sábado, 26 de maio de 2018

A Doutrina da Trindade e as Testemunhas de Jeová – algumas reflexões

Grupos religiosos como os Muçulmanos, Judeus, Testemunhas de Jeová, Tabernáculo da Fé, Voz da Verdade, Adventistas e seus pioneiros, Espíritas, entre outros, assumem uma postura muito rude contra a doutrina trinitariana clássica. Há em especial em algumas seitas uma ferocidade em atacar essa doutrina de Deus que foge o normal; 'Pagã, diabólica, contraditória, não bíblica, inventada por Constantino', etc, são termos que lemos e ouvimos quando tais pessoas se manifestam contra a doutrina da Trindade. Nessa postagem tratarei de alguns reflexões tendo em vista um grupo específico – As Testemunhas de Jeová.

Sabe-se que a rejeição da doutrina trinitariana entre as Testemunhas de Jeová nasceu logo no início quando Charles Russel recebeu influencias de adventistas antitrinitarianos, e de outros, lá pelos idos de 1870 em diante. George W. Stetson, George Storrs, são nomes que não devem ser dispensados na reconstrução das causas de Russel negar a trindade e a ‘mortalidade’ da alma [Nelson Barbour foi o grande mentor das doutrinas cronológicas de Russel, o que deu início a doutrina de 1914] – Testemunhas de Jeová - Proclamadores do Reino, pp 44-49. Russel já havia em anos antes fracassado na fé. Nasceu presbiteriano e depois se tronou congregacional, ao debater com um ateu sobre o inferno se viu em apuros. Com essa incapacidade se viu aberto qualquer tipo de crença não bíblica, tanto que anunciou o fim do mundo para uma data calculada, a despeito da advertência de Jesus em Mateus 24.36.

Percebemos o que é comum entre as Testemunhas de Jeová, e como era de se esperar, na abordagem crítica, imprecisões do que é realmente a doutrina, são embrulhadas em meio a afirmações não compartilhadas pelos trinitarianos, surgindo mais uma caricatura do que uma exposição honesta. Russel disse que os trinitarianos formaram “a doutrina dos três Deuses” (ibidem, p. 125). O que o é severamente negado por qualquer trinitariano – tanto em seus Credos bem como em seus manuais doutrinários. A Bíblia diz que há UM só Deus verdadeiro. Se as Testemunhas incluem a conclusão delas na critica, deveriam deixar isso bem claro.

Por que a doutrina da Trindade foi formulada nos termos que aparecem nos Credos?

Em primeiro lugar, deve ser dito que os Credos não conceberam a doutrina da Trindade, eles formularam as definições que estão distribuídas e pressupostas na Bíblia, isto é, ela veio de bases Escriturísticas, explicitas e implícitas. A Bíblia coloca as três pessoas – Pai, Filho e Espírito Santo - constantemente em unidade de trabalho, propósito, nome, divindade e honra, ainda que em certas pessoas divinas essas características na Bíblia foram mais, ou menos, expostas. 

Os trinitários ao se depararem com uma Bíblia que diz que há um só Deus verdadeiro que deve ser honrado e adorado, e percebendo que isso é dito de outras pessoas divinas (o Filho e o Espírito), não poderiam sobrepor uma porção da Escritura sobre outras, antes unir tais afirmações reveladas e confessar o que tem diante de si. Ainda que ao confessar não tenham condições plenas de explicar isso de forma que satisfizesse todas as nossas indagações racionalistas, não por que a Trindade é irracional, mas por falta de analogia plena em nossa experiência e natureza, ainda assim mantiveram o que em alguns momentos é confessado como mistério.

Se considerarmos que nossa humanidade tende a expor aquilo que lhe é peculiar, aquilo que forma sua percepção, e levando em consideração que não há nada na experiência humana que se assemelhe plenamente com a Divindade, nessa perspectiva, a doutrina trinitariana é um resultado irresistível de um testemunho externo aos homens, não algo vindo deles. E como disse o Teólogo Louis Berkhof, “a doutrina da Trindade depende decisivamente da revelação.” (Teologia Sistemática, p. 81). Diante do desafio ‘lógico’, e falta de analogia satisfatória - (embora existam algumas úteis), e ainda manter tal doutrina, somente a revelação especial manteria a força necessária na Igreja, ao promover e defender uma doutrina que sobrepõe nossa capacidade.

Quais argumentos, portanto, que sustentam a defesa da doutrina trinitariana?

Como já foi mencionado, decorre de três linhas de evidencias bíblicas.

1. Da asseveração bíblica do ÚNICO DEUS.
2. Da asseveração bíblica de atribuir distintamente àquilo que pertence a Deus às outras pessoas além de Deus Pai – a saber, o Filho e o Espírito.
3. Da asseveração bíblica de colocar eles em um mesmo patamar, muitas vezes ontologicamente e economicamente (em funções diferentes, porém igualmente necessárias).

Unidas essas realidades bíblicas, temos por fim – inevitavelmente, a doutrina da divindade, chamada de Trindade. Se você, porém, se orientar pelo motivo 2, apenas, e subjugar os pressupostos 1 e 3, você chegará ao triteísmo. Se você partir do 1, condicionar o 2 e o 3, será o henoísmo. Vai crer em um Deus maior e vários deuses menores. Começar do 3 e sobrepor ao 1 e 2, será um modalista. O monoteísmo bíblico não é o mesmo do monoteísmo islã nem judaico, pois ambos negam a divindade do Filho. E não há Deus sem o Verbo, assim como não há sem o Espírito.

O que as Testemunhas de Jeová fazem?

Primeiro que nem mesmo o único deus que eles creem existir, é um Deus verdadeiro. Segundo a Torre de Vigia, Deus não é nem onisciente (constantemente) nem onipresente. Esse, portanto não é Deus, mas um falso e fraco deus. A influência  Sociana é notória na teologia da Torre de Vigia. Bem possível que o falso e fraco Jeová do Corpo Governante nem saiba que eu esteja falando mal dele aqui... a não ser que ele ‘conecte-se’, ou nos dizeres do livro Raciocínios, “sintonize”. Segundo, o Corpo Governante acaba fazendo desse fraco deus, o único Deus Verdadeiro, e Jesus um deus menor, menor ainda que aquele fraco deus. As Testemunhas de Jeová se encaixariam em um tipo de henoismo, embora teriam algo a se justificar, já que afirmam adorar apenas o deus maior. Mesmo que digam dar adoração relativa a Jesus, o que é melhor chamar de “prestar homenagens”, como fazem.

Portanto, a liderança das Testemunhas de Jeová fez o seguinte: Desnudou Deus Pai de seus atributos, despiu Cristo de sua Divindade e arrancou do Espírito Santo a sua personalidade – o que sobrou? Um falso deus não bíblico. E insiste em dizer que o Deus Cristão, em sua definição trinitariana, não é bíblica. 



0 comentários: