quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Batismo x Unicismo



Para começarmos nosso estudo vamos ver o que a igreja voz da verdade (igreja unicista) diz sobre o batismo.


MAT.28:19

PORTANTO IDE,ENSINAI TODAS AS NAÇÕES ,BATIZANDO-AS "EM NOME DO PAI,FILHO E DO ESPÍRITO SANTO".


Jesus aqui não deu esta instrução a seus discípulos como sendo uma fórmula, e sim como sendo uma ORDEM, ou seja, ele quis dizer: vão e ensinem ao povo, que Eu sou o "PAI, o FILHO E o ESPÍRITO SANTO ". (Igreja voz da Verdade)

Vocês estão vendo a manipulação da palavra de Deus? A igreja voz da verdade esta manipulando o texto e dizendo que jesus esta dizendo que era para os discípulos ao invés de batizar em nome do Pai, do filho e do Espírito Santo era para ensinar que ele era o pai, o filho e o Espírito santo.


Qualquer pessoa com o primeiro grau completo pode ver que a interpretação de texto de Mateus 28.19 não leva jamais ao que a igreja voz da Verdade diz.
 
Jesus não era nenhum mongolóide para dizer que as pessoas deviam ser batizadas em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo levando a interpretação de suas palavras para um suposto ensino de que ele era o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
Jesus jamais falaria uma coisa dando um sentido para outra coisa.

A igreja voz da verdade e outras igrejas que seguem a mesma doutrina dizem assim:

Vale a pena lembrar que a história nos conta que até o quarto século, a igreja batizava EM NOME DE JESUS, porém o método do batismo foi mudado no Concílio de Nicéia (da igreja católica Romana, no ano 325 AD) mudando com isso o batismo em nome de Jesus, para as manifestações de Deus: PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO.
Ora essas expressões são as quais Deus se manifestou para concluir o PLANO DE REDENÇÃO da raça humana ou seja; Deus se manifestou como PAI (criador), como FILHO (do nascimento de Jesus até a sua ascensão) e através do ESPÍRITO SANTO (da ascensão até o presente momento).
Jesus foi enfático quando disse: EU E O PAI SOMOS UM

Isto e uma mentira dizer que somente no concilio de Nicéia(os unicista são católicos fóbicos, mas celebram o natal do dia 15 de Dezembro dia de adoração ao deus sol invictus constituído pela igreja romana) se começou a batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito santo. Vou provar para vocês que existe um pergaminho chamado « Didaque» que foi descoberto Em 1873, É um dos manuscritos mais antigos. Contém 240 páginas e pode ser datado entre os anos 70 a 150 d.C. É um livro que não reclama autoridade apostólica, segundo consta nele próprio, mas reúne, em linguagem muito singela e em forma de manual, os ensinos que os apóstolos ministravam. O autor, cujo nome é desconhecido, teria colhido essas informações pessoalmente ou por tradição oral.

No capítulo 22, diz assim: “Agora, concernente ao batismo, o bispo ou presbítero, como já temos instruído, deve batizar conforme o Senhor ordenou ao dizer: ‘Ide por todo o mundo e ensinai a todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo’.” (Obs.: o interessante é que muitos opositores da verdade utilizam esse livro – o Didaque – , quando lhes convém, para fundamentar suas ideias.


Quando este pergaminho ou livro foi escrito ainda não existia a igreja católica romana que só passou a existir no ano 312 quando Constantino dando liberdade aos cristãos reuniu um grupo e dali nasceu a igreja católica. Igreja imperial na época. Logo os unicistas (igreja voz da verdade, tabernáculo da vida, tabernáculo da fé) não podem dizer que o batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo só começou a se suceder no 4 século pois o livro Didaque data do primeiro século.

Vamos ver mais alguns escritos de cristãos que mostram como o batismo era efetuado (não adianta os unicistas virem dizer que estes cristãos eram católicos pois eles são de antes da fundação do catolicismo em 312 dC. Ainda que o catolicismo diz que eles eram católicos nos sabemos que não eram. O catolicismo também diz que Pedro, Paulo e os demais apóstolos eram católicos, mas nos sabemos que não eram)


Vejamos então:

Justino Mártir. Esse pastor da igreja apostólica viveu até o ano 165 d.C., (veja que o período de vida deste cristão e de antes da existência do catolicismo em 312) quando foi martirizado. Veja o que ele escreveu sobre o batismo: “Todos quantos são persuadidos e creem nas coisas que nós falamos e ensinamos, como verídicas, e prometem viver de acordo com isso, recebem instrução e oram a Deus. Depois, são conduzidos por nós até um lugar onde haja água. Então, no nome do Pai e Senhor de todo o Universo, e do nosso Salvador Jesus Cristo e do Espírito Santo, eles recebem a purificação com água.”


Inácio (pastor que viveu nos últimos anos do primeiro século) escreveu: “Não há três Pais e nem três Filhos, e nem três Paracletos. Portanto, o Senhor, enviando os apóstolos a fazer discípulos de todas as nações, ordenou-lhes que batizassem no nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo, não em três nomes, nem em três encarnações, mas em nome dos três de igual honra.”

Tertuliano (viveu entre os anos 160 a 240 d.C.) escreveu: “Ordenando que batizassem em o Pai, e o Filho e o Espírito Santo, e não em um só.”

Estão vendo como a igreja voz da verdade mente ao dizer que o batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito santo só começou a ser executado no 4º século pela igreja romana? Acima eu deixo as provas de que o batismo em nome do Pai, Filho e Espírito Santo sempre foi praticado pela igreja primitiva, mas as seitas sempre gostam de mentir e inventar estórias para enganar seus fieis incultos que sempre os ouve cegamente.
Sobre o verso que tanto eles gostam de usar para embasar suas teses «Eu e o Pai somos Um». Meus caros unicistas. Quando Jesus fala desta maneira. Ele estava apenas querendo mostrar que ele era o representante direto do pai. Que ele e o pai estavam ligados um ao outros. Vamos explicar melhor.


Se uma pessoa trabalha em uma firma e tem que representar esta firma em algum lugar. La chegando a pessoa vai falar « Nos somos (plural) uma firma (singular) que fabricamos móveis, por exemplo; ou se você for representar sua família. Você vai dizer: Somos (plural) uma família (singular) Isto não quer dizer que na família só existe um membro. Se fala desta forma porque você esta representando alguém ou esta ligado a alguém. Logo o que falta em vocês e a chamada exegêse e hermenêutica dos textos

Vamos agora falar do Batismo em nome de Jesus que tanto eles dizem que era feito e que e desta forma que o batismo deve ser efetuado.

Lembrando que os unicistas dizem que Pai, filho, e Espírito santo não são nomes e sim títulos (manifestações) e que ninguém pode ser batizado sobre títulos.

Para sustentar suas teses os unicistas usam tais versos

Atos 2:38 – “...seja batizado em nome de Jesus Cristo.”

Atos 8:16 – “...haviam sido batizados em o nome do Senhor Jesus.”

Atos 10:48 – “...batizados em nome de Jesus Cristo.”

Atos 19:5 – “...foram batizados em o nome do Senhor Jesus.”

ATOS 10:42-48 E NOS MANDOU (JESUS) PREGAR AO POVO E TESTIFICAR QUE "ELE" É O QUE POR DEUS FOI CONSTITUÍDO, JUIZ DOS VIVOS E DOS MORTOS. A ESTE DÃO TESTEMUNHO TODOS OS PROFETAS, DE QUE TODOS OS QUE " NELE "CRÊEM RECEBERÃO O PERDÃO DOS PECADOS "PELO SEU NOME"...E MANDOU QUE FOSSEM BATIZADOS EM "NOME DO SENHOR"

A contradição já começa nos versos acima que o unicismo usa para fundamentar sua doutrina. Vejam: ...Ele e o que por Deus foi constituído...
Mais Jesus não e o mesmo Deus? Não dizem os unicistas que não existem 3 pessoas na divindade e que tudo e Jesus? Como pode então neste verso Filipe dizer que foi Deus quem constituiu Jesus como juiz? Só mesmo um analfabeto se deixaria enganar, ou um cego religioso.

A segunda contradição e que eles usam «em nome do senhor»
Eles dizem que Pai é título, Filho é título, Espírito Santo é título e por isto ninguém pode ser batizado sobre títulos. Ai eles vêem e usam este verso de atos 10:42-48 para dizer que tem que ser assim que a pessoa deve ser batizada. Mas «Senhor» não e também um título? Por acaso alguém se chama senhor? Não seria senhor um pronome de tratamento assim como Pai, Filho, ...? Logo estas igrejas se contradizem em suas afirmações. Se não se pode batizar em nome do Pai, Filho e Espírito Santo, porque são títulos (pronomes de tratamentos como eles dizem) Logo não se pode batizar em nome do Senhor, pois Senhor também e pronome de tratamento.

O problema dos unicistas e que eles são tão fanáticos que eles pegam um verso das escrituras sem uma exegese ou hermenêutica (exegese= interpretação de texto, hermenêutica= arte que estuda as escrituras, o que cada palavra, frase e capítulos significam.) e ignoram os outros.
Vejam por exemplo quando Jesus faz sua oração.

«Pai nosso que está nos céus...» Porque Jesus não falou Adonai que estas nos céus? Por que Jesus não falou: Javé que estas nos céus? Porque Jesus não falou: Elohim que estas nos céus, mas falou Pai que esta nos céus? Claro que falando Pai que está nos céus ele está falando exclusivamente de uma pessoa que lá esta. Veja que ele usa o pronome de tratamento para se referir a Deus e não Adonai, Javé, Elohim. A mesma coisa é o nome Deus. Deus é um pronome de tratamento. Existem vários deuses, mas quando nos cristãos pronunciamos o nome Deus em oração estamos falando com o Deus dos cristãos. Logo a falácia de que batizar em nome do Pai, do filho e do Espírito Santo é errado, cai por terra por vários motivos apresentados.
Veja também que o batismo em nome de Jesus não era uma formula; pois eles usavam varias maneiras ao falar. Veja novamente:

Atos 2:38 – “...seja batizado em nome de Jesus Cristo.”
Atos 8:16 – “...haviam sido batizados em o nome do Senhor Jesus.”
Atos 10:48 – “...batizados em nome de Jesus Cristo.”
Atos 19:5 – “...foram batizados em o nome do Senhor Jesus.”
ATOS 10:42-48 E MANDOU QUE FOSSEM BATIZADOS EM "NOME DO SENHOR" (sem especificar qual senhor)


Vejam que os apóstolos usavam varias maneiras para falar e não somente uma. Logo podemos chegar a conclusão de que estas maneiras faladas por eles não eram uma formula batismal, se não todos eles teriam falado da mesma maneira. Por exemplo: Em nome de Jesus Cristo.
Ai todos teriam que seguir a formula de Pedro que foi o primeiro a falar em nome de Jesus, mas não. Um fala em nome de Jesus Cristo. Outro em nome do Senhor Jesus, e outro até em nome de um pronome de tratamento «Senhor».

Logo podemos ver que esta não era uma fórmula ensinada por eles pois a fórmula foi a que Jesus mesmo disse em Mateus 28:19. Foi da maneira de Mateus 28:19 que Jesus disse que devíamos batizar os novos conversos e é desta maneira que devemos batizar. Se Jesus quisesse que os novos conversos fossem batizados em nome de Jesus, ele teria falado abertamente com seus discípulos pois Jesus mesmo diz que com eles Ele falava abertamente e não por parábolas.

O que temos que levar em conta também é que o termo em nome de Jesus Cristo queria dizer pela autoridade que Jesus deu a eles (apóstolos) ou seja; é pela autoridade do nome de Jesus que nos batizamos os que crêem.

Antes do batismo existe a confissão de fé que todo Batizando tem que fazer. A confissão varia de pastor para pastor e de igreja para igreja, mas sempre antes do batismo o novo converso tem que confessar Jesus como filho de Deus e que veio ao mundo para salvar os pecadores. O novo converso também deve confessar diante de Deus seus pecados pedindo o perdão de Jesus e dizendo que vai procurar viver uma vida santa diante de Deus. Aí somente depois disso ocorre o batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Uma outra coisa que o unicismo com suas igrejas gostam de usar é o «Batizando-as em nome...» eles dizem que «em nome» esta no singular provando assim que é somente no nome de Jesus.

Vamos explicar um pouco sobre este assunto.

Vejam bem, quando Jesus fala em nome no singular e depois fala pluralmente Pai, Filho e Espírito Santo, ele esta mostrando a unidade da divindade. Um não é sem o outro. Pai, Filho e Espírito Santo formam um único Deus. Veja também. Em Gálatas 5 22 Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade...
Vejam que Paulo também aqui usa no singular «o fruto do Espírito é e não são:» aí vem falando de vários frutos. Porque ele usa no singular e depois fala de vários? Fazendo assim uma pluralidade? Por que todos este frutos ainda que individuais formam um só fruto. Um está embutido no outro. Assim também é a divindade. Ainda que cada ser da divindade é um ser distinto, eles formam um único Deus, logo a igreja voz da verdade não pode dizer o que diz pois isto é uma tremenda de uma contradição da parte deles.

A prova de que Jesus não era Deus pai está no verso abaixo
Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar… pedi e recebereis (João 16:22-23).

Se Jesus fosse Deus a quem ele chamava de pai enquanto na terra como poderia ele mandar os discípulos orarem assim como mencionei acima? Seria Jesus um louco? Doente mental?

Mas pai não é titulo e ninguém se chama pai, como dizem os unicistas? Como então Jesus sempre usa o pronome de tratamento «Pai « para se referir a Deus? E porque ele diz que devemos nos dirigir ao Pai (Deus) no nome dele, se ele é o próprio pai como dizem os unicistas? Eu acho que os unicistas pensam que as pessoas não tem juízo. Não sabem interpretar textos, são todas analfabetas. Só pode ser. Não sei como ainda tem pessoas que se deixam levar por tais doutrinas e ficam cegas em tais igrejas. Deixam até de ter comunhão com outros irmãos por que tais seitas proíbem.

Povo de Deus!! Vamos abrir os olhos!

Conclusão:

Segue-se que a declaração de Pedro, em Atos 2.38, “... cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo” não nos autoriza a rejeitar a fórmula que o próprio Senhor Jesus ordenou. Por isso, em Colossenses 3.17, está escrito: “E, quando fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai”. Conclui-se, pois, que a declaração apostólica “em nome de Jesus Cristo” equivale a “pela autoridade de Jesus Cristo”. Ademais, quem somos nós para revogar o que o Senhor Jesus disse em Mateus 28.19?

 
Veja que tudo tem que ser feito em nome de Jesus (autoridade) dando-se graças a Deus pai (Deus este que os unicismo dizem ser o próprio Jesus) Vejam que o apóstolo mandou fazer tudo em nome de Jesus dando graças a Deus pai. Cai por terra a doutrina unicista que diz que Deus Pai e Jesus é uma única pessoa com manifestações diferentes.


Só batizaríamos “em nome de Jesus”, se em Mateus 28:19 estivesse escrito assim: “Portanto, ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em Meu nome.” Como não está escrito dessa forma, preferimos ficar com o que ordena a Palavra de Deus.

0 comentários: