sábado, 24 de fevereiro de 2018

Os cristãos podem ter dúvidas a respeito de Deus?

Traduzido por Juliana Pellicer Ruza – Artigo original aqui.

Todo cristão já teve dúvidas em algum ponto de sua vida cristã. Somos todos criaturas finitas. Não conhecemos todas as coisas. Algumas vezes entendemos as coisas de forma errada. E essa possibilidade pode nos fazer duvidar de nossas crenças.

Mas isso não é exclusividade dos cristãos. Todos têm dúvidas. Então a questão não é verdadeiramente “Cristãos podem ter dúvidas?”, mas sim, “O que devemos fazer quando as dúvidas surgirem?”

Dúvidas podem ser uma coisa boa. Elas podem nos fazer olhar mais de perto no que acreditamos e porque acreditamos nisso. Por exemplo, um cristão que está passando por um período de sofrimento pode não sentir a presença de Deus na sua vida, e pode ter algumas dúvidas sobre a existência de Deus. Isto força aquela pessoa a refletir em como ele ou ela sabe que Deus é real. A sua fé em Deus é apenas baseada nas emoções ou é baseada em evidências?

Nossos sentimentos sobre a presença imediata de Deus podem ir e vir, mas isso não muda o fato. Aqueles que tem um bom sentido sobre Deus – quem ele é e o que ele fez – podem se firmar sobre essas rochas de convicção em tempos de dúvida. Isto porque estas convicções são baseadas em firme evidência, não em emoções inconstantes.

Vemos isto acontecer nas Escrituras. Quando João Batista foi preso por sua fidelidade a Deus, ele foi afligido por dúvidas acerca de Jesus. Na verdade, João, por meio de seus discípulos, pergunta a Jesus “És tu aquele que haveria de vir ou devemos esperar algum outro?”

Lembre-se, este é o mesmo João que, uma vez, saltou no ventre de sua mãe ao som da voz de Maria. Este é o mesmo João que confiantemente declarou “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!” Este é o mesmo João  que batizou Jesus e ouviu a voz do céu que dizia, “Este é meu filho amado, em quem me comprazo.”

Mas agora João está em uma prisão romana, esperando uma provável execução e está se perguntando se entendeu tudo errado. Ele passou a vida proclamando que o Messias viria e queimaria a palha com fogo inextinguível, mas a palha não está se queimando. Eles estão festejando. Então João começa a duvidar. Agora note a resposta de Jesus aos discípulos de João: “Jesus respondeu: Voltem e anunciem a João o que vocês estão ouvindo e vendo: os cegos vêem, os mancos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados e as boas novas são pregadas aos pobres; e feliz é aquele que não se escandaliza por minha causa.” (Mt 11:4-5)

Jesus não diz a João para olhar para dentro do seu coração, em busca de algum sentimento subjetivo. Ele não diz a João para ignorar suas dúvidas e apenas crer cegamente. Ao invés disso, Jesus aponta para a evidência objetiva e substancial de quem ele é. Os cegos estão vendo. Os mancos estão andando. Os surdos estão ouvindo. Em suma, Jesus diz a ele para crer com base nas obras que ele está fazendo.

Note também que Jesus nunca repreende João por duvidar. Ele não questiona a sua espiritualidade ou chama João de um mau cristão.
Pelo contrário, Jesus diz, “Digo-lhes a verdade: entre os nascidos de mulher, não surgiu ninguém maior do que João Batista; todavia, o menor no reino dos céus é maior do que ele.” (Mateus 11:11). Lembre-se, Jesus diz isso depois de João ter vacilado em sua fé.

Há dois destaques práticos para todo cristão nesta troca entre Jesus e João Batista. Primeiro, levante suas dúvidas. Não as suprima; exprima-as. Dúvidas que são ignoradas e deixadas sem resposta podem levá-lo ao desespero. Ao invés disso, siga o exemplo de João Batista e articule suas dúvidas.

Algumas vezes nós podemos ter vergonha de admitir que temos dúvidas, especialmente se estamos em posições de liderança na igreja. Tenha bom ânimo. Se o profeta João Batista pode levar suas dúvidas a Jesus, você também pode.

Uma vez que você tenha levantado suas dúvidas, não pare aí.
Em segundo lugar, questione suas dúvidas. Tente enquadrar suas dúvidas em questões e então busque boas respostas. Mais especificamente, busque motivos para questionar suas dúvidas. Nem todas as dúvidas são iguais.

Há dúvidas que fazem frente a um exame mais severo. Como consequência, estas dúvidas requerem uma mudança em nossas crenças. Entretanto, há outras dúvidas que desmoronam sob o peso das evidências. Isto foi o que aconteceu com a dúvida de João. Jesus deu a João boas evidências – feitos miraculosos verídicos – para questionar suas dúvidas.

Dúvidas virão. Isto é um fato. Mas não é algo que os cristãos devam temer. Lembre-se de João e levante suas dúvidas, então se lembre de Jesus e questione-as.


Fonte: NAPEC

0 comentários: