sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Entenda a mente das Vítimas de Seitas Religiosas e Ajudem-nas!

Pais cristãos fiéis descobrem que seu filho ou filha, jovens antes alegres e cheios de vida, já não fazem muito caso deles, está envolvido com um grupo que os preocupa sobremaneira. Os filhos já não são os mesmos, e quando os pais mostram a teologia equivocada ou a baixa moral, os filhos os acusam de ser “agentes de Satanás”. Finalmente, o jovem deixa o lugar e se une ao grupo de maneira permanente. Os pais sentem que estão perdendo o filho talvez para sempre.


Este artigo procura considerar o que acontece às pessoas que se unem a seitas e porque o fazem. Também, tratará de ajudar o leitor a implementar estratégias úteis em tais situações.

O reverendo Jim Jones começou a Peoples Temple para ajudar os sem-teto, desempregados e doentes de todas as raças, mas ex-membros afirmaram que abusos eram comuns dentro do grupo. Para remover este grupo do olhar examinador da sociedade, Jim começou uma colônia nas selvas da Guyana, onde esperava construir uma utopia tropical. Quando um congressista visitou a comunidade juntamente com três jornalistas para investigar alegações de abuso eles foram mortos quando tentavam deixar o local. Depois deste tiroteio 913 membros da comunidade beberam cianureto com suco, em um suicídio em massa. Há registros de audio e vídeo do evento e muitas pessoas foram forçadas a beber o veneno, incluindo centenas de crianças.

Uma seita é uma armadilha que tem controle sobre a mente. A pessoa que se une à seita nunca reconhece ser vítima de um engano. São pessoas enganadas. Creem que estão se unindo a um movimento maravilhoso, quando na realidade se uniram a algo destrutivo.

As emoções, os pensamentos, o acesso à informação e a conduta, a miúdo se acham sumariamente controladas através do isolamento, um rígido e já preestabelecido estilo de vida, doutrinamento e manipulação emocional. Chega a ser sinistro.

Se você tem um familiar ou um amigo que é parte de uma igreja destrutiva, talvez se pergunte como é possível que haja mudado de maneira tão radical. Isso acontece porque o processo de doutrinamento que as seitas usam produzem uma segunda personalidade; a verdadeira personalidade continua existindo, porém está reprimida. A chave para ajudar o ser amado a deixar a seita é conseguir acessar a sua verdadeira personalidade.

Testemunha de Jeová engajada em uma nova modalidade de divulgação da doutrina da Torre de Vigia. A lavagem cerebral a que são submetidas essas pessoas, podem torná-las verdadeiros autômatos capazes de dar a própria vida em defesa de suas crenças, por mais absurdas que sejam.

Seguem aqui algumas informações úteis para ajudá-lo a entender a situação.
  • A pessoa que você conhece, continua existindo, porém sobreposta se acha uma segunda personalidade, a da seita. Esta outra personalidade sente grande necessidade de conformar-se aos desejos do grupo e a seu líder e de ser aceita por eles.
  • Estas personalidades adicionais são imitações baratas e parecem artificiais. Por exemplo, talvez todo o grupo use as mesmas frases repetitivas, se vistam de maneira similar, sorriam da mesma maneira, se comportem como se estivessem robotizadas ou programadas e sintam e vivam a vida com a mesma veemência. Nas igrejas normais, há uma mistura de gente triste e alegre, resmungona e afetuosa, extrovertida e introvertida. As seitas destroem esta diversidade tão natural e subsitituem as identidades pessoais por outras identidades artificiais manipuláveis.
  • A personalidade que tem sido agregada não conta com demasiada força fora do grupo, enquanto que a verdadeira personalidade tem uma imensa energia e quer reafirmar sua posição. É como manter apertado algo nas mãos: é preciso força. Por esta razão, as seitas manipulam as pessoas. Se a pessoa pode voltar a ver velhos amigos ou seres queridos, às vezes simplesmente por três dias, a verdadeira personalidade pode receber ar fresco e voltar à superfície. No entanto, isto nem sempre é fácil de controlar. Há também profundos temores que foram semeados para que a pessoa creia que fora do grupo, sua vida tem pouco ou nenhum valor.


    Charles Taze Russel era considerado por seus seguidores um mensageiro divino, e o representante de Deus na terra. Aplicaram-lhe o título de “O Escravo fiel e Discreto”. Hoje, a seita que ele fundou, governa a vida de mais de oito milhões de pessoas.

    • A personalidade sobreposta está cimentada em necessidades emocionais latentes e no seio da aprovação de muitos, e com frequência carece de suficiente capacidade de reflexão ou de crítica fora do dogma da seita. Provavelmente, então, as confrontações diretas baseadas em embasamentos não irão funcionar se você está diante de uma personalidade implantada por influência da seita.

    • A verdadeira personalidade é o melhor aliado, porém, tem sido gravemente danificada pelas manipulações coercitivas e escravizantes do grupo sectário; de modo que se tornou muito sensível à manipulação. Porém, é provável que se sinta profundamente grata pelo verdadeiro e genuíno amor.

    • Mesmo que esta outra personalidade se despedace após deixar o grupo, este ainda terá poder e controle sobre algumas áreas. A pessoa a miúdo se sente afastada de Deus, sente que não será salva ou que já não faz parte do plano de Deus para sua geração. Com frequência sente que transigiu e que fez concessões ao abandonar a seita e que de agora em diante a sua vida é virtualmente trivial e sem sentido. Isto acontece porque a seita tem plantado estas crenças como parte do processo de doutrinamento: O grupo é bom, o mundo é mal. Às vezes leva muito tempo para erradicar a lavagem cerebral que a pessoa sofreu.

    Ao explicar com cuidado as técnicas de controle mental e oferece bons conselhos, podemos considerar este pensamentos e sentimentos à luz da realidade. Isto os ajudará a resistir a voltar à seita como maneira de achar significado à vida.

    Agora que compreendeu isto, talvez você se pergunte: Como faço para tirá-la da seita? responder esta pergunta leva muito mais do que posso incluir neste artigo. No entanto, há quatro coisas fundamentais.

    ·         Criar um ambiente propício para que a pessoa se sina bem vinda. Não sentir repulsa e nem confrontá-la. As pessoas mudam como resultado do amor, não da discriminação de outros. No relato do vento e do sol que tratavam  tirar um homem de um abrigo, enquanto mais forte soprava o vento, o homem mais apertava-se em seu abrigo, enquanto que o sol simplesmente sorriu e brilhou, e não demorou muito para que o homem saísse de seu abrigo.

    ·         A segunda personalidade é como um abrigo. Se você atacar, esta personalidade envolverá ainda mais fortemente a pessoa, e é provável que lhe passe a encarar como agente do demônio. Porém, se você mostrar amor, a personalidade adicional quase não encontra razões para permanecer ali. As necessidades emocionai da pessoa terão sido satisfeitas e se removerá a proteção.

    ·         O segundo passo e parte da criação de uma atmosfera carinhosa e de aceitação: Buscar ajuda com respeito a dinâmica familiar. Quando em uma família um de seus integrantes está envolvido em uma seita, lhes aconselho que tratem de ministrar pelo menos três sessões de terapia familiar com um bom conselheiro.

    ·         Isto logra várias coisas. Em primeiro lugar, ajuda a família a enfrentar conflitos que possar ter com quem está na seita. Em segundo lugar, os ajuda a entender como funcionam os grupos de ajuda e lhes dá um conhecimento básico de dinâmica de grupo. Em terceiro lugar, se obter êxito, proporcione um lugar  cômodo para que a pessoa regresse. Geralmente as sessões não fazem mal e potencialmente podem ser muito benéficas.
A seita dos Mórmons, foi fundada por Joseph Smith, um Maçon americano. A aparente alegria, elevados princípios de amor à família e a moral tem atraído muitos jovens a esta seita.
  • Trate de obter toda a informação possível sobre a seita: Como funciona, suas técnicas de doutrinamento, a liderança e tudo o mais. Fale com ex-membros da seita. Isto é importante e lhe dará uma boa ideia de como os membros do grupo tem sido programados quanto às suas reações e ainda lhe indicará que métodos irão funcionar melhor.
Examine as escrituras e busque ali informação sobre as crenças da seita. Assim, poderá demonstrar com a Palavra de Deus que ditas crenças são equivocadas e que por exemplo, o grupo interpreta versículos fora de contexto. A fim de ajudar a alguém a deixar uma seita, terá que falar tanto ao intelecto como ao coração. 

Esforços pessoais tem procurado tornar público as atrocidades ocultas por diversos grupos sectários.
  • Formar um grupo de oração para que especificamente ore por seu ente querido. Trate reunir-se uma vez por semana a fim de orar pelo seguinte:
a) Que o engano posso ser truncado e a pessoa se dê conta das incongruências, as mentiras e do egoismo que existe no fundo de todas as seitas. Que as manipulações deixem de ter poder sobre a pessoa.

b) Que a personalidade possa recordar as boas épocas e as condições positivas que anteriormente desfrutava.

c) Que possa surgir uma profunda insatisfação com a seita e também grande desejo de deixar o grupo.

d) Que possam ter a coragem para agir e que de maneira soberana, Deus faça surgir oportunidade para que abandonem a seita.

e) Por proteção física, emocional e espiritual para você ao abordar este mal tão real. Deus pode chegar às pessoas através do Espírito quando nós não podemos nos chegar a elas. Ele pode dispor circunstâncias quando a única coisa que sentimos é frustração. Ele é o Senhor!
  • O passo seguinte é fazer uma investigação específica. Procure perguntas que lhe ajudarão a entender porque seu querido entrou na seita. Isso ajudará a entender o grupo em si e contribuirá com todos os que estão lhe apoiando nesta empreitada. As respostas a estas perguntas podem servir como ponto de partida para ação posterior e oração.
Emoções e relações interpessoais

1 – Que tipo de estresse estava atravessando a pessoa nos anos anteriores antes de unir-se à seita? A morte de um ente querido? divórcio? mudanças? pressões no trabalho? doenças? complicações legais?

2 – Era a pessoa feliz e exitosa em linhas gerais? acaso a solidão constituíam problemas?

3 – Era ou é a pessoa alguém fácil de ser enganada? era ou é crédula e incauta? tinha boas faculdades críticas? acaso há certo desequilíbrio nas faculdades críticas, por exemplo, sendo muito lógico e perspicaz intelectualmente, porém vulneráveis e com tendência a relações imprudentes no emocional?

4 – Tinha a tendência de fugir da realidade por meio de ilusões, uso de drogas, fantasias, álcool, imoralidade e má conduta? foram dominados por terceiros ou sofreram abuso de alguma maneira?

5 – Eram felizes em casa? estavam constantemente em conflito com os pais e irmãos? expressavam amor à família? estavam seguros do amor dos familiares por eles?

Milhões que agora vivem jamais morrerão”
Neste discurso, Rutheford afirmava: – A Nova Ordem está aqui!
As seitas estão sempre propalando um fim imediato e inadiável. As Testemunhas de Jeová são a seita que mais datas para o fim já predicaram.

A Seita propriamente dita

6 – Se uniram à seita de repente ou de maneira gradual através de certo período? quanto tempo durou o processo?

7 – Quais foram as primeiras mudanças que você observou?

8 – O que aconteceu a partir deste momento? descreva em sequencia os eventos do seu ponto de vista. Compare com a sequência do ponto de vista de outros amigos e familiares. Obtenha e guarde toda a informação que for possível.

9 – Quais são as técnicas de controle mental que você sabe que estão utilizando?
  • Controle de acesso à informação – Acesso restrito a meios de comunicação como por exemplo jornais e televisão.
  • Controle de comportamento – um estilo de vida claramente prescrito. Felicidade somente através de realizações e alvos.

  • Manipulação emocional – aprovação seguida de desaprovação. Temor e sentimento de culpa.

  • Abuso de autoridade. A pessoa não pode fazer nem mesmo coisas simples da vida sem estar sob as regras de sua liderança.

  • Discursos com cadência monótona, muita ventilação, hipnose, repetições, largas jornadas de trabalho para o grupo, fome, falta de sonho.

  • Acaso a pessoa está sendo humilhada, usada sexualmente ou degradada de alguma outra maneira?

  • Estão as suas finanças controladas de maneira extrema? se supõe que a pessoa deve dar tudo à seita?

  • Elitismo – A seita faz a pessoa sentir-se parte de uma elite ou grupo especial de pessoas?

  • Vontade grupal contra a vontade individual – quem tem a última palavra?

