sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Não há salvação sem aceitação de Joseph Smith

Se Joseph Smith foi realmente um profeta, e se disse a verdade ao afirmar que esteve na presença de anjos enviados pelo Senhor, e obteve as chaves da autoridade e o mandamento de novamente organizar a Igreja de Jesus Cristo na Terra, então este conhecimento é de vital importância para o mundo inteiro. Nenhum homem pode rejeitar este testemunho sem incorrer nas mais terríveis consequências, pois não poderá entrar no reino de Deus. Portanto, é dever de todo homem investigar, para que possa avaliar a questão cuidadosamente e conhecer a verdade (“Doutrinas de Salvação”, Vol. 1, edição 1987 – p. 206; Joseph Fielding Smith; Editora Bookcraft).
Meus inimigos dizem que fui um profeta verdadeiro. Ora, prefiro ser um profeta verdadeiro, caído, do que um falso profeta. Quando um homem sai profetizando e ordena a seus semelhantes que obedeçam aos seus ensinamentos, ou é verdadeiro ou é falso. Os falsos profetas sempre se levantaram para opor-se aos verdadeiros, profetizando coisas tão parecidas com a verdade que quase enganaram os próprios escolhidos (“Ensinamentos do Profeta Joseph Smith”, edição 1975 – p. 357, Joseph Smith. Editora, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias).
Refutação Apologética:
A Bíblia ensina que nós somos salvos do nosso pecado e morte espiritual pela provisão graciosa de Deus de perdão e vida eterna. Não podendo ser merecida nem conquistada pelas nossas obras (Ef 2.8, 9). A Lei nos foi dada para mostrar que somos incapazes e inábeis para cumprir os desígnios da perfeita e santa Justiça de Deus por nossos próprios esforços, evidenciando nossa fraqueza e nos fazendo reconhecer que somos inteiramente dependentes de Deus (Rm 3.20; 5.20; 7.7, 8; Gl 3.19). Os sacrifícios do Antigo Testamento apontavam para a provisão graciosa do “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29; Hebreus 9.11-14; 10.1-14). Não podemos contribuir praticamente em nada para a nossa salvação porque, sem Cristo, somos espiritualmente “mortos em nossos pecados” (Ef 2.1, 5). Um coração renovado, o qual deseja obedecer aos princípios do evangelho, é resultado concreto da salvação (entretanto, é correto que, sem evidências de mudança na conduta, o testemunho de fé em Cristo do indivíduo pode muito bem ser questionado; salvação pela graça somente através da fé não significa que nós podemos viver como “nos der na cabeça”.  (Conf. Rm 6.1).
A Bíblia ensina que existe apenas uma salvação. Qualquer que recebe a salvação recebe a vida eterna e a salvação é uma providência de Deus, como segue: “Na verdade que não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque” (Ec 7.20 – Conf. Rm 3. 20, 23; Is 55.8; Pv 16.25; ).

Extraído da Série Apologética, Editora ICP

0 comentários: