sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Sobre o "Deus" das Testemunhas de Jeová

A Bíblia nos fala de pessoas que negam a Deus (1Jo 2.22). E, infelizmente, os líderes dos testemunhas-de-jeová (TJ) pertencem a esse grupo. O “deus” deles não é o Deus da Bíblia. Senão, veja as demonstrações abaixo:

I. NEGAM A ONISCIÊNCIA DE DEUS: No livro Raciocínios à Base das Escrituras, página 117, há, como cabeçalho de um subtópico, a seguinte pergunta: “Quando Deus criou Adão, será que sabia que Adão ia pecar?” Respondendo negativamente a esta pergunta, os líderes dos TJ argumentam dizendo que “Se Deus predestinou e previu o pecado de Adão e tudo o que resultaria disso, significa que, ao criar Adão, Deus deliberadamente desencadeou toda a iniqüidade cometida na história humana.” Concordamos que realmente Deus não predestinou o pecado de Adão, mas discordamos da afirmação de que Ele não sabia que Adão ia pecar, pois a Bíblia é categórica ao afirmar que Deus é presciente. Veja algumas das muitas passagens bíblicas que asseguram isso com muita clareza, comparando a previsão, com o cumprimento da predição: Sl 22.18 com Jo 19.23,24; Mt 26.34 com os versículos 69 a 75 deste mesmo capítulo. Outra prova de que Deus sabia que Adão ia pecar, é o fato de a Bíblia afirmar que Deus nos elegeu em Cristo antes da fundação do mundo (Ef 1.4; 1Pe 1.18-20; 2Tm 1.9). Não provam estes versículos que Deus anteviu a redenção pelo sangue de Cristo antes da criação do mundo? E se Deus providenciou o nosso resgate pelo sangue de Jesus antes dos tempos dos séculos (2Tm 1.9), não está provado que ele previu a nossa queda e preparou o remédio de antemão? Sim, naturalmente. E isso prova que Ele é onisciente, isto é, sabedor de todas as coisas.
Segundo os líderes espirituais dos TJ, “... Jeová tem a capacidade de predizer eventos, mas [...] ele faz uso seletivo [...] dessa capacidade que tem” [...] ” (Ibidem, páginas 116 e 117). Querem dizer com isso que Deus tem poder para ignorar o que Ele não quer saber. É como se Deus possuísse em seu próprio ser duas teclas seletivas: a da onisciência e a da ignorância. Dependendo da que teclar, Ele saberá ou não, do assunto em pauta.
Há muitos anos ouvi um Ancião (chefe dos TJ) dizer que Deus, ao criar Adão, não sabia que este ia pecar. Pensei que ele estivesse falando isso de si mesmo, e por isso me limitei a mostrar-lhe, à luz da Bíblia, que ele estava equivocado. Ele demonstrou concordar comigo, ao ficar cabisbaixo e pensativo. Mais tarde, porém, ao consultar os livros editados pela liderança dos TJ, é que fui saber que o referido Ancião falara em nome da sua religião. Se é que podemos chamar isso de religião.
Realmente, há textos bíblicos que parecem dizer que Deus não é onisciente. Por exemplo, em Gn 22.12 encontramos Deus dizendo a Abraão: “... agora sei que temes a Deus... ”. Porém, os TJ não podem se servir disso para “provarem” que Deus não sabia de antemão até aonde ia o temor de Abraão para com Deus, até que ele (Abraão) o demonstrou por dispor-se a sacrificar o seu filho ao Senhor. A Bíblia está cheia de exemplos onde Deus, para se fazer entender por nós, usa termos humanos que, se forem mal interpretados, nos levarão a uma falsa idéia de Deus.
“Agora sei que temes a Deus” significa: A verdadeira fé não é apenas estática e contemplativa; antes, produz fidelidade, sem a qual não será reconhecida por Deus como tal.
Se os TJ não aceitarem a explicação acima, acabarão por dizerem que Deus não consegue saber lá do Céu o que está acontecendo no mundo, até que venha à Terra e veja de perto se determinada coisa está ou não ocorrendo realmente, visto que em Gn 18.20,21, encontramos Deus dizendo: “Disse mais Jeová: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito, descerei agora, e verei se com efeito têm praticado segundo este clamor, que é vindo até mim; e se não, sabê-lo-ei” (Grifo nosso). Será que Deus tem que vir do Céu à Terra para saber do que está acontecendo no mundo? Obviamente que não; todavia, é a essa conclusão descabida que chegaremos, se estudarmos a Bíblia à parte dos princípios da Hermenêutica e sobretudo, alienados do Espírito Santo. Até mesmo a onipresença de Deus poderia ser negada à “luz” de Gn 18.20,21, visto que estes versículos nos dariam então duas “provas” contra esta doutrina.