  • Imitação do líder – As pessoas parecem estar conformadas a um estereótipo? parecem ser todas iguais?

  • Estrito controle do matrimônio, práticas sexuais e regimes de alimentação.

  • As experiências (e não a qualidade do caráter) são a base do status no grupo. Visões, sonhos e revelações são o fundamento para a autoridade espiritual e o prestígio. Isto força a pessoa a ter ditas experiências.
10 – Em circunstâncias normais, objetaria tal pessoa a forma em que é tratada agora? se assim for, o que mais lhe desagradaria? isto poderia ser um ponto importante em sua estratégia de comunicação.
Segundo as Testemunhas de Jeová, tudo que vem do Corpo Governante, ou o Escravo Fiel e discreto, é como se viesse do próprio Deus… em seus estudos, críticas aos ensinos ou a ações da liderança são proibidas. Muitos são expulsos apenas por ler publicações de outras religiões.
Em seus Salões do Reino, sempre se exorta a obediência cega e incondicional ao líder sediado em Brooklin Nova Iorque, Estados Unidos da América.

Fazendo com que abram os olhos

11 – Está você cuidando-se direito e pensando no futuro? ou por acaso está se reduzindo a nada, esgotando-se e se reduzindo a nada pela seita? está deixando de lado outros da sua família? não permita que esta crise se converta no centro de sua vida nem no único objetivo de sua vida. A pessoa sentirá desejos de deixar a seita em razão de seu estilo de vida familiar feliz, funcional e propício ao retorno. Esforce-se por ser feliz, estar saudável e viver de maneira funcional. Prepare-se a si mesmo e a sua família para ações construtivas.

12 – Considere a possibilidade de chamar a polícia, ou departamentos de autoridade para que investiguem a seita. Seria um assunto de interesse para os meios jornalísticos? comece com periódicos e publicações locais. Um periódico regional terá mais interesse no caso e talvez queira dedicar tempo e energia. Os periódicos locais chegam a outras empresas maiores e redes de notícias mais importantes. É assombroso o que pode acontecer quando alguém começa a agir com coisas pequenas e deixa que Deus se encarregue da situação.

13 – Você conhece algum ex-integrante da seita? crê que estariam dispostos a ajudá-lo a tirar de lá o seu ente querido? o que podem estas pessoas dizer quanto às condições dentro da seita?

14 – Que tipo de evento familiar teria mais possibilidade de que a pessoa faça-lhe uma visita? há alguma maneira correta de que possam distanciar-se da seita por um fim de semana enquanto recebem palavra de conselheiros, familiares, amigos e um bom pastor?

O período de observação (até dois anos)
Nas reuniões das Testemunhas de Jeová, é comum que jovens exemplares dêem publicamente testemunho de como suas vidas de pecado e frustração deram lugar à esperança e objetivo sob a direção do líder.

15 – Desenvolveu a arte de saber escutar? a capacidade de escutar a fim de que haja boa comunicação e compreensão, é uma habilidade que resulta em perspicácia. Durante as primeiras horas em que se estabelece o contato, a pessoa frequentemente estará muito nervosa sobre o que você pode dizer sobre seu grupo religioso ou seita. Portanto, você deve ser capaz de estabelecer boas linhas e comunicação.

16 – Nota que a pessoa envolvida na seita reage de maneira estranha diante de palavras chaves ou certa música? por exemplo, um ex integrante da seita “Deus é amor” podia pensar na seita toda vez que se usava frases em contextos normais ou em canções. A solução está em ajudar a pessoa a encontrar associações de pensamento que sejam mais construtivas ou agradáveis. É bom ensinar a pessoa a pensar em algo agradável quando escutam certa música ou palavra chave.

17 – A pessoa tem pesadelos? sentimentos de culpa? problemas emocionais? se sim, sessões de conselhos poderiam ser a resposta.

18 – A pessoa lê tão bem como fazia antes? como é a concentração e a memória agora? pode levar tempo para que as coisas voltem à normalidade.

19 – Há algum grupo que possa ajudá-lo a voltar ao mundo real e a uma vida mais normal? uma igreja tradicional? um grupo de apoio para membros de seitas? bons amigos talvez?

Fonte: http://www.extj.com.br/entenda-a-mente-das-vitimas-de-seitas-religiosas-e-ajude-as/

0 comentários: