terça-feira, 5 de maio de 2009

Ainda sobre o Sábado

Um dos argumentos mais comuns dos adventistas é dizerem que os dez mandamentos são a base moral do universo. Este batido argumento que só poderá satisfazer pessoas leigas e neófitos, tem sido sempre bem usado para manter o adepto lançando seus dízimos nos cofres da instituição, mas veremos como esta proposição é absolutamente inviável.

A.Dizem os adventistas: “então podemos matar, roubar, transgredir o sábado, etc. porque não estamos debaixo da lei dos dez mandamentos”?

B.Esta pergunta é calçada em 1ª João 2:4 onde se lê: “aquele que diz: eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos é mentiroso e nele não está a verdade”.

C.Ora, aonde, na Lei de Cristo existe autorização para uma vida em que possamos matar, roubar, não guardar o sábado, etc? Onde foi que Cristo gastou um só minuto para apontar este tipo de lógica? Trata-se de uma pergunta capciosa e desesperada. O assunto não pode ser entendido com este tipo de discussão de lavadeiras de beira de rio. Estamos falando de soteriologia e de vidas que dependem de uma correta compreensão de significou o fim do velho pacto e do início e implantação do novo pacto.

D.As próprias Igrejas ditas protestantes e evangélicas não entendem muito bem este negócio e não conseguem fazer uma justa separação entre a função da Lei de Cristo, da Lei de Moisés e do Evangelho do Reino. A falta desta compreensão das funções de cada uma destas bases é a chave de toda a incompreensão sobre a salvação e a santificação.

E.Os pecados identificados nos dez mandamentos são conhecidos de toda a humanidade em princípio, como explica Paulo em Romanos 2:13-16. Paulo diz que estes gentios que conhecem naturalmente a “justiça de Deus” (Romanos 1:32), estão condenados se faltarem diante de Deus com suas obrigações por aquilo que conhecem (Atos 17:30).

Porque lhes dou testemunho de que têm zelo por Deus, mas não com entendimento.
Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à justiça de Deus.
Pois Cristo é o fim da lei para justificar a todo aquele que crê.
Porque Moisés escreve que o homem que pratica a justiça que vem da lei viverá por ela.

F.Quem vive sob a égide da lei dos Dez Mandamentos viverá por eles e quem vive sob a égide de Cristo viverá sob o Seu Espírito.

G.Um estudo comparativo destas duas bases de sustentação demonstrará que não estamos mais presos a nenhuma contextualização levítica. A Doutrina do Santuário conforme exposta pelos adventistas é uma séria intromissão na infra-estrutura do Sacerdócio de Cristo como Sumo-Sacerdote da Ordem de Melquisedeque. Eles não sabem ler que o velho concerto é a mesma coisa que os dez mandamentos e que houve uma mudança de sacerdócio e de lei pela chegada do novo concerto.

H.Como base final desta heresia adventista, seus membros são levados a uma condição terrível de “viver pela lei dos dez mandamentos, para poder viver eternamente”. Onde está escrito isto? Entre outros lugares, está escrito nesta citação whiteana:

Todos os que verdadeiramente se tenham arrependido do pecado e que pela fé hajam reclamado o sangue de Cristo, como seu sacrifício expiatório, tiveram o perdão aposto ao seu nome, nos livros do Céu; tornando-se eles participantes da justiça de Cristo, e verificando-se estar o seu caráter em harmonia com a lei de Deus, seus pecados serão riscados e eles próprios havidos por dignos da vida eterna.

4 comentários:

Nuno disse...

1. "...os dez mandamentos são a base moral do universo."

Respostas:
João 5:3
"Porque este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são penosos."

1 João 3:21-24
"Amados, se o coração não nos condena, temos confiança para com Deus; e qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista. Ora, o seu mandamento é este, que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, como ele nos ordenou.Quem guarda os seus mandamentos, em Deus permanece e Deus nele. E nisto conhecemos que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos tem dado.

1 João 2:3-6
E nisto sabemos que o conhecemos; se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade; mas qualquer que guarda a sua palavra, nele realmente se tem aperfeiçoado o amor de Deus. E nisto sabemos que estamos nele; aquele que diz estar nele, também deve andar como ele andou.

--------------------------------

“viver pela lei dos dez mandamentos, para poder viver eternamente”. Onde está escrito isto?

João 14:1-15
lê isto e repara bem no verso 15:
"Se me amais, guardareis os meus mandamentos"

Apocalipse 4:8b
...Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, aquele que era, e que é, e que há de vir.

Apocalipse 14:12
Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

Apocalipse 19:10
Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: Olha, não faças tal: sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.

Judas 1:20-21
Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, conservai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.

------

Se amas a Jesus e queres ter a vida eterna então guarda também os Seus mandamentos pois:

Eclesiastes 12:12
Este é o fim do discurso; tudo já foi ouvido: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é todo o dever do homem

Venâncio disse...

"Pois Cristo é o fim da lei para justificar a todo aquele que crê."

é a lei cerimonial pois Cristo é o cordeiro de Deus que tira o Pecado de Deus. Não é necessário mais mortes pois Ele foi o sacrifício perfeito pela expiação dos pecados de todo o homem.

Anônimo disse...

Quando se refere a Cristo ser o fim da lei, a palavra fim é utilizada como sinônimo de finalidade não de final.

O Peregrino disse...

O termo “fim” pode ter dois sentidos na língua grega: 1) A ideia de conclusão ou término; 2) Perfeição ou cumprimento.

Ligado ao sentido de “perfeição ou cumprimento” o termo “fim” traz a ideia de “fim de intenção”, ou seja, a intenção que Deus tinha em dar a Lei.

Ligado ao sentido de “término ou conclusão”, o termo “fim” pode muito bem se referir à Lei cerimonial, mas não pode ser restrita a este conceito, pelo fato de Paulo estar falando de uma Lei que produz justificação.

No sentido de cumprimento ou perfeição, podemos fundamentar esta verdade em outro texto como, Gl 3:24. Cristo é a perfeição e o cumprimento da exigência da Lei de Deus.

Mas, contextualmente, o texto afirma que Cristo é o fim, o término de toda tentativa inútil de justificação pelas obras da Lei. Essa era a tentativa inútil dos fariseus, os quais Paulo estava rebatendo neste texto. A prova deste argumento são os versículos seguintes.

Podemos então extrair três sentidos em que Cristo é o fim da Lei:

1. Que Jesus é a intenção da Lei. A Lei sempre conduz o homem a Cristo.

2. Que Jesus é a total satisfação da Lei de Deus, pois só ele pode cumprir as exigências da Lei. Ele é a perfeição e o cumprimento da Lei.

3. Que Jesus põe fim a toda tentativa errônea de se chegar a Deus por uma justiça própria.

Todas estas verdades têm argumento bíblico.