II. NEGAM A ONIPRESENÇA DE DEUS: Passagens bíblicas como a de Gn 18.20,21 acima considerada, levaram os líderes dos TJ a fazerem a seguinte declaração: “O verdadeiro Deus não é onipresente...” (Estudo Perspicaz das Escrituras, volume I, página 690).
O ex-Ancião (chefe) dos TJ, Hélio Eduardo de Souza, que foi TJ durante 20 anos, hoje Pastor evangélico, à página 24 de seu livro Fatos Curiosos Sobre as Testemunhas de Jeová, 1ª edição de 2007, denunciou: “[...] entre os anos de 1891 e 1953, Russell e Rutherford escreveram que Deus habitava na estrela Alcíone, na constelação das Plêiades.” E, como prova disso, cita os livros Thy Kingdom Come (Venha o Teu Reino), páginas 327 e 342, edições de 1891 e 1903; e também o livro Reconciliação, edição de 1928. Deste último ele transcreve este texto: “A constelação das sete estrelas que formam as Plêiades... tem sido sugerida, e com muito peso, que uma das estrelas daquele grupo é o local de morada de Jeová” (página 14. O grifo não é meu). Quão pequeno e finito era o deus de Russell e Rutherford, respectivamente, primeiro e segundo presidentes dos TJ! Basta-nos examinarmos trechos bíblicos como Sl 139.7-10; Mt 18.20; 28.20; At 7.59 etc., para vermos quão grande é essa blasfêmia! Deus é onipresente sim, isto é, Ele pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Ele enche o Céu e a Terra, bem como os corações dos que Lhe servem, e, portanto, não está radicado nessa nem naquela outra estrela.

III. NEGAM A ONIPOTÊNCIA DE DEUS: Do apresentado nos tópicos acima, se pode perceber que os chefes dos TJ dizem com um canto da boca que Deus é Todo-poderoso, mas com o outro canto da mesma boca negam esta verdade. O Todo-poderoso deles não é tão poderoso, já que não é onipresente, nem onisciente. Ele não é, pois, o Deus da Bíblia.

IV. NEGAM OS NOMES DE DEUS: O “nome” de Deus, na Bíblia, não significa uma combinação de sons; antes representa o seu caráter revelado. Por não saberem disso, muitos aceitaram como verdade, a heresia de que Deus só tem um nome, que é Jeová. Isso não é verdade, mas, por ora, queremos fazer constar apenas que a Bíblia dá a Deus vários nomes, além do de Jeová. Vejamos estes três casos: Zeloso (Êx 34.14 [Ciumento na bíblia dos TJ]); Redentor (Is 63.16 [Resgatador na bíblia dos TJ]); e Elohim (Gn 1.1, no original, e significa Deuses). Neste caso, Deuses é um substantivo próprio, e não plural de Deus.
Os nomes de Deus, na Bíblia, são adjetivos substantivados; logo, Deus não tem nome algum. Seus nomes apenas indicam que Ele é tudo aquilo que os mesmos designam. Neste caso, conhecer mais e mais o nome de Deus, como Jesus o refere em Jo 17.26, significa ampliar nossa intimidade com o Senhor (Os 6.3).

V. NEGAM A SANTÍSSIMA TRINDADE: Sim, os guias espirituais dos TJ negam o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Segundo eles, o Pai, o Filho e o Espírito Santo não são três Pessoas distintas, igualmente Divinas, constituindo uma só Divindade. Negam que o único Deus verdadeiro seja uma unidade composta. Segundo eles, Jesus não é Deus (na verdadeira concepção do termo), mas apenas um anjo, o arcanjo Miguel, a primeira, bem como a maior, de todas as outras criaturas. Quanto ao Espírito Santo, negam-lhe não só a Divindade, mas também a personalidade. O desdém dessa seita para com a Pessoa do Espírito Santo é tão acentuado, que, em suas bíblias, o nome Espírito Santo aparece escrito com iniciais minúsculas: espírito santo.

0 comentários: