quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Estamos sujeitos aos Dez Mandamentos?

A QUE LEIS Deus deseja que obedeçamos? Precisamos obedecer aquilo que a Bíblia chama ‘a lei de Moisés’ ou, às vezes, “a Lei”? (1 Reis 2:3; Tito 3:9) É chamada também “a lei de Deus”, pois foi Ele quem a deu. (1 Crônicas 16:40) Moisés simplesmente transmitiu a Lei ao povo.

A lei de Moisés consiste em mais de 600 leis ou mandamentos individuais, incluindo os 10 principais. Conforme Moisés disse: “Então,vos anunciou ele [O Senhor] a sua aliança, que vos prescreveu, os dez mandamentos, e os escreveu em duas tábuas de pedra” (Deuteronômio 4:13; Êxodo 31:18, versão Almeida, IBB) Mas, a quem o Senhor deu a Lei, incluindo os Dez Mandamentos? Será que ele a deu a toda a humanidade? Qual era o objetivo da Lei?

A ISRAEL, COM UM OBJETIVO ESPECIAL

A Lei não foi dada a toda a humanidade. Deus fez um pacto, ou aliança, com os descendentes de Jacó que se tornaram a nação de Israel. O Senhor deu suas leis apenas a essa nação. A Bíblia torna isso claro em Deuteronômio 5:1-3 e no Salmo 147:19, 20.

O apóstolo Paulo perguntou: “Por que, então, a Lei?” Sim, com que objetivo O Senhor deu sua lei a Israel? Paulo respondeu: “Foi adicionada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem se fez a promessa. . . A Lei, por conseguinte, tornou-se o nosso tutor [ou mentor], conduzindo a Cristo.” (Gálatas 3:19-24) O objetivo especial da Lei era proteger e guiar a nação de Israel, de modo que estivesse pronta para aceitar a Cristo quando ele viesse. Os muitos sacrifícios exigidos pela Lei lembravam aos israelitas que eles eram pecadores que necessitavam dum Salvador. — Hebreus 10:1-4.

“CRISTO É O FIM DA LEI”

Jesus Cristo, naturalmente, era aquele prometido Salvador, como o anjo proclamou por ocasião de seu nascimento. (Lucas 2:8-14) Assim, quando Cristo veio e deu sua vida perfeita qual sacrifício, que aconteceu à Lei? Foi removida. “Não estamos mais debaixo dum tutor”, explicou Paulo. (Gálatas 3:25) A remoção da Lei foi um alívio para os israelitas. Ela os havia exposto quais pecadores, pois todos eles falharam quanto a obedecer àquela Lei perfeitamente. “Cristo nos resgatou da maldição da Lei ficando amaldiçoado por nós”, disse Paulo. (Gálatas 3:10-14 - Moffatt) Assim, a Bíblia também diz: “Cristo é o fim da Lei.” — Romanos 10:4; 6:14.

A Lei realmente servia qual barreira ou “muro” entre os israelitas e os outros povos que não estavam sujeitos a ela. Pelo sacrifício de sua vida, contudo, Cristo “aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz”. (Efésios 2:11-18) Concernente à ação tomada pelo próprio Deus quanto à lei de Moisés, lemos: “Ele nos perdoou bondosamente todas as nossas falhas e apagou o documento manuscrito que era contra nós, que consistia em decretos [incluindo os Dez Mandamentos] e que estava em oposição a nós [porque condenava os israelitas quais pecadores]; e Ele o tirou do caminho por pregá-lo na cruz.” (Colossenses 2:13, 14) Assim, com o sacrifício perfeito de Cristo, a Lei chegou ao fim.

Alguns, porém, dizem que a Lei está dividida em duas partes: Os Dez Mandamentos e as demais leis. O que findou, dizem eles, são as demais leis, mas os Dez Mandamentos permanecem. Mas isso não é verdade. No seu Sermão do Monte Jesus citou dos Dez Mandamentos bem como de outros trechos da Lei, e não fez distinção entre eles. Assim, Jesus mostrou que a lei de Moisés não estava dividida em duas partes. — Mateus 5:21-42.

Note, também, o que o apóstolo Paulo foi inspirado por Deus a escrever: “Agora fomos exonerados da Lei.” Será que os judeus foram exonerados apenas das leis que não eram os Dez Mandamentos? Não, pois Paulo prossegue: “Realmente, eu não teria chegado a conhecer o pecado, se não fosse a Lei; e, por exemplo, eu não teria conhecido a cobiça, se a Lei não dissesse: ‘Não deves cobiçar.’” (Romanos 7:6, 7; Êxodo 20:17) Visto que “não deves cobiçar” é o último dos Dez Mandamentos, segue-se que os israelitas foram exonerados também dos Dez Mandamentos.

Significa isso que a lei sobre guardar um sábado semanal que é o quarto dos Dez Mandamentos, também foi removida? Sim, foi. O que a Bíblia diz, em Gálatas 4:8-11 e em Colossenses 2:16, 17, mostra que os cristãos não estão sob a lei de Deus dada aos israelitas, com o seu requisito de guardar o sábado semanal e observar outros dias especiais no ano. Que guardar um sábado semanal não é um requisito cristão pode-se deduzir também de Romanos 14:5.

LEIS QUE SE APLICAM AOS CRISTÃOS

Significa isso que, uma vez que os cristãos não estão sob os Dez Mandamentos, não precisam obedecer a lei alguma? De modo algum. Jesus instituiu um “novo pacto”, baseado no sacrifício melhor de sua própria vida humana perfeita. Os cristãos vêm a estar sob este novo pacto e estão sujeitos às leis cristãs. (Hebreus 8:7-13; Lucas 22:20) Muitas dessas leis foram tiradas da lei de Moisés. Isso não é inesperado ou incomum. Algo similar muitas vezes acontece quando um novo governo assume o controle do país. A constituição sob o antigo governo talvez seja cancelada e substituída, mas a nova constituição talvez conserve muitas das leis da antiga. De modo similar, o pacto da Lei acabou, mas muitas de suas leis e princípios básicos foram adotados no cristianismo.

Note como esse é o caso ao ler os Dez Mandamentos, e, daí, compare-os com as seguintes leis e ensinamentos cristãos: “É o Senhor, teu Deus, que tens de adorar.” (Mateus 4:10; 1 Coríntios 10:20-22) “Guardai-vos dos ídolos.” (1 João 5:21; 1 Coríntios 10:14) “Pai Nosso que estais no céu, santificado seja o teu nome.” (Mateus 6:9) “Filhos, sede obedientes aos vossos pais.” (Efésios 6:1, 2) E a Bíblia torna claro que o assassinato, o adultério, o roubo, a mentira e a cobiça também são contrários à lei cristã. — Apocalipse 21:8; 1 João 3:15; Hebreus 13:4; 1 Tessalonicenses 4:3-7; Efésios 4:25, 28; 1 Coríntios 6:9-11; Lucas 12:15; Colossenses 3:5.

Embora os cristãos não estejam sob a ordem de guardar um sábado semanal, aprendemos algo desse arranjo. Os israelitas descansavam dum modo literal, mas os cristãos devem descansar dum modo espiritual. Como? Por causa da fé e obediência os verdadeiros cristãos deixam de praticar obras egoístas. Estas obras egoístas incluem os empenhos de estabelecer a sua própria justiça. (Hebreus 4:10) Este descanso espiritual é observado não apenas num dia por semana, mas em todos os sete dias. O requisito da lei do sábado literal, de reservar um dia para interesses espirituais, protegia os israelitas contra usarem egoistamente todo o seu tempo no empenho em prol de sua própria vantagem material. Aplicar este princípio todo dia dum modo espiritual é uma proteção ainda mais eficaz contra o materialismo.

De modo que os cristãos são instados a ‘cumprir a lei do Cristo’, em vez de guardarem os Dez Mandamentos. (Gálatas 6:2) Jesus deu muitos mandamentos e muitas instruções, e, pela nossa obediência a tais, obedecemos à sua lei ou a cumprimos. Em especial, Jesus acentuou a importância do amor. (Mateus 22:36-40; João 13:34, 35) Sim, amar os outros é uma lei cristã. É a base da inteira lei de Moisés, como diz a Bíblia: “Pois a Lei inteira está cumprida numa só expressão, a saber: ‘Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.’” — Gálatas 5:13, 14; Romanos 13:8-10.

A lei dada por meio de Moisés, com os seus Dez Mandamentos, era um conjunto de leis justas da parte de Deus. E, embora não estejamos sob tal lei hoje, os princípios divinos por trás dela ainda são de grande valor para nós. Por estudá-los e aplicá-los aumentaremos em apreço pelo grande Legislador, Deus. Mas, devemos estudar e aplicar em nossa vida especialmente as leis e os ensinos cristãos. O amor a Deus nos moverá a obedecer a tudo o que ele agora requer de nós. — 1 João 5:3.

0 comentários: