quarta-feira, 23 de março de 2011

O Adventismo nega a inerrância da Bíblia!


Se antes você tinha dúvida que o Adventismo é um movimento herético, não tenha mais a partir de hoje. Se a crença em torno de Ellen White já não era suficiente, e a limitação da obra de Cristo em 1844 não lhe dava arrepios, acho que agora podemos fechar o cerco.

A crença protestante na Inerrância bíblica é uma questão de sobrevivência. Negar isso é dar as mãos ao liberalismo teológico e de fato, ao diabo.
O grande erudito adventista, o Dr Bacchiocchi escreveu: “A aceitação dessa posição é vista por muitos evangélicos como um divisor de águas da ortodoxia.” E ele está certo. Mas infelizmente, ele não concorda com isso. E diz: “Igualam a autoridade da Bíblia a sua inerrância, porque presumem que se não se puder demonstrar ser a Bíblia isenta de erros em questões não-religiosas, então nela não se pode confiar nas áreas religiosas mais importantes. Chegam ao ponto de reivindicar que os cristãos não podem ser legitimamente considerados evangélicos a menos que creiam na inerrância absoluta da Bíblia. A negação de tal crença supostamente conduziria à rejeição de outras doutrinas evangélicas e ao colapso de qualquer denominação ou organização cristã.”

Ele então desenvolve o tema, para minar a doutrina da inerrância.

Quais os motivos? Nessa página aqui está um resumo de sua argumentação. Nada do que ele disse a Declaração de Chicago e os eruditos ali presentes não tenham respondido desde então.(veja a Declaração).

Mas em minha opinião o verdadeiro motivo está no ponto 5 da argumentação do Dr Bacchiocchi: “5 — Uma razão final para a rejeição da inerrância absoluta, no caso dos adventistas, são os ensinos de Ellen White, e o exemplo da produção de seus escritos. Ela claramente reconhece o papel humano na produção da Bíblia.”(acrescentei grifo e itálico)


Observe o motivo real por de traz da blasfêmia adventista! Ellen White... Visto que os escritos dela teve erro, como ele mesmo sabe, então ele suja a Bíblia com mesma lama e diz que a Bíblia também é assim!

Em uma observação deixa mais uma vez a intenção escapar: “Os adventistas consideram os escritos de Ellen White como possuindo inspiração conceitual, e não verbal. Inclusive, ela mesma não rogava para seus escritos o grau de inerrância.”

Querido amigo adventista, abandone essa seita hoje! Essa seita nega a Palavra de Deus como inerrânte. Isso te aproxima do espiritismo, que usa a Bíblia mas nega sua inerrância.

Cristo é a verdade, não Ellen White (Jo 14.6).





fonte: http://mcapologetico.blogspot.com 

4 comentários:

Nuno disse...

Porque Cristo é a verdade, é que no pre-ambulo das crenças do adventistas do sétimo dia diz que eles têm somente a Bíblia como seu único credo, sabia?

Você primeiro fala depois pensa...

Para quem quiser se informar e clarificar estas asneiradas aqui do Sr. Peregrino, leia aqui o pre-ambulo da Igreja adventista do Sétimo dia:

A Doutrina de Deus
Os Adventistas do Sétimo Dia Crêem que...

As Escrituras Sagradas, o Antigo e o Novo Testamentos, são a Palavra de
Deus escrita, dada por inspiração divina por intermédio de santos homens de Deus que falaram e escreveram ao serem movidos pelo Espírito Santo. Nesta Palavra, Deus transmitiu ao homem o conhecimento necessário para a salvação.
As Escrituras Sagradas são a infalível revelação de Sua vontade. Constituem o padrão de caráter, a prova da experiência, o autorizado revelador de doutrinas e o registro fidedigno dos atos de Deus na História. – Crenças Fundamentais, 1

♪ ɱɑⓐuⓤʀⓘiciⓘØⓞ ۩۞۩รɛⓔʀѵØⓞɗɛⓔCɦʀⓘiรtØⓞ♪ disse...

Olá caro amigo Peregrino.

Em primeiro lugar gostaria de dizer que não sei se entendi bem o que nesse Dr Bacchiocchi quis dizer, mas veja só minha opinião.

