sexta-feira, 22 de agosto de 2014

“Trate os entes queridos desassociados como mortos por Jeová, e não os lamente!”



















A Sentinela 15 de novembro de 2014 publicada pela Torre de Vigia é encarada como autoridade superior à Bíblia. Suas orientações nada Cristãs, infelizmente são encaradas como vindas do próprio Deus…
É isso o que ensina a revista A Sentinela de 15 de novembro de 2014 no artigo de estudo intitulado “Devemos ser santos em toda nossa conduta”.

A Sociedade Torre de Vigia continua a exigir de seus membros que rejeitem seus amigos e parentes desassociados e os tratem como pessoas rejeitadas por Deus. Quem já foi ou é Testemunha de Jeová, sabe muito bem que os que são desassociados ou se dissociam da Organização Torre de Vigia são encarados como “mortos” pelos seus anteriores irmãos. Mesmo pais, filhos, avós, irmãos e amigos de infância se afastam de entes queridos desassociados (expulsos) ou dissociado (que saíram voluntariamente) evitando mesmo dirigir-lhes um simples oi. Porém, neste artigo que citamos, o Corpo Governante vai muito além e insta os seus fiéis agora a encarar parentes queridos que não fazem mais parte de sua religião como tendo sido “mortos por Jeová”! e ainda, afirmam que não devem ser lamentados!

Que absurdo, que revoltante! quão grotesca e diabólica é esta propaganda demoníaca transmitida por esta revista herética que por mais de um século tem espalhado mentiras absurdas e lançado vitupério sobre as Santas Escrituras…

Em parte, o parágrafo 5 da página 14, citando Levítico 10:1-11 diz:

Nadabe e Abiú, filhos de Arão, foram destruídos por um fogo vindo do céu enquanto estavam no tabernáculo. Isso deve ter deixado sua família arrasada. Sem dúvida, foi um grande teste de fé para Arão e sua família obedecer à ordem de Jeová de não lamentar a morte deles. E no seu caso? Você está agindo com santidade por não se associar com um parente ou outras pessoas que foram desassociadas?

Após relatar a ocasião em que os filhos iníquos de Arão sofreram a morte por um fogo que caiu do céu da parte de Jeová, a Torre de Vigia procura enganosamente traçar um falso paralelo com os que deixaram a sua organização religiosa. O objetivo claro, é inculcar na mente dos leitores que os seus parentes desassociados são como Nadabe e Abiú, ou seja, em certo sentido foram “mortos por Jeová” e devem ser esquecidos e rejeitados para sempre. Fazer o contrário seria deixar de “agir com santidade”… no estudo de A Sentinela, habilidosos anciãos e comentários cheios de devoção ao Corpo Governante, acabarão por plantar na mente de alguns a seguinte mensagem:

- “Seus parentes e amigos que saíram da organização foram figurativamente mortos pelo próprio Jeová… pode ser difícil aceitar que estão também mortos para você; mas se você lamentar a “morte deles”, e desobedecer a ordem de “Jeová” (leia-se Torre de Vigia) se associando com tais, você não estará mostrando-se santo…”

Este artigo praticamente é uma revisão aplicativa de um outro assunto publicado em A Sentinela de 15/07/2011 pág. 31-32 § 16. Nesta edição, a Torre de Vigia faz uso de aplicações torcidas de textos isolados das escrituras e exige até mesmo dos Pais evitarem o contato com os próprios filhos desassociados.

“Arão, irmão de Moisés, enfrentou uma situação difícil envolvendo dois de seus filhos, Nadabe e Abiú. Imagine como ele deve ter se sentido quando esses filhos ofereceram fogo ilegítimo a Jeová, que então os executou. Naturalmente, isso pôs fim a qualquer associação que esses homens ainda poderiam ter tido com seus pais. Havia algo mais, porém. Por meio de Moisés, Jeová ordenou a Arão e seus filhos fiéis: “Não deixeis as vossas cabeças ficar desgrenhadas e não deveis rasgar as vossas roupas [em sinal de luto], para que não morrais e para que [Jeová] não fique indignado contra toda a assembleia.” (Lev. 10:1-6) A mensagem é clara. O nosso amor a Jeová tem de ser mais forte do que o nosso amor a familiares infiéis.” - A Sentinela de 15/07/2011 pág. 31-32 § 16

A desassociação praticada pelas Testemunhas de Jeová mostram que eles claramente não têm genuíno amor Cristão entre eles. Isso os descaracteriza como seguidores de Cristo.

Com que autoridade a Sociedade Torre de Vigia exige de seus fiéis a prática dessa discriminação odiosa? como justificam o ostracismo injusto que impõe sobre os que se afastam? Eles apenas firmam-se em uma única afirmação inculcada diariamente a toda Testemunha de Jeová:

“O Corpo Governante é o representante de Deus na terra!”

No entanto, as “provas” são forjadas por eles próprios à base de falácias e da maquinação do erro, coisas em que a Torre de Vigia tornou-se muitíssimo experiente durante pouco mais de um século. A Torre de Vigia afirma que seus fiéis devem aceitar incondicionalmente sua autoridade porque de outra forma, estariam indo contra o próprio Deus.

Se perguntar para uma Testemunha de Jeová porque ela acredita que sua organização é a única religião verdadeira, ela certamente lhe dirá:

“- No tempo do fim, que se iniciou por volta de 1914, Jesus voltou de maneira invisível e até o ano de 1919 empenhou-se em analisar as “religiões” da época. Ele viu que apenas um pequeno grupo de pessoas nos Estados Unidos da América estavam vigilantes. Jesus então escolheu este pequeno grupo em detrimento de todas as outras organizações religiosas corruptas e apóstatas e refinou-os para a grande tarefa de divulgar as “boas novas” do Reino de Deus o qual havia sido estabelecido no céu por volta daquela época.”

Entretanto, o vácuo total de provas para apoiar as alegações da Sociedade Torre de Vigia de que receberam a direção divina tornam quaisquer tentativas de paralelos com relatos bíblicos de execução divina e excomunhão tanto absurdas como obscenas. Digno de nota é o artigo da revista Despertai publicado na edição de 08 de janeiro de 1947 páginas 27-28:

Na Despertai 08 de janeiro de 1947, a Torre de Vigia condena fortemente a “Excomunhão Católica”, afirmando que tal prática é pagã e que não encontra respaldo nas escrituras…

Se em 1947 a Torre de Vigia atacou com tanta avidez a desassociação ou excomunhão da igreja Católica levando a concluir que tal prática era um instrumento de “poder eclesiástico e tirania secular” totalmente estranho aos ensinamentos cristãos, porque fazem a mesma coisa que anteriormente condenavam?

As Testemunhas de Jeová são repetidamente bombardeadas com dogmas manipuladores (que giram em torno de um entendimento enganoso de 1 Coríntios. 5:11). O resultado dessa doutrina criminosa é o desmantelamento de milhares de famílias ao redor do mundo, atribuladas em prol unicamente dos interesses da Sociedade Torre de Vigia. Mesmo o envio de e-mails para os desassociados é proibido de acordo com outra revista recente.

“Não procure desculpas para associar-se com um membro da família desassociado, por exemplo, através de e-mails.” (W13 1/15 p.16)

Durante a sua estadia no Egito, o povo de Deus era severamente explorado e escravizado por um governante impiedoso.
Para estes manipuladores de mentes que vivem enclausurados nas salas de escritórios com ar-condicionado, é muito fácil ordenar ao seu exército de escritores que vomitem tantas declarações escandalosas através das páginas de A Sentinela. Para as pessoas ao redor do mundo que já carregam uma carga superior ao seu próprio peso, e que já estão visivelmente arrastando a barriga no chão, nenhum sinal de alívio. O Corpo governante não lhes dará trégua, e assim como Faraó do Egito, não tem nenhum interesse em libertar seus escravos. Neles, sem dúvida se aplicam as palavras de Cristo que disse:

“Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los;” – Mateus 23:4



Baseado em um artigo de: http://jwsurvey.org/

0 comentários: