domingo, 13 de dezembro de 2009

Shabbath: O Dia do Senhor

Ian McNaughton

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto1

No livro de Apocalipse lemos do dia do Senhor (1:10), sendo assim um dia que pertence a Cristo Jesus – somente tal dia e a ceia do Senhor (1Co. 11:20) carregam esse título. Assim, qual o motivo dessa significância especial e de onde procede?

O Salvador ressurreto apareceu no primeiro dia da semana após sua ressurreição; assim, em João 20:10 notamos que os apóstolos se reuniram no primeiro domingo da ressurreição. O puritano John Owen observa que esse dia foi tomado por Cristo e recebeu o seu título; caso contrário, por que foi chamado de o novo dia de adoração?2 John Bunyan estava convencido que a frase ‘após oito dias’ (João 20:26)3 confirma que esse dia é o novo Shabbath escolhido e estabelecido pelo Espírito Santo.4

Em Atos 20:7, enquanto em Trôade, os apóstolos e os santos se reuniram para partir o pão no primeiro dia da semana (domingo). O contexto aqui é aquele de adoração apostólica com o partir do pão (a Ceia do Senhor) e a pregação. Isso não é a missa Católica Romana, mas a simples, porém profunda, recordação da morte do Senhor até que ele venha (1Co. 11:26) Essa era a continuação de uma nova prática estabelecida pelos apóstolos após o Pentecoste (Atos 2:44-47) e adaptada à adoração nas províncias da Ásia. 1 Coríntios 16:1, 2 deixa claro que a reunião do povo de Deus no primeiro dia da semana era agora uma data estabelecida de adoração que tinha aprovação apostólica.

Isso foi então um abandono do Shabbath judaico no sétimo dia. E foi ordenado pelo Senhor através de Paulo (1Co. 14:37), e permite a adoção universal dessa nova prática às igrejas do Novo Testamento. A autoridade apostólica para essa mudança de dia é encontrada também em 1 Coríntios 11:23, e as palavras ‘pois recebi do Senhor o que também lhes entreguei’. Os apóstolos tinham a direção infalível do Espírito – ‘o que eles ordenaram não era menos direção divina do que se tivesse sido apontado por Cristo em pessoa’.5 Bunyan cria que essas coisas tinham se tornado costumeiras nas igrejas já naquele tempo.

Quando Bunyan escreveu sobre o dia do Senhor em 1685, ele estava lidando com a mudança de dia do sétimo para o primeiro, chamando sua obra de Questions about the Nature and Perpetuity of the Seventh-Day Sabbath (Questões sobre a Natureza e Perpetuidade do Shabbath do Sétimo Dia).6 Ele disse que o domingo tinha o sinal da glória do Senhor sobre ele, pois a graça divina está posta nele, visto ser o dia da comemoração semanal da ressurreição (Mt. 28:1-10).7 O primeiro dia da semana se tornou o dia de adoração para as igrejas do Novo Testamento por causa da ressurreição. Citando Hebreus 4:10, Bunyan diz que o dia de descanso de Cristo é o domingo, pois nele Cristo cessou de suas obras tendo conquistado a morte ao ressuscitar. Domingo sendo o dia de descanso para o Filho de Deus, ‘deve ser o dia de descanso para a sua igreja também’.8 Nessa luz, Bunyan disse: ‘ele removeu o sétimo dia, mas não deixou nenhum dia para os santos se reunirem para adorar? O sétimo dia se foi com suas sombras, mas o selo divino está sobre o primeiro dia’.9 Bunyan resume tudo isso dizendo que esse é o primeiro dia da adoração da igreja, pois (a) Cristo iniciou-a nesse dia (b) o Espírito Santo aprovou-a nesse dia (c) as igrejas praticavam-na nesse dia e (d) Apocalipse 1:10 confirma esse dia às igrejas até o fim do mundo.10

Há uma óbvia mensagem acumulativa no Novo Testamento, provando que o primeiro dia da semana é ‘o dia da feira da alma’.11 A partir de tudo isso, as palavras do apóstolo João devem ser claramente entendidas como se referindo ao dia da ressurreição do Senhor, o primeiro dia da semana, separado pelos apóstolos sob a direção do Espírito Santo como um dia de adoração e consagração especial, tomando o lugar do shabbath do sétimo dia da antiga dispensação.12

O Rev. Ian McNaughton é secretário escocês do Day One Christian Ministries.

1 E-mail para contato: felipe@monergismo.com. Traduzido em setembro/2007.

2 John Owen (1616-1683), Hebrews, Volume 2, ed. William H. Goold (1854-1855, reprint, Edinburgh: Banner of Truth Trust, 1991), p.424.

3 Nota do tradutor: “Uma semana mais tarde” em algumas versões.

4 John Bunyan (1628-1688), The Works of John Bunyan, Volume 2, ed. George Offor (1854, reprint, Edinburgh: Banner of Truth Trust, 1991), p.374

5 Owen, op. cit., p.425.

6 Bunyan, op. cit., pp.359-385

7Ibid., p.373.

8 Ibid., p.371.

9 Ibid., p.382.

10 Ibid., p.378.

11 Uma metáfora puritana comum para o Shabbath. Por exemplo, Henry Burton, The Law and the Gospel Reconciled (London, 1631), p. 64: ‘… esse é o dia da feira das nossas almas, no qual vamos à feira da casa de Deus, para comprar o vinho e o leite da palavra, sem dinheiro. Como se dá isso? Ouvindo e atentando para a palavra de Deus, aquela verdade pela qual somos santificados, João 17:17, e orando a Deus; assim, pela palavra e oração somos santificados.

12 Herman Hoeksema, Behold He Cometh!: An Exposition of the Book of Revelation (Grand Rapids: Reformed Free Publishing

Association, 1969), p.34.

Fonte: http://www.banneroftruth.org/

9 comentários:

Nuno disse...

"No livro de Apocalipse lemos do dia do Senhor (1:10)"

Deus revela com a Sua própria boca qual o dia do Senhor:

Isaías 58:13-14
"se ao sábado chamares deleitoso, ao santo dia do Senhor... porque a boca do Senhor o disse."

Êxodo 20:1,10
"Então falou Deus todas estas palavras, dizendo:... mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus."

Êxodo 31:12,15, 16
" Disse mais o Senhor a Moisés:"
"...o sétimo dia será o sábado de descanso solene, santo ao Senhor... como pacto perpétuo."

"Êxodo 35:1,2
"Estas são as palavras que o Senhor ordenou que cumprísseis...mas o sétimo dia vos será santo, sábado de descanso solene ao Senhor"

E existem mais:
Levítico 19:3,30; 23:3;
Deut. 5:12,14,15
"Porque o Filho do homem até do sábado é o Senhor." Mateus 12:8 Marcos 2:28, Lucas 6:5


Os mandamentos são uma Benção:
Levítico 26:3,


"Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou pão;" (1 cor.11:13)
---> Aqui Paulo fala da santa ceia, e não fala do dia do Senhor.

"De sorte que, quando vos ajuntais num lugar, não é para comer a ceia do Senhor;" 1 Cor. 11:20
---> Aqui Paulo não fala do dia do Senhor. Paulo faz aqui uma crítica à igreja de Corinto devindo às más práticas da Santa Ceia.

"No primeiro dia da semana, tendo-nos reunido a fim de partir o pão, Paulo, que havia de sair no dia seguinte, falava com eles, e prolongou o seu discurso até a meia-noite." Actos 20:7
---> como o próprio versículo diz: "Paulo, que havia de sair no dia seguinte" aqui, Paulo reuniu-se com ele nesse dia porque tinha de partir no dia seguinte, nada mais.

"em João 20:10 notamos que os apóstolos se reuniram no primeiro domingo da ressurreição"
---> eles estavam em casa e voltaram para casa "Tornaram, pois os discípulos para casa.
Eles saíram por causa das boas novas e voltaram para casa. Aqui não é mencionado o dia do Senhor nem o que faziam em casa. No versículo seguinte Maria ficou na rua? Não faz nenhum sentido.

"Oito dias depois estavam os discípulos outra vez ali reunidos, e Tomé com eles. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, pôs-se no meio deles e disse: Paz seja convosco." João 20:26
----> Aqui não fala no dia do Senhor, nem tão-pouco o que estavam a fazer la dentro de casa.

(Atos 2:44-47)
Aqui, não é mencionado nenhum dia. Aqui é mencionado o "partindo o pão" como alimento "comiam" e não como adoração.

1 Coríntios 16:1, 2
Aqui não fala em dia de adoração a Deus. Pelo contrário, aqui refere-se a colectas para santos, ou seja, ajuda aos necessitados como Paulo refere em [Rm 12:13] [Gl 2:10]

(1Co. 14:37)"dessa nova prática"
---> Aqui o tema de conversa é a ordem e a forma de a mulher falar na igreja. Não fala nem em nenhum dia, nem que é para adoração.

(Mt. 28:1-10)
---> Aqui temos um acontecimento que não é nem de adoração nem de imposição dessa adoração nesse dia. Simplesmente é mencionado o 1º dia da semana. Aqui Jesus aparece e menciona ter recebido todo o poder (v.18) - e Ele não deu a ordem de mudança do Sábado para o 1º dia da semana. Porque Jesus é o Senhor do Sábado!!!

(continua)

Nuno disse...

"Hebreus 4:10, Bunyan diz que o dia de descanso de Cristo é o domingo"
----> Aqui em Heb. 4 não fala no 1º dia da semana. Pelo contrário, temos as palavras:
(v.1)
"tendo-nos sido deixada a promessa de entrarmos no seu descanso," promessa aqui:(Êxodo 20:6; 31:17; Deut. 5:10)
(v.3)
fala aqui na criação e no repouso de Deus.
(v.4)
Fala aqui no 7º dia como o dis de repouso do Senhor.
(v.5)
Repetição
(v.6 e 7)
É considerada desobediência àqueles que não guardam este repouso. E acrescenta para não resistirmos: " Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações."
(v.8)
Aqui refere que não seria dado outro dia, ou seja, só o Sábado"
(v.9 e 10)
confirmação que existe ainda um repouso para o povo de Deus no mesmo Sábado.

João 17:17
"Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade."
---> Aqui, se a palavra de Deus é verdade, então as Suas 10 palavras em Êxodo é verdade pois são ela que santificam (Êxodo 31)

Amen

Nuno disse...

Conclusão:

Vemos neste artigo uma tentativa de provar que o 1º dia é alguma coisa... mas felizmente os argumentos dos homens falham perante as palavras que vêm da boca de Deus.

Anônimo disse...

Eu curto muito Sabbath.
Pricipalmente na época do Dio.
O Ozzy é legal, mas o Dio canta mais.
O que vocês acham do Glen Hugges?
Pra mim ele não canta nada.
Ele matou o Sabbath.
Ass.: Anônimo.

O Peregrino disse...

Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Lucas 12:20

Anônimo disse...

Você está me ameaçando de morte?
Ass.: Anônimo.

O Peregrino disse...

Meu amigo, quem sou eu para ameaçar as pessoas?

Busque compreender as coisas espirituais e não a terrena.

Isso aqui tudo passará.

Anônimo disse...

Você sabe quem é Ozzy Osbourne?
Sabe quem é Dio?
Sabe quem é Tommy Iomy?
Não?
Então porque quer ficar falando do Sabbath se nem sabe quem são os integrantes??
Ass.: Anônimo.

O Peregrino disse...

Deixa eu te falar uma coisa, o louvor a Deus é uma coisa, mas profanar o nome de Deus é outra coisa.

Você me pergunta se eu conheço Ozzy e demais pessoas.

Tenho 47 anos, fui o rockeiro, conheci esse pessoal que você menciona, não só esses, mas Led, Jimmi Hendrix, Janis Joplin e tudo o que você imaginar de rock'n'roll, e te digo, isso é um atraso de vida, você acha que se sente bem, mas no fundo há uma angustia, eu sei do que estou falando, fiz muita viagem (ilusória) com essas bandas, acendi vela quando ouvia Ozzy Banck to the Moon(acho que era esse o título), Heaven and Hell e tudo mais, mas isso é uma pura ilusão, porém Deus me libertou disso tudo e hoje sirvo Ele com alegria.
Não pensa que Deus recebe tudo e a todos não, Leia Isaias 59:1-2 e verá do que estou falando.

Deus é amor, mas é justiça também.
Não olho para Pastores ou para o homem, mas sim para Jesus que me libertou desse julgo.

Perdi muitos amigos nesse mundo do Rock, e muitos se perdem por essa causa. Conheço muito bem o que você está falando.