A Bíblia é de fato não erra jamais, pois é a Palavra de Deus, e ele nunca erra, mas atualmente muitas pessoas reeditaram a Bíblia, fazendo novas versões revistas e atualizadas, e outras coisas mais, estes reeditores da Bíblia, querendo ou mesmo sem querer, podem ter compreendido mal alguns textos, e escrito da forma que eles entenderam.

Em Fim o que quero Dizer é que: Acredito assim como Você na infalibilidade da Palavra de Deus, mas Acredito também na Falibilidade do ser Humano.

Espero que Você tenha entendido.
Um Abraço Deus te Abençoe...

Joel Santana disse...

A defesa da inerrância da Bíblia, feita neste artigo de O Peregrino é de ótima qualidade. Ele prova que o Adventismo do Sétimo Dia nega a Bíblia, e refuta essa infeliz postura, de cadeira. Quanto ao fato de o Adventismo pregar, paralelamente, que "As Escrituras Sagradas, o Antigo e o Novo Testamentos, são a Palavra de Deus escrita, dada por inspiração divina por intermédio de santos homens de Deus que falaram e escreveram ao serem movidos pelo Espírito Santo. Nesta Palavra, Deus transmitiu ao homem o conhecimento necessário para a salvação. As Escrituras Sagradas são a infalível revelação de Sua vontade. Constituem o padrão de caráter, a prova da experiência, o autorizado revelador de doutrinas e o registro fidedigno dos atos de Deus na História", chamo a atenção para o fato de que o Adventismo prega que a Bíblia é tudo isso, mas só no que diz respeito às questões que implicam em salvação. O Adventismo prega que a Bíblia contém erros sobre História e ciência, e que isso não diminui o seu valor, porque isso não implica em salvação. Ademais, essa jogada, a saber, a de exaltar a Bíblia com um canto da boca, e negá-la com o outro canto da mesma boca, apenas demonstra o quanto essa seita é astuciosa. Para que o dito fique pelo não-dito, o Adventismo diz e desdiz com uma facilidade que só vendo.
Convém, ainda, que se note, que O Peregrino não discute neste seu maravilhoso texto, os erros inegáveis dos copistas e dos tradutores. Nenhum teólogo evangélico nega isso. O Peregrino prega a inerrância dos autógrafos. O Adventismo prega que os hagiógrafos erraram; e é a isso que O Peregrino rebate ex cathedra.
Parabéns, ó, Peregrino!
Pastor Joel Santana.





Joel Santana disse...

A defesa da inerrância da Bíblia, feita neste artigo de O Peregrino é de ótima qualidade. Ele prova que o Adventismo do Sétimo Dia nega a Bíblia, e refuta essa infeliz postura, de cadeira. Quanto ao fato de o Adventismo pregar, paralelamente, que "As Escrituras Sagradas, o Antigo e o Novo Testamentos, são a Palavra de Deus escrita, dada por inspiração divina por intermédio de santos homens de Deus que falaram e escreveram ao serem movidos pelo Espírito Santo. Nesta Palavra, Deus transmitiu ao homem o conhecimento necessário para a salvação. As Escrituras Sagradas são a infalível revelação de Sua vontade. Constituem o padrão de caráter, a prova da experiência, o autorizado revelador de doutrinas e o registro fidedigno dos atos de Deus na História", chamo a atenção para o fato de que o Adventismo prega que a Bíblia é tudo isso, mas só no que diz respeito às questões que implicam em salvação. O Adventismo prega que a Bíblia contém erros sobre História e ciência, e que isso não diminui o seu valor, porque isso não implica em salvação. Ademais, essa jogada, a saber, a de exaltar a Bíblia com um canto da boca, e negá-la com o outro canto da mesma boca, apenas demonstra o quanto essa seita é astuciosa. Para que o dito fique pelo não-dito, o Adventismo diz e desdiz com uma facilidade que só vendo.
Convém, ainda, que se note, que O Peregrino não discute neste seu maravilhoso texto, os erros inegáveis dos copistas e dos tradutores. Nenhum teólogo evangélico nega isso. O Peregrino prega a inerrância dos autógrafos. O Adventismo prega que os hagiógrafos erraram; e é a isso que O Peregrino rebate ex cathedra.
Parabéns, ó, Peregrino!
Pastor Joel Santana.