sexta-feira, 5 de setembro de 2008

OCULTISMO NA TORRE DE VIGIA

A SOCIEDADE TORRE DE VIGIA, que lidera a obra das Testemunhas de Jeová no mundo inteiro, foi acusada de envolvimento com o ocultismo esotérico ao colocar certos desenhos ocultos nas gravuras de suas revistas e livros. O membro que fez tal acusação, o sr. Darek Barefoot, foi sumariamente desassociado (banido) do Salão do Reino e proibido de divulgar a sua descoberta. Todos os seus parentes que tomaram conhecimento de suas pesquisas também foram desassociados por não terem comunicado à Sociedade de antemão.

Entre as Testemunhas de Jeová prevalece um código de silêncio em que a Sociedade Torre de Vigia obriga os demais membros a cortarem relações com o membro desassociado do grupo, até mesmo negando-lhe a fala! Nem mesmo é permitido cumprimentá-lo! (A Sentinela l5.l2.81) Todas as Testemunhas de Jeová observam fielmente este “código” com medo de serem desassociadas. Desta forma, a Sociedade fica protegida e o assunto é esquecido. Outras vezes, ela publica em suas revistas matérias para alertar os seus membros a não darem ouvidos a boatos ou rumores infundados sobre ela. Foi assim com a revista “Despertai!” de 8.2.89, em que a Sociedade escreveu que era ridículo tal assunto sobre imagens ocultas em suas literaturas, e que os leitores não deveriam dar crédito a tais acusações. Desta forma encerrou o assunto. Contudo, em outra edição, procurando atacar a igreja católica e suas imagens de Maria, ela disse que uma “organização que assume um papel significante no mundo deve estar disposta a ser esmiuçada e criticada, e que os que criticam têm a obrigação de ser verdadeiros na apresentação dos fatos “ (V. “Despertai!” 22.l2.84 p. 28)

Mas, aplica a Sociedade Torre de Vigia este princípio a si mesma? (Romanos 2:21) Isto não parece acontecer; pois, ao escrever novamente sobre a igreja católica e suas imagens de mãe e filho da Virgem Maria, disse que “as similaridades com a deusa pagã Ísis são numerosas demais para serem meras coincidências”. ( Sentinela l.7.91, p. 7)

A fusão de imagens consiste num processo em que um desenhista habilidoso consegue executar um desenho principal sem que um outro secundário seja notado abertamente. Isto acontece ao se transformar o desenho secundário em rugas ou traços que confundem a visão do observador leigo. Assim, são colocados outros desenhos e certas letras esotéricas que transmitem idéias e ensinamentos herméticos.

Este artifício foi utilizado amplamente por escritores e pintores renascentistas para fugirem das críticas e perseguições da Igreja na época da escuridão religiosa. Pintores famosos, tais como: Leonardo Da Vince e Miguel Angelo usaram amplamente esses métodos em suas pinturas famosas. (Ex.: “A Última Ceia”, “A Criação do Mundo”, etc.) No Brasil, um escultor famoso, conhecido como “Aleijadinho”, usou muitos sinais cabalísticos para divulgar secretamente a sua identidade com a Maçonaria Templária, que era perseguida pela igreja católica naquela época. Esse escultor, mesmo trabalhando para a igreja católica, deixou suas “marcas maçônicas” em suas obras de arte. Até mesmo os nomes de seus “Onze Profetas” formam o seu nome, numa espécie de acróstico: “Aleijadinho”! Os dedos de alguns dos seus profetas estão dispostos de certa forma que lembra a letra “M” ( de Maçonaria), que era uma forma secreta de comunicação entre os maçons do século XVIII. Este código é usado amplamente pela Sociedade Torre de Vigia em suas ilustrações. Coincidência? Dificilmente poderia ser coincidência, já que as incidências são “numerosas demais”. Vejamos: Letras Esotéricas: “A”, “E”, “ES”

Essas letras são usadas por várias sociedades secretas e têm vários significados. Entre eles, podemos ver a letra “A” significando uma espécie de sociedade que prevaleceu no período Hippie: a “Sociedade Alternativa”. Representa também um talismã (pentáculo) onde o nome do portador é posto entre as pernas desta letra para sua proteção. Representa também o “pentagrama”, ou estrela de cinco pontas, que é o símbolo esotérico do homem perfeito e, de forma invertida, representa o diabo ou o homem decaído.

A letra “E” representa o mesmo pentagrama, pois é a Quinta (5) letra do alfabeto hebraico antigo e do alfabeto grego e latino! As letras “ES” ou “S E” juntas aparecem no “Manual de Magia” , de Papus, como representando o nome cabalístico do Sol. Também, entre os Dervixes, uma seita mágica dos muçulmanos, essas letras simbolizam o Deus Absoluto (En Soph ou “ES”) – Veja o livro ”Os Sufis”, da editora Cultrix.

Essas letras aparecem com certa freqüência em várias figuras que ilustram os livros e revistas da Sociedade Torre de Vigia. Elas podem ser vistas com certa facilidade em alguns desenhos, uma vez conhecido o seu segredo, ou seja, procurando-as entre o desenho principal!

0 comentários:

TESTEMUNHO EX TJ.

Sou desassociada há mais de 15 anos. Fui o que consideravam uma irmã exemplar. Era pioneira regularmente, participava da escola do Ministério Teocrático e fazia algumas partes em Assembleias e Congresso. Minha mãe é testemunha de Jeová, minha irmã e meu cunhado já foram pioneiros especiais.


Um pouco antes da desassociação, estava confusa por conta da minha sexualidade.


Então resolvi, conversar com os anciãos, porque, eles deveriam ser o meu ponto apoiador. Falei que nunca tinha tido contato sexual com qualquer pessoa que fosse e que queria entender porque eu estava despertando certos desejos dentro de mim.


Um ancião em especial me disse que esses sentimentos eram inaceitáveis e que eu teria que ser desassociada para servir de exemplo.

Fui para casa desolada e envergonhada.


Não sabia como iria dar essa notícia a minha mãe. Tomei coragem e finalmente contei. Para fugir da vergonha, resolvi viajar até depois que fosse anunciada publicamente a minha desassociação. Alguns dias depois, já em outra cidade, recebi uma ligação da minha mãe dizendo que eu deveria voltar, qe o tal ancião voltou atrás na sua decisão e que eu poderia voltar a assistir as reuniões e retomar minhas atividades na congregação. Dessa vez, foi minha vez de dizer que eu é quem queria agora virar as costas para uma organização tão monstruosa.

Depois disso, fui atacada de várias formas. No casamento da minha irmã, meu cunhado foi orientado por esse mesmo ancião a me expulsar na frente de todos os convidados e da minha família. Hoje, vivo tranquila. Tirei meus medos e não sinto vergonha e sim alívio de ter me afastado de pessoas de tão pouco amor ao próximo.


Atenciosamente,


Sandra Assis.