o tamanho da tragédia.

Só damos valor ao remédio quando entendemos o tamanho da enfermidade.

Só vamos dar valor ao evangelho quando entendermos o quanto estávamos enfermos. Quando entendemos qual era a tragédia que nos estava proposta.

Só daremos valor a GRAÇA quando entendermos o tamanho do perdão.

Para entender o tamanho do perdão precisamos saber qual era a nossa condição.

1.     Estávamos mortos (v.1)
O incrédulo não está enfermo, ele está morto! Não precisa ser reanimado, precisa ser ressuscitado!
Você não recebeu apenas um remédio, você recebeu vida!
Nós não éramos nada, nós não “existíamos”. Não tínhamos vida.

2.     Filhos da ira (v.3)
Éramos por natureza, filhos da ira.
Não há ninguém que seja criação de Deus, todos são descendentes de Adão e já nascem pecadores.
Nascemos pecadores e por isso já estávamos condenados ao inferno. (Rm 6.23)
Só quando eu entendo que o Senhor me livrou do inferno é que começo a perceber o tamanho do milagre de salvação e livramento que ele fez na minha vida.

3.     Não tínhamos o que fazer
Não havia nada que pudéssemos fazer para mudar este quadro.
Não foi porque nos tornamos bons que o Senhor olhou para nós com misericórdia, ele nos olhou mesmo sendo nós ainda pecadores. (v.4 – 5)

Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Rm 5:8

Quando uma pessoa pensa que é muito boa e por isso o Senhor a ama, ela não sabe qual é a sua real condição.

como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. 23 pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, Rm 3:10-12, 23

Paul Washer diz que a palavra mais aterrorizante que um homem pode receber é que DEUS É BOM.

Alguém pode estranhar esta fala, mas é uma verdade espiritual.
Quando um criminoso escuta que o juiz é corrupto ele se alegra. Talvez pensando que o juiz possa livrá-lo, ou possa ser subornado, ou alguma coisa assim. Mas quando um criminoso escuta que o juiz é bom, justo e fiel, então ele sabe que não escapará da sua sentença.
Porque o Senhor, sendo BOM E JUSTO, não pode sair perdoando as pessoas de qualquer maneira. Isso seria um julgamento injusto. Então, o Senhor, para mostrar sua justiça e o seu amor, derrama sua ira sobre seu filho em lugar do pecador. Nossa dívida não foi apenas perdoada, ela foi paga.

Alguns acham que foram os judeus que mataram Jesus, outros acham que foram os romanos. A verdade é que ao Senhor agradou moê-lo. Foi a ira do próprio Deus sobre seu Filho que fez com que fossemos justificados pela sua morte.

Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Rm 5.9

O Senhor nos deu uma nova posição espiritual (v.6), nos fez nos assentar nos lugares celestiais.

Será que dá pra enxergar o tamanho da GRAÇA?

Geralmente se diz que quando as coisas são de graça as pessoas não dão valor.

Saiba que foi de graça para você que recebeu, mas não foi de graça pra quem pagou. Jesus pagou um alto preço, preço do seu precioso sangue. Precisamos valorizar a GRAÇA recebida.

Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido. Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca. Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos. Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si. Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu. Is 53.3-12

Nossos pecados eram tão graves que não seríamos redimidos com a morte de ninguém menos que o Filho de Deus.

Recebemos:
1.    Um grande perdão
2.    De um grande Redentor
3.    Que nos deu grande salvação

Conclusão

Como estamos vivendo depois de tão grande amor recebido? Será que o Senhor está vendo em nós o fruto do seu penoso trabalho?
Algumas pessoas pensam que precisamos fazer boas obras para sermos salvos. Na verdade fazemos as boas obras porque somos salvos. (Ef 2.10)

A marca que recebemos com o devido valor a graça de Deus é o quanto que mostramos arrependimento.

O convite para você aceitar o evangelho não é: Você gostaria de deixar Jesus entrar na sua vida?

Mas: Deus ordena que todos os homens se arrependam e creiam no evangelho! (At 17.30)

Como saber que uma pessoa é salva? Será que é só porque ela fez uma oração de confissão num evangelismo?

Sabemos que uma pessoa é salva porque a vida desta pessoa muda completamente. Seus caminhos vão mudar. Suas ações vão mudar. Suas companhias vão mudar. Suas práticas vão mudar.

Jesus vai transformar a vida dela. As obras mostrarão a fé que ela professa.

A prova que estamos salvos é o arrependimento e a constante busca pela santificação.

Mostre o quanto você valoriza a Graça!


Bp. Tarles Elias

Fonte: www.teologaroficial.com.br

0 comentários: