sábado, 12 de outubro de 2013

Podemos violar o Sábado?

Geralmente quando encontramos um sabatista somos interrogados acerca da guarda da lei de Deus e da guarda do sábado. Pergunta o sabatista?

“Você guarda a lei de Deus?”

Nossa resposta é:Sim.
Então continua ele.

“Você guarda o sábado?”.
 Nossa resposta invariavelmente é: Não!
Dizem eles, “Então não sabe que a lei de Deus é integrada pelos dez mandamentos e que a quebra de um mandamento envolve a quebra de todos? Citam para nós Tiago 2.10 como prova bíblica – “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos“.

NOSSA RESPOSTA 

Analisemos, de novo, a pergunta com que iniciam o diálogo conosco:

“Você guarda a lei de Deus?”

Qual deve ser nossa resposta? “Sim” – respondemos nós.
Mas não esqueça que estamos vivendo sob o Novo Concerto ou Nova Aliança e que dentro da Nova Aliança ou Novo Concerto não existe mandamento para guardarmos o sábado. Por exemplo, nunca Jesus mandou guardar o sábado, embora saibamos que ele guardou a lei com 613 mandamentos, considerando que ele nasceu sob a lei. “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.” (Gálatas 4:4, 5)

ABRANGÊNCIA DA LEI DE DEUS

Além disso, deve ter-se presente que a lei de Deus não consiste de apenas dez mandamentos, mas de 613 mandamentos. Paulo escrevendo aos gálatas disse:
“Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las”. (Gl 3.10)
A lei de Deus contém preceitos morais fora dos dez mandamentos como também, dentro dos 10 mandamentos, existe um preceito cerimonial ou ritual e que foi abolido por Cristo, isto é, a guarda do sábado, da mesma forma que foram outros preceitos cerimoniais fora do decálogo. Hoje vivemos sob a lei de Cristo e não mais sob a lei de Moisés.

“Pois, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos para ganhar o maior número possível: Fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse eu debaixo da lei (embora debaixo da lei não esteja), para ganhar os que estão debaixo da lei; para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei”.
(1 Co 9.19-21).

JESUS CUMPRIU OS PRECEITOS CERIMONIAIS DA LEI

Algumas referências bíblicas mostram isso: foi circuncidado ao oitavo dia do seu nascimento (Lc 2.21); foi apresentado no templo segundo a lei das purificações (Lc 2.22-24); Maria fez os sacrifícios correspondentes (Lc 2.27). Jesus subiu a Jerusalém para a Festa da Páscoa com a idade de 12 anos – a idade quando um menino judeu toma a responsabilidade legal, sendo chamado dessa idade como “filho da lei”. Durante toda sua vida honrou o templo e as leis referentes aos cultos (Mt 8.4: Lc 17.14; Mt 17.24-27). Assim, Jesus se submeteu a todas as leis cerimoniais da Lei de Moisés. Disse, depois de ressuscitado, “Convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.”(Lc 24.44)

DE NOVO O DECÁLOGO

Voltam, de novo, a questionar apontando para o livro de Êxodo, onde se encontram os dez mandamentos. Teatralmente, abrem o livro de Êxodo e começam a ler o capítulo vinte dos versículos três a dezessete:
Lêem, apontando para o primeiro mandamento:
(Ex 20.3) “Não terás outros deuses diante de mim”. Perguntam: “Podemos ter outros deuses diante de Deus?”. Nossa resposta é: Não
Apontam o segundo mandamento:
Lêem Ex 20.4, “Não farás para ti imagem de escultura…”. Ex 20.5; “Não te encurvarás diante delas, nem as servirás…” Podemos nos curvar e servir imagem de escultura? Nossa resposta é, Não!
Apontam o terceiro mandamento:
Lêem Ex 20.7 “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão” Perguntam: Podemos tomar o nome de Deus em vão? Nossa resposta é: Não!
Pulam o quarto mandamento
Pulam Ex 20.8-11 que trata da guarda do sábado.
Apontam o quinto mandamento:
Lêem Ex 20.12, “Honra a teu pai e a tua mãe…” Perguntam: Podemos desonrar pai e mãe? Nossa resposta é: Não!
Apontam o sexto mandamento:
Lêem Ex 20.13, “Não matarás”.Perguntam: Podemos matar?Nossa resposta é: Não!
Apontam o sétimo mandamento:
Lêem Ex 20.14, “Não adulterarás”. Perguntam: Podemos adulterar? Nossa resposta é: Não!
Apontam o oitavo mandamento:
Lêem Ex 20.15, “Não furtarás”. Perguntam: Podemos furtar? Nossa resposta é: Não!
Apontam o nono mandamento:
Lêem Ex 20.16, “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” Perguntam: Podemos falar falsos testemunhos? Nossa resposta é:Não!
Apontam o décimo m andamento:

Lêem Ex 20.16, “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo…” Perguntam: Podemos cobiçar…?Nossa resposta é: Não!

E O QUARTO MANDAMENTO?

De novo, teatralmente, voltam a Ex 20.8-11 e perguntam: Podemos violar o sábado? E esperam então que respondamos também, não!
E nós respondemos, com segurança, Sim.

“Mas como?”
 - Interrogam - ”Você respondeu a nove mandamentos que não podem ser violados, como, então, quanto ao quarto mandamento respondem que sim, que pode ser violado?”.

A nossa resposta é simples:
 Respondo, sim! pela autoridade do Senhor Jesus Cristo que é o “Senhor do sábado”. E justifico.

MATEUS 12.5-7

Vamos examinar Mt 12.5-7 onde Jesus declara: “Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Mas, se vós soubésseis o que significa: “Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor.”
Aí está a palavra clara, inequívoca do Senhor Jesus quanto à natureza do sábado como preceito cerimonial ou ritual, não tendo natureza moral como reivindicam os sabatistas.

INVERTENDO AS PERGUNTAS

Invertemos as perguntas que nos fazem os sabatistas quando lêem mandamento por mandamento do decálogo, com a pergunta repetida se cada um deles pode ou não ser violado.
Podemos então indagar ao sabatista:
“Podiam os sacerdotes no templo ter outros deuses diante de Deus“. (Ex 20.3) e ficar sem culpa? A resposta óbvia dos adventistas é:“não!”.
“Podiam os sacerdotes no templo fazer imagem de escultura…”“ e se encurvar a elas “? (Ex 20.4,5) e ficar sem culpa? A resposta deles é: não!
“Podiam os sacerdotes no templo tomar o nome do SENHOR em vão e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. 
“Podiam os sacerdotes no templo desonrar pai e mãe e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.
“Podiam os sacerdotes no templo matar no templo e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. 
“Podiam os sacerdotes no templo adulterar e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.
“Podiam os sacerdotes no templo furtar e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.
“Podiam os sacerdotes no templo dizer falso testemunho e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não. 
“Podiam os sacerdotes no templo cobiçar a mulher do próximo e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

E VIOLAR O SÁBADO?

SIM. OS SACERDOTES PODIAM VIOLAR O SÁBADO NO TEMPLO E FICAR SEM CULPA. Com isto não concordam, naturalmente, os adventistas que se curvam à autoridade de sua profetisa Ellen Gould White. Ela escreveu:“Santificar o sábado ao Senhor importa em salvação eterna” (Testemunhos Seletos, vol. III, p. 22 – 2a edição, 1956)

0 comentários: