sábado, 3 de junho de 2017

Fumar é Pecado?

Indica a Bíblia que aquele que deseja servir a Deus deve abster-se de usar fumo? A Bíblia não menciona o fumo ou tabaco, visto que não era usado durante o tempo da escrita bíblica, tanto quanto registra a história. Mas, podemos chegar a uma conclusão quanto ao uso do tabaco por meio duma consideração de princípios bíblicos.

O cristão está empenhado numa corrida pela vida. O apóstolo Paulo trouxe isso à atenção dos cristãos em Corinto que conheciam os jogos ístmicos, realizados perto dali. Os competidores nestes jogos submetiam-se a um treinamento rigoroso que ocupava a maior parte do seu tempo, sob a supervisão estrita de juízes. Aquele que violava as regras era desclassificado.

Paulo, usando estes fatos, incutiu na mente dos cristãos que eles estavam constantemente sob o olhar do grande Juiz. Salientando que cumprir com as regras da corrida cristã significava combater os desejos da carne, ele disse: “Cada homem que toma parte numa competição exerce autodomínio em todas as coisas... . Amofino o meu corpo e o conduzo como escravo, para que, depois de ter pregado a outros, eu mesmo não venha a ser de algum modo reprovado.” — 1 Cor. 9:24-27.

O apóstolo escreveu mais tarde aos cristãos em Roma: “Que apresenteis os vossos corpos como sacrifício vivo, santo e aceitável a Deus, um serviço sagrado com a vossa faculdade de raciocínio.” (Rom. 12:1) “Santo” tem o sentido de pureza, tanto em sentido físico como espiritual. Os cristãos devem purificar-se de “toda imundície da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade em temor de Deus”. — 2 Cor. 7:1.

A impureza pessoal é indesejável e prejudicial, especialmente para o cristão. Adotar deliberadamente um hábito que envolve introduzir no corpo substâncias venenosas, contaminando-o assim, estorva a pessoa em servir a Deus. Quando o cheiro de fumo ou a aparência manchada da boca ou dos dentes é observável pelos outros, desvia a atenção deles das boas novas do Reino que se proclamam. Deturpa também a excelência, beleza e atrativo da adoração de Deus que a pessoa representa e advoga.

Quem se deixa levar pelos desejos da carne decaída e quem habitualmente come demais ou ingere algo prejudicial para o corpo torna-se escravo de seu apetite. O apóstolo disse: “Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei pôr sob autoridade por coisa alguma.” Daí passou a dizer que, de fato, aquele que se deixa controlar por alguma coisa não duraria mais do que a coisa que o controla. “Os alimentos são para o ventre, e o ventre, para os alimentos, mas Deus reduzirá a nada tanto um como os outros”, declarou ele. (1 Cor. 6:12, 13) Certamente não queremos ser controlados por alguma coisa que se destrói pelo uso, quer seja comida, tabaco ou outra coisa.

Tais pensamentos bíblicos a respeito do uso de fumo ou tabaco não são algo novo. Alguns, ao ficarem a par deles, pensaram em aplicá-los na sua vida, mas adiaram isso para o futuro. Verificaram que se podiam associar com a igreja sem deixar completamente o uso do fumo. De modo que agora, embora tenham certo sentimento de culpa a respeito de seu hábito de fumar, não fazem esforço real para vencê-lo.

Entretanto, tais pessoas deviam perguntar-se sinceramente: Será que tal proceder, que indica indiferença para com a aplicação de princípios bíblicos, obtém a aprovação do Senhor? Será que a pessoa que continua a praticar o que reconhece ser errado realmente ama a Deus ‘de todo o seu e oração’? Ou encontra mais prazer naquilo que desagrada a Deus? Se realmente quiser ser encontrado entre os que o Senhor favorecerá com a vida na sua nova ordem, terá de fazer esforço sincero para harmonizar agora sua vida com a Palavra de Deus. Lembre-se de que, quando alguns dos discípulos de Jesus lhe perguntaram: “Senhor, são poucos os que estão sendo salvos?” ele lhes aconselhou que se esforçassem vigorosamente, porque muitos procurariam entrar no Reino, mas não poderiam. — Luc. 13:23, 24; Mat. 22:37.

Paulo escreveu de modo similar: “Mantende estrita vigilância para não andardes como néscios, mas como sábios, comprando para vós todo o tempo oportuno, porque os dias são iníquos. Por esta razão, deixai de ficar desarrazoados, [não usando de raciocínios falsos ou enganosos, em apoio de algo que talvez queiramos justificar], mas prossegui percebendo qual é a vontade do Senhor.” (Efé. 5:8-17) Deve-se ‘comprar’ o tempo e não demorar em renunciar a um mau hábito. Os dias são iníquos e a demora em obedecer num assunto pode resultar em maior desobediência em outros.

Os cristãos desejam ter agora uma boa consciência para com Deus, pois ela é essencial para a adoração Dele de todo o coração. Quando alguém que usa fumo agora pensa em se batizar, deve dar séria consideração a este assunto, porque o batismo indica, “não a eliminação da sujeira da carne, mas a solicitação de uma boa consciência, feita a Deus”. (1 Ped. 3:21) Deve deixar de lado com antecedência toda a sujeira da carne. Seria um pouco incoerente pedir uma consciência inteiramente boa, se ele soubesse que deixa de abandonar ou se recusa a abandonar um hábito impuro, prejudicial. E se já foi batizado, deve livrar-se do hábito agora, para que não haja impedimento para a sua boa consciência, e deve ser grato a Deus pela Sua benignidade imerecida. — Heb. 4:16.

Alguns que desejam abandonar o hábito de fumar talvez fiquem muito desanimados e desencorajados. Mas, temos a garantia apostólica de que podemos vencer qualquer hábito mau pela fé no poder do sacrifício resgatador de Cristo e com a ajuda de Deus. Paulo descreveu a sua própria luta contra a carne decaída e pecadora, concluindo: “Homem miserável que eu sou! Quem me resgatará do corpo que é submetido a esta morte? Graças a Deus, por intermédio de Jesus!” Ele escreveu também: “Para todas as coisas tenho força em virtude daquele que me confere poder.” — Rom. 7:21-25; Fil. 4:13.

Se tiver dificuldades em vencer o hábito de fumar, deve orar fervorosamente a Deus, pedindo ajuda. Além disso, dá-se-lhe o conselho: “Lembrai-vos dos que tomam a dianteira entre vós, os que vos falaram a palavra de Deus, e, ao contemplardes em que resulta a sua conduta, imitai a sua fé.” (Heb. 13:7) Neste caso observará os exemplos que agradam a Deus. Sentir-se-á animado, pois muitos destes homens passaram pelas mesmas dificuldades. Eles o ajudarão. Converse com eles, obtenha seu conselho e as orações deles a seu favor. — Tia. 5:13-18.

Além disso, ao ponto que puder, associe-se com os que estão livres deste hábito. É também de muita ajuda ter um companheiro íntimo a quem possa telefonar depressa ou a quem possa visitar quando sente o “impulso” de usar fumo ou tabaco. Também, mantenha-se ocupado com o estudo da Bíblia, com as coisas que tem que fazer para cuidar de sua família, com as reuniões em que se considera a Bíblia e com qualquer serviço de Deus que possa fazer. Somente assim poderá ter a certeza de vencer o mau hábito e de substituí-lo por hábitos bons. Fará isso para ser glorificador melhor e mais aceitável do nome do Pai. E Deus se agradará assim de sua pessoa. — Pro. 27:11.


Imagem; Google

0 comentários: