terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

2014: O Centenário do Reinado de Cristo – e a lenda da Torre de Vigia


No dia 1º de outubro de 1914, segundo ensina a Liderança das Testemunhas de Jeová, Jesus foi entronizado como Rei do Reino Celestial. Um mito, uma lenda, que gostaria de contar assim:

Era uma vez… Lá pelos anos de 1870, um jovem comerciante de nome Charles T. Russel, ouviu um grupo cantando hinos em uma pequena salinha. Era um grupo de estudos bíblicos dos que saíram do decepcionado movimento milerita, que esperou a volta de Cristo em 1844. Aquele encontro refrescou sua esperança, já que aquele grupo não cria no inferno, assunto que esse jovem, C. T. Russel, tinha reservas. Conta-se que diante de um ateu, ele não conseguiu defender o ensino do inferno… Bem, com esse novo contato, sua atenção foi renovada, e um grupo sob seu comando foi selecionado, reuniram entre os anos de 1870 a 1875 estudando ‘meticulosamente’, os ensinos da Bíblia. Segundo Russel, aquelas doutrinas da ‘cristandade’ que não tinha base bíblica, eles descartavam.

Um pouco depois daquele período, um experiente adventista de nome Nelson Barbour, dos “segundos adventistas” –, convenceu Russel de que em 1914 terminariam os Tempos dos Gentios de Lc 21.24, e que esses foram simbolizados pelo período de loucura de Nabucodonosor (Dn 4.34). Desde quando Jerusalém foi pisada pelos gentios, no suposto ano de 607 a.C. foi somado com 2.520 anos, chegando no ano de 1914… dentro de uns 35 anos!!!

Que empolgante notícia!!! (Um outro adventista de nome George Storrs, por meio de seus escritos, convenceu Russel de que a doutrina da Trindade não era bíblica e deu mais argumentos ao jovem Russel contra a imortalidade da alma.)

A princípio, Russel recuou diante de uma data ser marcada para algum evento futuro, as experiências dos adventistas que virou o fiasco daquele século restringiu o jovem Russel de aceitar tais cálculos, mas, a argumentação de Barbour foi muito convincente, Russel se rendeu aos argumentos. Sem saber ao certo de quem lançou as bases dos cálculos Barbour fora o mesmo que lançou dos cálculos de Miller, isto é J. Áquila Brow, Russel com seus recursos patrocinou a publicação de um periódico desde 1878 que anunciaria a todos que os Tempos dos Gentios terminaria em 1914, e que o mundo acabaria no máximo em 1915.

Bem, como é possível perceber, sabemos que o mundo não acabou… mas a lenda continua, com seus fatos e fiascos. Muitas datas apareceram intercalando aquele acontecimento que esperavam. Apesar de não ver o fim do mundo, os seguidores de Russel estavam convencidos que o mundo entrara em seus momentos finais, afinal, em 1914 tivemos a primeira guerra mundial, um combustível e tanto para os russelitas, os chamados Estudantes da Bíblia!

lenda continua, que lá pela década de 30, o líder dos Estudantes da Bíblia, após a morte de Russel em 1916, o senhor J. F. Rutherford, começou mudar algumas crenças a respeito dessas data, mas sem abandonar plenamente as identificações de seus mestre, Russel. Segundo esse novo líder, em 1914 Jesus iniciou a sua presença invisível, que os Estudantes da Bíblia até então achavam que iniciou em 1874… Para ajudar o desenvolvimento da lenda, a palavra “vinda”  [parousia] podia ser traduzida por “presença” Cristo então estava “presente” desde 1914… essa data também substituiu outras datas de Barbour e Russel. Ou seja, o fundador da Torre de Vigia  Russel estava certo no cálculo, ele só errou no que esperou para aquele ano!

Muitas coisas agora foram vinculadas com o ano de 1914. A escolha de uma Organização na terra, por parte de Jesus, só se daria um tempo depois que ele se tornou Rei no céu, mais precisamente em 1919 quando Ele, o Arcanjo Miguel, isto é Jesus, escolheu a Torre de Vigia, identificado na Bíblia em Mateus 24.45 como o escravo fiel e discreto (na versão Novo Mundo) como sendo o seu povo do tempo do fim. Puxa, já estava me esquecendo, a lenda também diz que a ressurreição celestial começou em 1918…

Duas doutrinas nasceram dessa data, já que o Apocalipse por exemplo, cumpre-se desde 1914 para elas ! Diz a lenda… a separação de ovelhas e cabritos de Mt 25.31 começaria em 1914 e terminaria no fim do mundo, e também a geração de Mt 24.34 era a geração de 1914. Com algumas mudanças no decorrer dos anos, essas doutrinas foram finalmente abandonadas em 1995… recentemente o conceito de geração mudou e voltou novamente, mas sem uma associação tão exclusiva com 1914… a tal geração que verá o fim agora são os restantes dos 144.000!

Ah, sobre isso, dizia a Liderança das Testemunhas de Jeová, que a chamada celestial terminou em 1881, depois mudaram para 1921, depois para 1931, depois para 1935. Essa última se manteve até 2007, até que também, diz a lenda, essa não era mais a data final da chamada celestial. Desde então, de uns 8.700 “restante” ungidos agora já passa da casa dos 12.000. Daqui a pouco não será mais o “restante ungido”, será o grupo completo… bem, daí uma nova luz resolve esses problemas, e assim as Testemunhas de Jeová se calarão e continuarão pregando essa lenda de casa em casa.

Bem, o que resta agora da lenda? Bem, desde 1914 Jesus se tornou rei, escolheu a Torre de Vigia, começou os últimos dias, o diabo foi expulso do céu, e essa é a mensagem que eles devem pregar de casa em casa, sem esquecer, é claro da terra paradisíaca!… portanto, no dia 1 de outubro de 2014, as Testemunhas de Jeová terão motivos para comemorar o centenário do reinado do rei delas… eis a lenda!


Fonte: http://mcapologetico.blogspot.com.br/

0 comentários: