terça-feira, 23 de julho de 2013

Por que não creio na salvação de um Adventista?



Antes de apresentar as razões, quero fazer uma qualificação importante. Existem adventistas coerentes e incoerentes. Um adventista incoerente é aquele que não está confiante em assuntos exclusivistas da seita, crê em Cristo, e não pensa como a seita pensa em vários pontos problemáticos. Os adventistas coerentes são aqueles que estão plenamente alinhados com todos, ou com os mais problemáticos, postulados doutrinários da seita Adventista do Sétimo Dia. É deste tipo de adventista, coerente, que me refiro nesta postagem.

1º Razão: A teologia atual Adventista nega a inerrância bíblica. Apesar de encontrar evidência nos escritos de Ellen White que ela cria na inerrância bíblica, é por causa dela que a erudição adventista nega a inerrância bíblia, ficando junto com os teólogos liberais neste assunto.

2º Razão: A teologia Adventista inclui em seu sistema doutrinário a crença em Ellen White. Nenhuma denominação cristã de tradição protestante incluiu uma crença mística em seu fundador ou reformador (consulte a confissão de fé das Igrejas Históricas). Curioso que para ser Católico é preciso crer no Papa, para ser Testemunhas de Jeová é preciso crer no ‘Escravo Fiel’, para ser Mórmon é preciso crer em Joseph Smith, para ser do Tabernáculo da Fé é preciso crer em W. M. Branham. Para ser adventista, precisa crer no ministério profético de Ellen White. A maneira mais comum de definir uma seita é: um grupo que segue um líder humano.

3º Razão: A teologia Adventista enfraquece a suficiência da Escritura. Esse erro decorre do anterior. Os escritos de Ellen White está presente na vida espiritual do adventista como constante fonte de orientação para a igreja remanscente.

4º Razão: A teologia Adventista afirma que apenas a denominação Adventista é a Igreja Remanescente (isto é, a verdadeira Igreja!). Se a sua Igreja guardar o sábado, não significa que está certa. Segunda a seita adventista a Igreja Remanescente precisa de um sistema de crenças que inclua Ellen White, a reforma de saúde, que negue o tormento eterno, ensine a entrada de Jesus no santíssimo celestial em 1844, etc.

5º Razão: A teologia Adventista associa a salvação escatológica à guarda do sábado. Na prática, todo adventista sente que está salvo por causa do sábado, visto que a seita ensina que este é o selo de Deus. Mas oficialmente, dizem que no tempo da angustia final, na grande tribulação, esse será a marca da salvação.

6º Razão: A teologia Adventista considera o Domingo como marca da besta. O cristianismo, desde os seus primórdios, antes de cair na apostasia romana, guardava o sábado cristão, isto é, O Domingo, como celebração da ressurreição do Senhor, em lugar do sábado judaico. Na atualidade o espírito adventista odeia esse dia e o vê como um dia diabólico. Consideram assim, toda a herança cristã com erro demoníaco. Apesar de crerem que exista inocentes entre os ‘dominguistas’.

7º Razão: A teologia Adventista mistura a expiação de Cristo com a punição de Satanás. Esse erro de interpretação só terá influência quando, e até mesmo o mais coerente adventista dificilmente irá pensar logicamente aqui, desejar a punição de satanás para que seus pecados sejam finalmente expiados. O adventista coerente sabe que a expiação só estará completa quando o diabo for punido! 

8º Razão: A teologia Adventista atribui a restauração da verdade aos pioneiros, mesmo esses sendo antitrinitários. Como uma igreja que sabe que a doutrina da trindade é necessária para a existência do cristianismo, pode ver em heréticos antitrinitários o Espírito de Deus? Chama-os de ‘pais na fé’, aqueles que eram filhos das trevas.

9º Razão: A teologia Adventista diz que a principal verdade deles, e de Ellen White, é a doutrina de 1844. Segundo os adventistas, Jesus ficou no céu esperando desde sua ascensão até 22 de outubro de 1844 para entrar no santíssimo celestial e dar continuidade ao que iniciou na Cruz. Isto está em confronto direto com as afirmações da carta inspirada aos Hebreus.


CONCLUSÃO: Tais pontos cardeais da fé ADVENTISTA danificam o crer bíblico (Atos 16.31), a fé adventista não é a Fé [o conjunto de crenças cristãs do NT] que uma vez por todas foi dada aos santos (Jd 3,4). Não posso crer na salvação de um Adventista coerente.

Fonte: MCA

0 comentários: