quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Ninfa e Calita

Ninfa e Calita - Deus não abre mão de você

Ninfa e Calita - Escravo Resgatado

Ninfa e Calita - Filadelfia

Ninfa e Calita - Marcas de Sangue

Ninfa e Calita - Meu Escudo

Ninfa e Calita - Paraíso de Deus

Ninfa e Calita - Peregrino

Ninfa e Cálita - Sócio de Deus

Ninfa e Calita - Tempo de Missoes

0 comentários:

TESTEMUNHO EX TJ.

Sou desassociada há mais de 15 anos. Fui o que consideravam uma irmã exemplar. Era pioneira regularmente, participava da escola do Ministério Teocrático e fazia algumas partes em Assembleias e Congresso. Minha mãe é testemunha de Jeová, minha irmã e meu cunhado já foram pioneiros especiais.


Um pouco antes da desassociação, estava confusa por conta da minha sexualidade.


Então resolvi, conversar com os anciãos, porque, eles deveriam ser o meu ponto apoiador. Falei que nunca tinha tido contato sexual com qualquer pessoa que fosse e que queria entender porque eu estava despertando certos desejos dentro de mim.


Um ancião em especial me disse que esses sentimentos eram inaceitáveis e que eu teria que ser desassociada para servir de exemplo.

Fui para casa desolada e envergonhada.


Não sabia como iria dar essa notícia a minha mãe. Tomei coragem e finalmente contei. Para fugir da vergonha, resolvi viajar até depois que fosse anunciada publicamente a minha desassociação. Alguns dias depois, já em outra cidade, recebi uma ligação da minha mãe dizendo que eu deveria voltar, qe o tal ancião voltou atrás na sua decisão e que eu poderia voltar a assistir as reuniões e retomar minhas atividades na congregação. Dessa vez, foi minha vez de dizer que eu é quem queria agora virar as costas para uma organização tão monstruosa.

Depois disso, fui atacada de várias formas. No casamento da minha irmã, meu cunhado foi orientado por esse mesmo ancião a me expulsar na frente de todos os convidados e da minha família. Hoje, vivo tranquila. Tirei meus medos e não sinto vergonha e sim alívio de ter me afastado de pessoas de tão pouco amor ao próximo.


Atenciosamente,


Sandra Assis.