sexta-feira, 9 de julho de 2010

TJ: Profetas de Deus para hoje?

A Sentinela de 1o. de outubro de 1972, p. 581, publicação quinzenal da STV tem reivindicado ser o profeta de Deus para hoje. Disseram,

“Tem Deus algum profeta para ajuda-las, para adverti-las dos perigos e para declarar-lhes coisas futuras? A estas perguntas pode-se responder na afirmativa. Quem é este profeta? Esse profeta não era um homem, mas um grupo de homens e mulheres. Era o grupo pequeno dos seguidores das pisadas de Jesus Cristo, conhecidos naquele tempo como Estudantes Internacionais da Bíblia. Hoje são conhecidos como testemunhas de Jeová.”


Afirmam ainda,

“A organização visível de Deus hoje também recebe orientação e direção teocráticas. Na sede das Testemunhas de Jeová em Brooklyn, Nova Iorque, existe um corpo governante de anciãos cristãos de várias partes da terra que dão a necessária supervisão às atividades mundiais do povo de Deus. Este corpo governante é composto de membros do ‘escravo fiel e discreto’.” ... “sendo governados teocraticamente, seguem o exemplo do primitivo corpo governante em Jerusalém, cujas decisões baseavam-se na Palavra de Deus e eram feitas sob a direção do espírito santo.”
( Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra, p. 195 STV)

Para que as testemunhas de Jeová não se esqueçam de suas reivindicações de profetas de Deus para hoje, reiteram,

“Nenhum de nós deve querer ser igual a estes indecisos e impassíveis! É melhor saber agora, do que quando for tarde demais, que há uma classe autenticamente profética de cristãos entre nós e aceitar a mensagem bíblica...
“(“As Nações Terão de Saber Que Eu Sou Jeová”. , p. 270, STV).

Como profetas de Deus para hoje as Testemunhas de Jeová têm feito numerosas profecias. Uma das numerosas profecias feitas foi com relação ao ano de 1925. No livro Milhões Que Agora Vivem Não Jamais Morrerão, p.110 escreveram profeticamente: “... desde que outras escripturas definitivamente estabelecem o facto, de que Abrahão, Isaac e Jacob resussitarão e outros fieis antigos, e que estes seriam os primeiros favorecidos, podemos esperar em 1925 a volta desses homens fieis de Israel, ressurgindo da morte e completamente restituídos a perfeição humana, os quais serão visíveis e representantes da nova ordem das cousas na terra.”

Tanta era a certeza de John F. Rutherford, 2° Presidente da STV, escritor do livro em tela que compraram uma casa em San Diego, Califórnia, EUA, para receber os homens de Deus do passado, que seriam os representantes visíveis da nova ordem das coisas na terra.

Escreveram sobre a casa de Bet Sarim:

“... para ser usada presentemente pelo presidente da Sociedade e seus ajudantes, ficando depois disso para sempre à disposição dos príncipes da terra... Com certeza tudo na terra pertencerá ao Senhor, e nem o Senhor nem os príncipes precisam que outros lhes edifiquem casas; mas considerou-se bom e agradável a Deus que se edificasse a casa... como testemunho ao nome de Jeová, mostrando fé em seus propósitos expressos. A casa serviu como testemunho a muitas pessoas por toda a terra, e enquanto que os incrédulos mofaram e falaram dela desdenhosamente, ela ali permanece como um testemunho ao nome de Jeová; e quando os príncipes voltarem, se alguns deles fizerem uso dessa propriedade, isso confirmará a fé e a esperança que induziu a edificação da Bet-Sarim.
”Salvação, p. 276, STV.

O fracasso profético foi arrasador, dado que a profecia não se cumpriu e mais tarde, em 1942 nela faleceu o profeta que fizera a falsa profecia. Em 1946 a propriedade foi vendida. Escreveram elas no Anuário das Testemunhas de Jeová de 1976, p. 146:

“Veio e foi-se o ano de 1925. O seguidores ungidos de Jesus ainda estavam na terá como classe. Os homens fiéis da antiguidade – Abraão, Davi e outros – não foram ressuscitados para se tornarem príncipes na terra. Assim, como recorda Anna MacDonald: ‘1925 foi um ano triste para muitos irmãos. Alguns deles tropeçaram; suas convicções foram despedaçadas. Tinham esperado ver alguns dos ‘antigos dignitários’[homens de Deus da antiguidade, como Abraão] serem ressuscitados!”


Diria você, leitor, que a casa de Bet-Sarim foi realmente um testemunho eloqüente ao nome de Jeová e que prova a legitimidade desse profeta para os dias de hoje?


LUZ PROGRESSIVA OU TAPEAÇÃO PROGRESSIVA


Como tentam as Testemunhas de Jeová justificar seus erros proféticos? Citam costumeiramente para os seus opositores:

“(Provérbios 4:18) – “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.”

Os erros proféticos são tão freqüentes que já apelidaram as mudança de datas para acontecimentos proféticos como “pisca-pisca”. Entretanto, o versículo seguinte declara:

(Provérbios 4:19) – “O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem sabem em que tropeçam.”

O texto bíblico citado apoia profecias que não se cumprem? Certamente que não.

O TESTE BÍBLICO DE UM PROFETA

Jesus nos avisou que viriam falsos profetas bater à nossa porta e que deveríamos ter cuidado com eles,

(Mateus 7:15) – “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.”

Precisamos saber como identificá-los à luz da Bíblia. Ela nos dá os meios:

(Deuteronômio 18:20) – “Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.

(Deuteronômio 18:21) - E, se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o SENHOR não falou? (Deuteronômio 18:22) - Quando o profeta falar em nome do SENHOR, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele.”

As Testemunhas de Jeová também nos ajudam na pesquisa para diferenciarmos o profeta verdadeiro do falso. Escreveram,

“É verdade, houve aqueles que, em tempos passados, predisseram um ‘fim do mundo’, até mesmo anunciando uma data específica. Alguns ajuntaram grupos de pessoas a eles e fugiram para as colinas ou se retiraram para suas casas, aguardando fim. Todavia, nada aconteceu. O ‘fim’ não veio. Eram culpados de profetizar falsamente. Por quê? O que estava faltando? Faltava a plena medida de evidência exigida em cumprimento da profecia bíblica. O que tais pessoas não tinham eram as verdades de Deus e a evidencia de que Ele as guiava e usava.”
(DESPERTAI! 22 de abril de 1969, p. 23)

PARTINDO PARA A ZOMBARIA


A Sociedade Torre de Vigia afirma ser a organização visível de Deus na terra e recomenda aos seus associados que tenham fé nela. A SENTINELA de 1o. de setembro de 1979, capa de frente declara:

“TENHA FÉ NUMA ORGANIZAÇÃO VITORIOSA”.


Isso leva pessoas sinceras e honestas a crer que realmente estão na verdade e crer no que esses intitulados profetas para hoje proclamam como porta vozes de Deus. Entretanto, quando tais profecias não se cumprem e os incautos são zombados, a situação se torna realmente grave.

“Durante a Primeira Guerra Mundial, o pequeno grupo de irmãos italianos passou por um período de provas e purificação semelhante ao que ocorreu em outras partes do mundo. Em 1914 alguns Estudantes da Bíblia, como eram então chamadas as Testemunhas de Jeová, esperavam ser ‘arrebatadas em nuvens, para encontrar o Senhor no ar’, e criam que seu trabalho terreno de pregação havia chegado ao fim. Um relato ainda existente diz: ‘Um dia, alguns deles foram para um lugar isolado a fim de esperar o evento ocorrer. Entretanto, quando nada aconteceu, foram obrigados a voltar novamente para casa num estado mental bem deprimido. Como resultado, muitos destes caíram da fé.’ Cerca de 15 pessoas permaneceram fiéis, continuando a frequentar as reuniões e a estudar as publicações da Sociedade. Comentando sobre esse período, o irmão Remigio Cuminetti disse: ‘Em vez da esperada coroa de glória, recebemos um resistente par de botas para realizar a obra de pregação.’”

Quando se deposita fé numa organização humana, que se arroga divina, o fracasso é iminente.

Nossa fé deve ser depositada em Deus e em seu Filho Jesus Cristo (João 14:1) - “... credes em Deus, crede também em mim.” Senão o fizermos, podemos cair no ridículo de, em vez de ser arrebatados para encontrar o Senhor Jesus nos ares (1Ts 4.15-17), receber um par de botas dados para enganar os incautos,

“Olha o Armagedom!”, “Olha o Armagedom!”

Isto de porta em porta: datas fixadas para o Armagedom não cumpridas – 1914, 1924, 1941, 1975, 2000. Isso aconteceu com elas. Não deixe acontecer com você.

por: Natanael Rinaldi

0 comentários: