domingo, 30 de agosto de 2015

A TNM da Bíblia é digna de crédito?

As Testemunhas de Jeová afirmam que a Tradução do Novo Mundo (TNM) é o “trabalho de estudiosos competentes”. Por outro lado, eles afirmam que todas as outras traduções da Bíblia são corrompidas por tradições religiosas fundamentadas no paganismo. Na verdade, a TNM é o trabalho de um Comitê de Tradução da Bíblia sem nenhum conhecimento dos idiomas bíblicos. Seu preconceito é tão gritante, que o Dr. Bruce Metzger, professor de Novo Testamento da Universidade de Princeton, não só caracteriza a TNM como uma “tradução terrivelmente incorreta, mas como “errônea”, “perniciosa” e “repreensível”.

Primeiro, a TNM traduz de forma errada o texto grego, a fim de omitir a divindade de Jesus Cristo. Contra todos os eruditos dignos de crédito, Jesus é rebaixado de Deus a “um” deus em João 1 e de Criador de todas as coisas passa a ser uma simples criatura, criada como todas as outras coisas em Colossenses 1. De acordo com o Comitê de Tradução da Sociedade Torre de Vigia, Jesus foi criado por Deus como o arcanjo Miguel, tornou-se homem durante sua passagem pela Terra, e depois de sua crucificação foi recriado como um ser espiritual imaterial. Além disso, o Comitê de Tradução tem procurado conformar a TNM a suas tradições religiosas, substituindo a cruz de Cristo por uma ‘estaca de tortura’. Mateus 10.38, por exemplo, foi alterado para a seguinte forma: “E quem não toma a sua estaca de tortura e não segue após mim não é digno de mim”. Na tradição da Torre de Vigia, a cruz é um símbolo pagão adotado por um Cristianismo apóstata, quando Satanás tomou o controle da Igreja Primitiva. As Testemunhas de Jeová veem o uso da cruz como um ato de idolatria. Por outro lado, os cristãos usam a cruz como uma lembrança do que foi o ato mais brutal e bonito da história da redenção.

Finalmente, a Sociedade Torre de Vigia declara que as Escrituras cristãs foram adulteradas para eliminar o nome Jeová do texto. Na verdade, o Comitê de Tradução da TNM é que pode ser corretamente acusado de adulteração. Em mais de duzentos casos, o nome Jeová foi inserido gratuitamente no texto do Novo Testamento. Em passagens como Romanos 10.13, isso é feito para obscurecer a divindade de Cristo. Em outras passagens, sob o pretexto de que se referir a Deus como Senhor, e não como Jeová, é evidentemente pagão. De forma irônica, na The Kingdom Interlinear Translation of the Greek Scriptures, os tradutores da Torre de Vigia caem nessa prática “pagã” ao traduzir a palavra grega kurios como Senhor, mesmo em casos em que se refere especificamente ao Pai.

Por essas e muitas outras razões, estudiosos do grego denunciam que a Tradução do Novo Mundo é terrivelmente incorreta, errônea, perniciosa e repreensível.

O Dr. Julius Mantey, autor do Manual de Gramática do Grego do Novo Testamento, chamou a TNM de “chocante falha de tradução”, e o Dr William Barclay caracterizou os tradutores como “intelectualmente desonestos”.


“Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro, que se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro” (Apocalipse 22.18-19, ver também Deuteronômio 4.2).


0 comentários: