terça-feira, 6 de julho de 2010

Deus aboliu seus mandamentos?

Querido pastor Natanael, a paz do Senhor Jesus! Gostaria de explicações sobre a “abolição dos mandamentos de Deus”. Pois conheço alguns textos sobre a guarda dos mandamentos, inclusive do texto sobre o remanescente, descrito em Ap 12:17. A igreja de Cristo não precisa guardar os mandamentos de Deus?

Resposta do Pr. Natanael Rinaldi 12/06/10 18h54min,

Prezado Consulente (xxxx):

Embora não o conheça estimo que me tenha escrito com uma exposição sobre suas razões de guardar o sábado e pergunta:

"A igreja de Cristo não precisa guardar os mandamentos de Deus?"

Na verdade Jesus deu mandamentos aos seus seguidores mas nunca ensinou guardar o sábado. Por que será?

OS MANDAMENTOS DE JESUS

Reiteradamente encontramos na Bíblia a recomendação de Jesus para guardarmos seus mandamentos. As seguintes passagens assim indicam:

“Se me amardes guardareis os meus mandamentos.”(Jo 14.15);

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama.”( Jo 14.21);

“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que guardo os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.”(Jo 15.10)

“E nisto sabemos que o conhecemos se guardarmos os seus mandamentos. “(1 Jo 2.3);

“Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos.” (1 Jo 5.3).

A NATUREZA DOS MANDAMENTOS DE JESUS

A que Jesus se referia quando falava de seus mandamentos? Os ASD logo que encontram a palavra ‘mandamentos’ no Novo Testamento associam a palavra aos dez mandamentos. Não é , porém, correto esse modo de pensar. Jesus foi bem específico quando falou de seus mandamentos.

Vejamos a que Jesus se referia quando falava de mandamentos:

“Um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.” ( Jo 13.34);

“O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.”(15.12);

“O seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo seu mandamento.”( 1 Jo 3.23);

“E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também seu irmão.” (1 Jo 4.21);

“E agora, senhora, rogo-te, não como escrevendo-te um novo mandamento, mas aquele mesmo que desde o princípio tivemos: que nos amemos uns aos outros.” (2ª Jo 5) (o grifo é nosso) Notou o leitor que nada se fala de guardar o sábado?

O NOVO TESTAMENTO NÃO REPETE O QUARTO MANDAMENTO


Não há dúvida de que o Novo Testamento cita mandamentos do Velho Testamento. Cita mandamentos indistintamente de toda a Lei de Moisés, mas não repete o quarto mandamento em nenhum lugar. Façamos uma comparação dos dez mandamentos dentro do Novo Testamento:

VELHO TESTAMENTO

1. Mandamento - Ex 20.2,3
2. Mandamento - Ex 20.4-6
3. Mandamento - Ex 20.7
4. Mandamento - Ex 20.8-11
5. Mandamento - Ex 20.12
6. Mandamento - Ex 20.13
7. Mandamento - Ex 20.14
8. Mandamento - Ex 20.15
9. Mandamento - Ex 20.16
10. Mandamento - Ex 20.17

NOVO TESTAMENTO

1. At 14.15
2. 1 Jo 5.21
3. Tg 5.12
4. Não existe

5. Ef 6.1-3
6. Rm 13.9
7. 1 Co 6.9,10
8. Ef 4.28
9. Cl 3.9
10. Ef 5.3


RESPONDENDO OBJEÇÕES

Os adventistas como você costumam fazer perguntas capciosas e algumas delas estão relacionadas e as respectivas respostas:

1. Dizem que Jesus guardou o sábado e nós devemos também não guardá-lo.

Resposta:
Jesus guardou o sábado porque era judeu de nascimento e nasceu sob a lei (Gl 4.4) e portanto obedeceu a todas as leis do Antigo Concerto. Como exemplo de ser cidadão judeu foi circuncidado, ordenou a entrega de oferendas ao sacerdote pela purificação, guardou a festa da Páscoa, etc (Lc 2.21-24; 5.12-14; Mt 26.18,19). Mas quando morreu, Ele inaugurou uma nova aliança e revogou a velha (Jo 19.30; Mt 27.51). Se o fato de Jesus guardar a Páscoa não prova que nós também devamos guardá-la; como também quando se circuncidou não recomenda que devamos circuncidar-nos; da mesma forma, quando Jesus guardou o sábado, não implica que devamos guardá-lo.

2. Paulo guardou o sábado e sendo assim devemos também guardá-lo.

Resposta:
As Escrituras não ensinam isso. Havia um número de ocasiões em que Paulo ensinou em sinagogas no sábado (At 18.4). O sábado era o dia quando pessoas se juntavam na sinagoga e Paulo aproveitou-se dessas oportunidades para ensinar muitas pessoas procurando ganhá-las para Jesus Cristo. Explicou sua forma de agir fazendo tudo para ganhá-los (1 Co 9.19-23) Assim, circuncidou Timóteo (At 16.3) e declara que a circuncisão nada vale (Gl 5.2; 6.15); observou o Pentecoste (At 20.16); tosquiou a cabeça guardando voto (At 18.18); fez ofertas segundo a lei (At 21.20-26).Sua explicação para a observância de todas essas práticas judaicas está no desejo de ganhar os judeus para Cristo.

3. Jesus ordenou ao moço rico que guardasse os mandamentos e nós devemos guardá-los. Entre eles estava o sábado.

Resposta:
Não mandou Jesus que o moço rico guardasse o sábado (Mt 19.16-22). Jesus citou mandamentos fora do decálogo. Por exemplo: o mandamento de amar ao nosso próximo como a nós mesmos “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Lv 19.18) e “não defraudarás alguém” que se acha na passagem paralela de Mc 10.19 e que se encontra em Lv 19.13. Se somos obrigados a guardar o sábado por ter Jesus citado alguns dos mandamentos do decálogo, seremos obrigados também a guardar toda a lei de Moisés integrada por 613 mandamentos, pois Jesus citou mandamentos dela.

Em Gl 3.10 encontramos que, quem guarda uma parte da lei, se vê obrigado a guardar toda a lei para ser justificado por ela (Rm 4.4,5). E é óbvio que ninguém jamais cumpriu a lei (Gl 3.11; 2.16).

4. Jesus afirmou que não veio abolir a lei em Mt 5.17-19

Resposta:
A passagem de Mt 5.17-19 não diz que cada jota ou til da lei vai permanecer até que o céu e a terra passem, mas diz que não passarão ‘sem que tudo seja cumprido.” É o que se em Lc 16.16, “A lei e os profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele.” A permanência da lei dependia de quem a cumprisse e Jesus a cumpriu integralmente (Jo 19.30). O que Jesus asseverou não foi o tempo que a lei devia permanecer, mas a certeza do seu cumprimento. “Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê.” (Rm 10.4) Outras referências que apontam para esse fim da lei são Lc 24.44,45; At 13.29. A lei de que fala Jesus não é só o decálogo, mas toda a lei ou sejam 613 mandamentos e isso não interessa aos ASD saber, pois para eles só interessam os dez mandamentos para mostrar a obrigatoriedade da guarda do sábado.

Vejamos:

Jesus fala de três mandamentos do decálogo: fala do 6º no v. 21; do 7º no v. 27; e do 3º no v. 33;

Jesus falou de mandamentos fora do decálogo: ‘olho por olho” (Lv 24.20) no v. 38; do amor ao próximo (Lv 19.18) no v. 43. Jesus pois cumpriu toda a lei, inclusive o decálogo (Rm 10.4).

5.O sábado é um preceito perpétuo, logo devemos guardá-lo

Resposta:
Se somos obrigados a guardar o sábado por ser denominado ‘perpétuo’ (Ex 31.16,17), seremos obrigados também guardar os seguintes preceitos denominados perpétuos:

A páscoa era mandamento de um concerto perpétuo (Ex 12.14);

A circuncisão era mandamento de um concerto perpétuo (Gn 17.1-7,9-11; Lv 12.3);

Celebrar sábados anuais ou festividades (Lv 23.31-37);

Lavar as mãos e os pés (Ex 30.21)

6.O Decálogo é perfeito e seremos julgados pelo Decálogo–Ex 20.1-17.

Resposta:
Os dez mandamentos não foram gravados em pedras por serem superiores aos demais, mas para servirem de testemunho visível de toda a lei constante de 613 mandamentos. É por essa razão que: a) as tábuas da lei são chamadas de tábuas do testemunho (Ex 31.18); b) a arca na qual as tábuas foram colocadas foi chamada de arca do testemunho (Ex 40.5); c) o tabernáculo onde a arca era guardada é chamada de tabernáculo de testemunho (Ex 38.21). Era costume na época erigir-se algo visível para testemunhar acontecimentos solenes (Gn 28.18; 31.48) daí porque os dez mandamentos foram gravados em pedras e não porque fossem superiores aos demais.

0 comentários: