segunda-feira, 21 de março de 2016

Como saí da “Congregação Cristã no Brasil”

A Paz do Senhor Jesus!

Meu nome é Roberto Rossi, e vim dizer por meio deste artigo como saí da CCB, Congregação Cristã No Brasil, e descobri a plena salvação e liberdade em Cristo Jesus.

Quando você está acorrentado a uma seita, principalmente exclusivista, você não é livre. Muito pelo contrário, fica sendo uma prisão. Não pode isso. Não pode aquilo. Não pode, Deus não aceita.
Deixei tudo de lado: deixei de ouvir música, deixei de ir à academia, deixei de assistir televisão, deixei de ir ao computador, tudo pela “Palavra” pregada por um ancião que falava com autoridade de Deus que era para a igreja se santificar. Assim entrei em uma depressão aguda, com o passar do tempo.

Deus se mostrou a mim em sonhos, pois aquele que o busca o acha, e o tema da revelação era que eu estava distante da salvação, no caminho largo.

Assim comecei a estudar mais a Bíblia e orar pedindo luz e sabedoria, salvação e perdão. Com o passar dos meses Deus me revelou, por cruzar as passagens paralelas da Escritura, que a salvação é pela fé: Quem crê no filho tem a vida.

Assim recusei a ideia, em mim mesmo, de ter os outros evangélicos como primos e trevas, as outras igrejas como seitas para perdição, etc.
Um cooperador de jovens e menores me deu a oportunidade para pregar, pois eu era visita numa igreja longe, e cri que Deus tinha uma obra a fazer. Subi no púlpito, e não me veio nada de surpreendente, revelação, palavra direta de Deus. Entendi que eu devia pregar o que Deus já tinha me mostrado: de não sermos crentes exclusivistas, de sermos irmãos das outras Igrejas, e dos seus membros, um só em Cristo.

Acontece que nem eu mesmo sabia quão profundas eram aquelas palavras. Todos vieram me dizer que isso veio de Deus para eles, e nos alegramos.

Quando eu ia testemunhar para anunciar o que Deus me revelou na minha sede, Vila Mariana, São Paulo, SP, (a doutrina correta da salvação pela fé, onde qualquer um de qualquer lugar aceita Jesus pela fé, e é salvo), o cooperador da Vila Mariana falou: está aqui faça como nós fazemos! Você é noivo de uma moça da assembleia de Deus e seu ministério de músico está por um fio nas minhas mãos.
Entendi o recado, e dei um suspiro. Cheguei no cerne da corrupção da doutrina; Agora vi que este lugar realmente tem uma doutrina que não é bíblica, e que Deus age com pessoas mais do que por Igrejas, ou seja, Deus age mais por corações do que por porta-vozes de grandes multidões.

Fui em outras congregações da região (Ipiranga e Brás-sede), e conheci anciães, da CCB, dissidentes da doutrina da salvação exclusivista da CCB em favor à salvação igual dos outros cristãos. Estes eram irmãos mais maduros, que entendiam a Bíblia, mas nunca os vi pregando aquilo na igreja.

Enfim, faça como nós fazemos foi, na Vila Mariana, foi a resposta que eu precisava. Imediatamente saí e nunca mais voltei desta doutrina pseudocristã.

Foi um prazer ser livre e sair das amarras dos duros mandamentos pesados da CCB. Busquei a Deus, entreguei minha vida novamente ao Senhor, coloquei minhas falhas sob o sangue de Cristo, busquei a Deus novamente, e Ele me mostrou o que eu pedi, por divina revelação, uma confirmação linda de que eu estava realmente no caminho certo, que é Cristo, indo para morar com Ele, com a fé nas Escrituras, e não em misticismo.

Agora oro não só pela minha igreja, mas pelo Reino de Deus! Não estou só numa igreja, mas faço parte do Reino de Deus. Agora não tenho mais que ouvir mensagens sem preparo, sem sal, sem conteúdo, mas mensagens ricas, pela multiforme graça de Deus e do Soberano Espírito, que tem toda a liberdade. Agora não mais fico na iminência de “Deus” tomar a boca do pregador e me falar uma profecia por adivinhação nas Escrituras. Agora eu sei bem o que quero, o que como, e para onde eu vou.

Espero que seja de edificação este testemunho.

Amém!

(Foto capa do livro do irmão Ricardo Adam)
—————–

Veja o vídeo:



0 comentários: