terça-feira, 12 de julho de 2011

Seitas Dissidentes das Testemunhas de Jeová

Cismas e Separações

Logo em 1917 muitos Estudantes da Bíblia estavam a retirar o seu apoio à Sociedade e passaram a funcionar independentemente. Os quatro diretores [que foram demitidos dos seus cargos por Rutherford] formaram um instituto para continuar o trabalho do Pastor Russell, independentemente da Sociedade. Outros formaram empresas [sociedades] particulares. Alguns Estudantes da Bíblia seguiram a liderança do seu ancião ou instrutor favorito. Ainda outros, cansados de sociedades e organizações, decidiram ficar independentes de todos os outros.

À medida que os anos foram passando, cada vez mais Estudantes da Bíblia, vendo a mudança de direção e atitude no interior da Sociedade, saíram de lá e foi assim que começou o êxodo. Em 1930 cerca de 75% dos Estudantes da Bíblia originais tinham saído da Sociedade. Neste tempo, todos os escritos de Russell foram rejeitados e substituídos pelos de Rutherford, que contradiziam os de Russell. Em 1929, a nova Sociedade já tinha feito mais de 100 mudanças doutrinais. A Sociedade já não se parecia nada com o que fora iniciado por Russell e pelos seus associados iniciais. A Sociedade tinha assumido um novo aspecto e uma nova atitude. Já não era uma casa editora para a disseminação de literatura bíblica. Agora era a Organização Teocrática de Deus. Discordar com ela era equivalente a traição contra o próprio Deus.

Em 1931, Rutherford decidiu fazer uma distinção entre os Estudantes da Bíblia independentes e os Estudantes da Bíblia que eram leais a ele. Rutherford mudou o nome dos que lhe eram leais para "Testemunhas de Jeová". E foi assim, deste ano em diante, que nasceram as Testemunhas de Jeová. A Sociedade tornara-se naquilo que abominava na cristandade. Eles tornaram-se numa pequena Babilónia. Assim, muitos Estudantes da Bíblia que ainda permaneciam no interior da Sociedade ouviram a admoestação "Saí dela, meu povo!" e saíram.

Desde esse tempo até à atualidade, a Torre de Vigia descreve membros da comunidade dos Estudantes da Bíblia desse tempo como "tendo vestimentas impuras", diz que eles estavam "contaminados por apostasia", "eram culpados de práticas erradas", "mostravam características que eram semelhantes ao joio", "manifestavam temor do homem" e "venderam-se devido a práticas erradas". Atualmente, embora muitos dos originais Estudantes da Bíblia tenham deixado esta terra, os seus descendentes continuam a obra. Filhos e netos que nasceram décadas depois dos acontecimentos de 1917, e até mesmo recém chegados, não recebem da Sociedade qualquer misericórdia. São considerados iníquos e apóstatas, e as Testemunhas de Jeová são instruídas a não ter nada que ver com eles. A Sociedade foi ao ponto extremo de declarar que os Estudantes da Bíblia já não existem, que morreram todos e não sobrou nenhum.

Filhas da Torre

Depois da morte do Pastor Charles Taze Russell, era claro que o trabalho que ele iniciara tinha de ser continuado. Mas quem o faria e como? Era óbvio que a Sociedade abandonara o pensamento de levar a cabo os desejos de Russell conforme foram expressos na sua Última Vontade e Testamento. Os quatro diretores demitidos, tendo falhado em garantir a sua posição no corpo de diretores, e outros Estudantes da Bíblia proeminentes como indivíduos, congregações e casas editoras, decidiram fazer eles mesmos o trabalho.

Existiam muitas opiniões sobre as obras de C. T. Russell. Alguns grupos e indivíduos sentiam que se devia aderir de perto aos ensinos do Pastor Russell; enquanto outros achavam que ele estava errado em algumas das suas doutrinas. Outros ensinaram que sabiam o tempo em que a Igreja estaria completa. Ainda outros acreditavam que a Igreja não tinha qualquer trabalho especial ou mensagem de "colheita" para realizar naquele tempo. Alguns Estudantes da Bíblia no passado sentiram que receberam revelações diretas de Deus ou de Cristo. Estas crenças geralmente davam origem a literatura expondo as suas opiniões ou revelações.

Como os Estudantes da Bíblia não têm uma "lista de membros", é difícil dizer quantos são. O número total de Estudantes da Bíblia fora da Sociedade Torre de Vigia provavelmente não chega aos 10.000. Metade deles estão fora dos Estados Unidos da América.

Estes vários grupos que se separaram da Torre de Vigia entre 1917 e 1931 são muito difíceis de classificar. Alguns, como os da Dawn Bible Students Association [Associação de Estudantes da Bíblia da Aurora] e os do Pastoral Bible Institute [Instituto Bíblico Pastoral], em contraste com alguns ramos dissidentes, têm um senso geral de coesão de grupo. Quase todos se consideram a si próprios como Estudantes da Bíblia independentes e, embora adiram às suas particularidades doutrinais, não deixam esta aderência interferir com a associação mútua e a troca de oradores e literatura entre si.

Estes vários movimentos estão geralmente organizados à volta de um periódico, uma personalidade, ou ambos. Os periódicos servem como meio de comunicação e coesão de grupo e são frequentemente o órgão polémico central. A maioria dos grupos publica livros, um número elevado de brochuras, panfletos, vídeos e cassetes áudio.

A maior parte da literatura não contém o nome do autor nem o nome da casa editora, exceto se tiver sido publicado por algum dos grupos principais (i.e., Aurora, P.B.I. ou Laymen). Existem várias razões que explicam porque os Estudantes da Bíblia tendem a escrever sob o anonimato. Muitos acham que os escritos devem ser julgados com base no seu próprio mérito, além do facto de o nome de C. T. Russell muitas vezes não aparecer em nenhum lado nos seus próprios trabalhos. Também permite que as publicações circulem livremente de um grupo para outro sem conter referência ao grupo ou autor.

Laymen's Home Missionary Movement
Movimento Missionário da Casa do Leigo
(1918 -- Presente)

Em 15 de Agosto de 1918, alguns dos ex-membros do corpo de diretores, junto com o peregrino Paul S. L. Johnson, publicaram The Bible Standard and Herald of Christ's Kingdom [O Padrão da Bíblia e Arauto do Reino de Cristo]. Posteriormente o empreendimento foi-se abaixo e Johnson fundou aquele que hoje é o The Laymen's Home Missionary Movement [Movimento Missionário da Casa do Leigo] (um dos nomes não registados como empresa usado por Russell e pela IBSA inicialmente) que publicaria independentemente de todos os Estudantes da Bíblia, introduzindo novos pontos de vista e doutrinas. Em Dezembro de 1918 ele publicou The Present Truth and Herald of the Christ's Kingdom [A Verdade Actual e Arauto do Reino de Cristo] e em 1920 publicou The Herald of the Epiphany [O Arauto da Epifania] (mais tarde o nome foi mudado para The Bible Standard and Herald of Christ's Epiphany [O Padrão da Bíblia e Arauto da Epifania de Cristo].) Johnson ensinou que como Russell fora o Mensageiro da Parousia durante a parousia do Senhor, ele [Johnson] devia ser o Mensageiro da Epifania, durante a Epifania do Senhor. Johnson era um escritor prolífico; ele escreveu o conjunto de 15 volumes intitulados Ephiphany Studies in the Scriptures [Estudos das Escrituras da Epifania], sendo dois volumes adicionados depois da sua morte em 1950. (O L.H.M.M. continua a publicar os seus jornais e publicações).

Epiphany Bible Students Association
Associação dos Estudantes da Bíblia da Epifania
(1955 -- Presente)

Como acontece muitas vezes, depois da morte de um líder carismático ocorrem vários cismas. Foi isto o que aconteceu com o Movimento Missionário da Casa do Leigo. Depois da morte de Paul Johnson em Outubro de 1950, Raymond Jolly tomou as rédeas e assim que o fez, ocorreram desentendimentos entre ele e John Hoefle, de Mount Dora, Florida, um peregrino do Movimento. Hoefle, que deixou a Sociedade em 1928 e se juntou a Johnson, foi posteriormente desassociado do Movimento Missionário da Casa do Leigo em 1956. Ele começou a publicar um periódico com o título Ephipany Bible Students Association [Associação dos Estudantes da Bíblia da Epifania]. John Hoefle morreu na década de 1980 mas a sua esposa, Emily Hoefle, ainda é viva e continua o trabalho da Epifania.

Laodicean Home Missionary Movement
Movimento Missionário da Casa Laodicense
(1957 -- 1990)

John Krewson, outro peregrino do L.H.M.M. que, tal como John Hoefle, foi desassociado desse movimento em 1955, começou o Laodicean Home Missionary Movement [Movimento Missionário da Casa Laodicense]. Ele argumentava que, como Russell fora o "Mensageiro da Parousia" e Johnson era o "Mensageiro da Epifania", ele próprio, Krewson, devia ser o "Mensageiro do Apocalipse", pois estava-se a viver então na fase do apocalipse da presença do Senhor, segundo ele acreditava. Ele publicou o conjunto de três volumes intitulado Apokalypsis Studies in the Scriptures [Estudos das Escrituras do Apocalipse] e um jornal mensal, The Present Truth of the Apokalypsis [A Verdade Actual do Apocalipse]. A maior parte da sua literatura era principalmente dirigida para o L.H.M.M. e para a E.B.S.S. e não para outros Estudantes da Bíblia. Krewson morreu na década de 1970, o trabalho continuou até 1990 e depois acabou.

Pastoral Bible Institute

Instituto Bíblico Pastoral
(1918 -- Presente)
Os problemas de 1917 na IBSA (International Bible Students Association [Associação Internacional dos Estudantes da Bíblia]) resultaram na expulsão, entre outros, dos quatro membros do corpo de diretores: R. H. Hirsh, I. F. Hoskins, A. I. Ritchie e J. D. Wright. Parte deste cisma foi causada por uma luta pelo poder e parte por oposição ao Volume VII dos Studies in the Scriptures: The Finished Mystery [Estudos das Escrituras: O Mistério Consumado], que supostamente era o trabalho póstumo de C. T. Russell, mas que na realidade fora escrito por Clayton J. Woodworth e George Fisher. O sétimo volume expunha várias ideias teológicas novas que muitos consideravam contrárias às escrituras; foi assim que se desenvolveu a oposição a esse livro. Este grupo opôs-se à tentativa de Rutherford de controlar a Sociedade até às eleições decisivas na convenção de 1918.

Depois da vitória conclusiva de Rutherford, vários irmãos proeminentes retiraram o seu apoio à Sociedade. A primeira Convenção dos Estudantes da Bíblia que foi realizada independentemente da Sociedade Torre de Vigia teve lugar em 26-29 de Julho de 1918 em Asbury Park, New Jersey. Alguns meses depois duzentas ou trezentas pessoas compareceram a uma segunda convenção, em Providence, Rhode Island, em Novembro de 1918. Foi nesta reunião que o Pastoral Bible Institute [Instituto Bíblico Pastoral] foi formado com o objetivo de continuar o trabalho de Russell independentemente da Sociedade. Em 1918 foi estabelecido o periódico The Herald of Christ's Kingdom [O Arauto do Reino de Cristo], editado por R. H. Streeter até à sua morte em Dezembro de 1924. Hoje o Instituto ainda continua, publicando o seu jornal e também folhetos e tratados. Além disso, ainda disponibiliza os Studies in the Scriptures [Estudos das Escrituras] da autoria de C. T. Russell, e outros escritos.

Watchers of the Morning
Vigias da Manhã
(1937 -- 1957)

Na década de 1930, influenciados pelos escritos de E. C. Henninges e de M. L. McPhail (dois peregrinos proeminentes que deixaram a Sociedade em 1909, devido a desacordos doutrinais com C. T. Russell), alguns membros proeminentes do P.B.I. começaram a negar a Presença de Cristo e outras doutrinas importantes defendidas pela Associação dos Estudantes da Bíblia. Isto provocou ainda outro cisma e dentro do corpo de diretores, em 1937, Isaac Hoskins e outros retiraram o seu apoio e começaram a publicar The Watchers of the Morning [Os Vigias da Manhã]. Este jornal foi publicado até Junho de 1957.

The Dawn Bible Students Association

Associação dos Estudantes da Bíblia da Aurora
(1932 -- Presente)

Em 1931 a maior parte dos grupos de Estudantes da Bíblia estavam a desaparecer ou a funcionar como classes ou indivíduos independentes. Então veio Norman Woodworth, que criou o programa de radio da Sociedade e saiu em 1928 para formar o seu próprio programa de radio com a ajuda da Eclésia dos Estudantes da Bíblia de Brooklyn. Eles publicaram um pequeno jornal, The Bible Students Radio Echoes [Os Ecos de Rádio dos Estudantes da Bíblia] com destaques do seu programa de rádio, que mais tarde se passou a chamar Frank and Earnest Radio Broadcast [Transmissão de Rádio Franca e Fervorosa]. Em 1931 foi eleito um corpo de directores. Em 1932 o "Ecos de Rádio" tornou-se no The Dawn and Herald of Christ Presence [Aurora e Arauto da Presença de Cristo], um jornal quinzenal. Esta publicação conseguiu juntar novamente os Estudantes da Bíblia independentes e durante as décadas de 1930, 1940 e 1950 a associação "Aurora" cresceu em consequência de um afluxo de Testemunhas de Jeová, cansadas das mudanças doutrinais da Torre de Vigia. Eles voltaram a publicar os Studies in the Scriptures [Estudos das Escrituras], inúmeros livros, folhetos e tratados. Hoje eles continuam o seu ministério, produzindo cassetes de áudio e vídeo, o jornal "Aurora" e outra literatura para os Estudantes da Bíblia em geral. Os seus programas de televisão e rádio são vistos por todo o território dos E.U.A., Canadá, Europa, América do Sul, etc.

The Christian Millennial Fellowship

A Associação Cristã do Milénio
(1928 -- Presente)

Esta Associação era originalmente composta pela Italian Bible Students Association [Associação Italiana dos Estudantes da Bíblia], e Millennial Bible Students Church [Igreja dos Estudantes da Bíblia do Milénio], de Hartford, Pequena Itália, em Nova Iorque. Este grupo está actualmente associado com um dos primeiros ramos dissidentes da Sociedade Torre de Vigia. Eles retiraram o seu apoio à Sociedade Torre de Vigia em 1928 e em 1940 lançaram o jornal New Creation -- a Herald of Christ's Kingdom [Nova Criação -- um Arauto do Reino de Cristo]. Contudo, alguns anos mais tarde, Gaetano Boccaccio começou a ser influenciado pelos escritos de E. C. Henninges e M. L. McPhail, dois peregrinos que deixaram a Sociedade em 1909, devido a alguns desacordos doutrinais. A Associação Cristã do Milénio mais tarde rejeitou a maior parte dos escritos de Russell, considerando-os errados, e converteu-se ao grupo "New Covenant Bible Students" ["Estudantes da Bíblia do Novo Pacto"]. Gaetano Boccaccio foi o líder da Associação Cristã do Milénio desde o início, tendo estado com a Sociedade desde 1917, ele morreu em 1996. Durante mais de 50 anos ele conduziu este grupo de Hartford, Connecticut. Atualmente o grupo é internacional, foi mudado para New Jersey e é chefiado por Elmer Weeks.

The Standfast Bible Students Association
Associação dos Estudantes da Bíblia Intransigentes
(1918 -- ?)

Os "intransigentes" são chamados desta forma devido à sua determinação de "se manterem intransigentes no que diz respeito aos princípios de guerra que o nosso amado Pastor Russell anunciou". Charles E. Heard de Vancouver e muitos outros acharam que a recomendação que J. F. Rutherford fez em 1918, para comprarem ações [ou obrigações] de guerra, era "covardia" e constituía uma perpetuação sacrílega do trabalho de colheita. Eles acharam que a Sociedade renegou a sua posição anterior no que diz respeito às Ações de Liberdade e ao serviço não-combatente. Os Intransigentes acharam que um cristão não devia apoiar de nenhuma forma os militares, comprando Ações de Liberdade, nem se devia envolver em serviço não-combatente. Em resposta a estas preocupações, a Stand Fast Bible Students Association [Associação dos Estudantes da Bíblia Intransigentes] foi organizada em 1 de Dezembro de 1918 em Portland, Oregon. Publicou Old Corn Gems e organizou convenções por todo o território dos Estados Unidos. Depois de uma convenção em 25-27 de Julho de 1919 em Seattle, ocorreram muitas divisões, a maior parte delas não-doutrinais. Curiosamente, os Intransigentes aceitaram o Volume VII [dos "Estudos das Escrituras"] -- sendo esta uma das principais razões para as divisões entre eles e os outros Estudantes da Bíblia. Em 1919 ocorreu nova divisão, desta vez entre os próprios Intransigentes, devido ao Volume VII. A princípio eles tiveram muito sucesso, especialmente atraindo aderentes que não aceitavam o que viam como sendo um comprometimento [ou envolvimento] da Sociedade Torre de Vigia na guerra.

Eles acreditavam que tudo o que a Sociedade Torre de Vigia ensinara até à Páscoa de 1918 estava correto, mas depois dessa data tinha começado a separação entre Elias e Eliseu e os Intransigentes eram a classe de Elias que se manteve intransigente em defesa dos ensinos do Pastor Russell. É claro que todos os grupos dissidentes, pelo menos inicialmente, alegavam estar a seguir os desejos de Russell e, por essa razão, diziam serem os verdadeiros seguidores de Russell, mas os Intransigentes diziam seguir apenas os ensinos de Russell, i.e., eles não diziam ser os mensageiros legítimos da Organização de Deus, como fizeram alguns dos outros grupos. O Instituto Bíblico Pastoral, por exemplo, passou a acreditar que a Sociedade Torre de Vigia apostatou da verdade e que apenas o Instituto Bíblico Pastoral ensinava a verdade primitiva. Em contraste, os Intransigentes pensavam que líderes e organizações eram relativamente pouco importantes. Eles estavam organizados simplesmente para ajudar outros a aprender os ensinos de Russell. A sua organização pouco rígida era provavelmente uma das principais razões porque foram um dos primeiros grupos a desintegrar-se.

Um aspecto interessante da sua história foi o movimento em direção ao oeste, quando os Intransigentes foram encorajados a mudarem-se para o oeste dos E.U.A. porque o arrebatamento ocorreria em 1920 e unicamente nos Estados do oeste. Assim, se uma pessoa não vivesse no Estado certo, ele ou ela não seriam abrangidos pelo arrebatamento. Em 1923, E. C. Heard e Isaac Edwards lideraram um movimento de cerca de 300 Intransigentes que, segundo disse Paul S. L. Johnson, "degenerou no comunismo".

Em 1923 Edwards e Heard organizaram a Star Construction Company em Victoria B.C. Temendo a época de tribulação, em 1924 Edwards conduziu 300 seguidores para Stookie e para o Gordon River para viverem uma existência [com os bens] em comum. Quando o empreendimento fracassou em 1927, foi fechado por Alec McCarter e Oscar Kuenzi. Dos 1.200 aderentes que existiam em 1919 no noroeste e perto de Wisconsin, este Movimento do Sétimo Volume desvaneceu-se para a não existência e atualmente não tem organização.

The Elijah Voice Society
Sociedade da Voz de Elias
(1923 -- ?)

Em 1923, John A. Herdersen, C. D. McCray e cerca de 300 pessoas dos Estudantes da Bíblia Intransigentes organizaram a Elijah Voice Society [Sociedade da Voz de Elias], para efetuar um ambicioso reajuntamento e trabalho de testemunho. Durante vários anos eles publicaram o Elijah Voice Monthly [Mensário da Voz de Elias] e numerosos tratados. Este grupo tornou-se no mais proeminente entre os vários que aceitaram o Volume VII dos Estudos das Escrituras.

Eles pensavam que tinham sido "chamados para esmagar Babilónia", tal como os Intransigentes, mas eram ainda mais radicais -- a tal ponto que se recusavam a saudar a bandeira e a comprar ações de guerra ou a contribuir para a Cruz Vermelha, muito antes de as Testemunhas de Jeová adoptarem posições similares. Também este grupo mais tarde se desvaneceu e deixou de existir.

The Servants of Yah
Os Servos de Yah
(1925 -- ?)

Este é provavelmente o mais estranho de todos os grupos de Estudantes da Bíblia. Com sede em Brooklyn, Nova Iorque, e liderados por C. H. Zook, eles acreditavam que o nome de Satanás era Jeová, de modo que as Testemunhas de Jeová eram na realidade Testemunhas de Satanás. Eles são Universalistas que negam o Armagedom, o Dilúvio, o baptismo com água, o resgate, a restituição, etc. Eles tinham filiais em Levittown, Nova Iorque e Viena de Áustria. As doutrinas deles eram muito semelhantes às das Testemunhas de Jeová; com a diferença que os 144.000 estavam destinados a descobrir o significado oculto das escrituras e a entrar no céu. O significado é oculto, em parte, porque eles acreditavam que o texto da nossa Bíblia foi alterado. Eles vêem a Bíblia primariamente como profecia, referindo-se a maior parte dela ao século XX. Eles acreditam que todas as pessoas que já viveram viverão para sempre numa terra paradísica, exceto os 144.000, que viverão no céu. Este grupo também se desvaneceu e já não existe.

Bible Fellowship Union
União da Associação da Bíblia
(1917 -- Presente)

Este grupo foi formado pelo Corpo de Diretores [da Sociedade Torre de Vigia] de Inglaterra. Eles retiraram o seu apoio à Sociedade e assumiram o controlo do "Tabernáculo de Londres". Começaram a publicar um jornal em 1924, The Bible Students Monthly [O Mensário dos Estudantes da Bíblia]. Alguns anos mais tarde o nome foi alterado para The Bible Study Monthly [O Mensário do Estudo da Bíblia], para não haver confusões com a nova Torre de Vigia, que antes já tinha publicado um jornal com esse nome. Hoje o movimento é liderado por A. O. Hudson (um dos poucos Estudantes da Bíblia ainda vivos que conheceu pessoalmente o Pastor Russell). Ele foi o diretor geral até há poucos anos atrás, quando decidiu retirar-se parcialmente. Ele tem quase 100 anos. Nunca descobriríamos que este é um grupo de Estudantes da Bíblia, pois a literatura deles nunca menciona C. T. Russell, nem oferece os livros dele. Eles produzem os seus próprios folhetos, tratados, etc.

New Jerusalem Fellowship
Nova Associação de Jerusalém
(1922 -- 1992)

Os acontecimentos de 1917 nos Estados Unidos não chegaram prontamente ao conhecimento de alguns Estudantes da Bíblia que viviam em outros países. Assim, muitos Estudantes da Bíblia não sabiam o que se estava a passar nos E.U.A. e demorou algum tempo até que se apercebessem disso e saíssem da Sociedade. Em 1922 foi formada a New Jerusalem Fellowship [Nova Associação de Jerusalém]. Esta associação deixou de existir em 1992. Eles produziam um jornal mensal e numerosos livros e tratados.

Old Paths Publications
Publicações dos Velhos Caminhos
(1925 -- 1961)

William Crawford era um membro original do Corpo de Diretores [da Sociedade Torre de Vigia] de Inglaterra e era um firme Estudante da Bíblia. Ele causou a primeira divisão entre o Corpo de Diretores de Inglaterra, fundou as Old Paths Publications [Publicações dos Velhos Caminhos] e produziu o jornal mensal Old Paths [Velhos Caminhos]. Foram produzidos inúmeros folhetos, livros e tratados.

Forest Gate Church
Igreja do Portão da Floresta
(Década de 1920 -- 1979)

Por ocasião da divisão de 1917, este era o segundo maior grupo de Estudantes da Bíblia na Inglaterra. F. G. Guard, sogro de William Crawford, levou a classe a separar-se da Sociedade. Contudo, isto só ocorreu em 1939, data em que começaram a publicar o seu próprio jornal, The Forest Gate Church Bible Monthly [Mensário Bíblico da Igreja do Portão da Floresta], junto com folhetos e tratados. Este grupo deixou de existir em 1979.

Bible Student Publishing Co.
Companhia de Publicação dos Estudantes da Bíblia
(1914 -- 1924)

Este grupo dissidente surgiu em 1914. Embora não fossem Estudantes da Bíblia, eles publicaram um jornal trimestral intitulado The Bible Student [O Estudante da Bíblia], que era crítico tanto em relação a Russell como em relação a Rutherford, e alguns representantes da IBSA juntaram-se a este grupo depois da divisão ocorrida em 1917. Muitos New Covenant Bible Students [Estudantes da Bíblia do Novo Pacto] juntaram forças com este grupo.

Goshen Fellowship
Associação Goshen
(1951 -- Presente)

Este grupo foi formado em resultado do ministério de Jesse Hemery. Hemery serviu como Vice-Presidente da IBSA, uma posição que manteve até 1946. Ele tinha sido designado por Russell em 1901. Ele era o Estudante da Bíblia mais proeminente da Inglaterra. Foi desassociado por N. H. Knorr em 1951. Embora aceitasse grande parte das interpretações de Russell, ele rejeitava a doutrina da 'presença a partir de 1914'. Acreditando que [o livro bíblico de] Revelação teria um cumprimento futuro, ele escreveu alguns comentários acerca de Revelação e de outros livros de profecias, publicados por editoras exteriores à Sociedade. Ele morreu em 1955, não sem ter antes fundado a Goshen Fellowship [Associação Goshen] em 1951. Atualmente o grupo é liderado por Frank Brown, um homem que fez 100 anos há pouco tempo. Eles publicam um jornal mensal, o Zion's Herald [Arauto de Sião], desde 1965.

The Institute of Pyramidology
Instituto de Piramidologia
(Década de 1920 -- Presente)

Adam Rutherford (que não era da família de Joseph) era um piramidologista e fundou este grupo. Ele era um Estudante da Bíblia que obteve a maior parte da sua inspiração a partir da grande pirâmide. Publicou um extenso conjunto de 4 volumes sobre a Pirâmide e os seus ensinos, junto com o jornal Pyramidology Monthly [Mensário de Piramidologia], que ainda é publicado actualmente. Ele escreveu muitos livros, folhetos e tratados.

The Angel of Jehovah Bible and Tract Society
Sociedade do Anjo de Jeová de Bíblias e Tratados
(1917 -- Presente)

Fundada por Alexander F. L. Freytag, gestor da filial da Sociedade Torre de Vigia na Suíça, ele discordava de algumas opiniões de Russell, mesmo enquanto Russell ainda era vivo. Ele foi designado por Russell em 1898 como Gestor da Filial. Em 1917 começou a publicar as suas opiniões, usando as impressoras e papel da Sociedade. Foi expulso por Rutherford em 1919. Publicou um conjunto de quatro volumes sobre as escrituras, a maior parte em francês. Os escritos dele foram traduzidos para inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, português e holandês. Ele publicou o seu próprio livro de hinos, para o qual escreveu e compôs toda a música, bem como o seu próprio livro de devoções. Também escreveu numerosos folhetos e tratados. Publicou dois jornais, o mensal The Monitor of the Reign of Justice [Monitor do Reino da Justiça] e o semanal Paper For All [Jornal Para Todos]. Eles têm filiais na Suíça, França, Alemanha, Bélgica e Itália. Os membros deste grupo vêem Freytag como "aquele Escravo Fiel e Discreto" mencionado em Mateus 24:45-47. Este grupo também é conhecido como Philanthropic Assembly of the Friends of Man [Assembleia Filantrópica dos Amigos do Homem] e The Church of the Kingdom of God, Philanthropic Assembly [Igreja do Reino de Deus, Assembleia Filantrópica].

Berean Bible Institute

Instituto Bíblico Bereano
(1917 -- Presente)

Este grupo de Estudantes da Bíblia separou-se oficialmente da Sociedade em 1918 e publicou o mensário The Voice [A Voz]. Desde 1917 têm publicado o mensário People's Paper [Jornal do Povo], bem como outros livros, folhetos e tratados.

New Covenant Fellowship
Associação do Novo Pacto
(1909 -- 1944)

Em 1908/1909, E. C. Henninges, o Gestor da Filial australiana da IBSA (International Bible Students Association [Associação Internacional dos Estudantes da Bíblia]) junto com M. L. McPhail, peregrino da IBSA e membros dos Chicago Bible Students [Estudantes da Bíblia de Chicago], retiraram o seu apoio à Sociedade Torre de Vigia, causando a segunda maior divisão na história da Sociedade, só comparável à divisão de 1917. Ele produziu um jornal mensal, intitulado The New Covenant Advocate and Kingdom Herald [O Defensor do Novo Pacto e Arauto do Reino] e numerosos livros, folhetos e tratados. Depois da morte de Henninges, o seu trabalho foi continuado durante alguns anos. O grupo e a revista desapareceram em 1944. A maior parte dos Estudantes da Bíblia do Novo Pacto foram abandonados à sua sorte. Muitos não continuaram e dividiram-se até deixarem de existir como grupo. Porém, os Free Bible Students [Estudantes da Bíblia Livres], como são chamados hoje, constituem o maior grupo de Estudantes da Bíblia na Austrália. Em anos recentes tem havido um ressurgimento de Estudantes da Bíblia Livres reunindo-se sob a nova liderança do Christian Millennial Fellowship [Associação Cristã do Milénio].

The Christian Truth Institute
Instituto Cristão da Verdade

Fundado por Frederick Lardent, de Melbourne, Austrália, com filiais na Inglaterra, eles publicaram o mensário Gleanings for Truth Seekers [Antologias Para os Que Procuram a Verdade], bem como vários folhetos e tratados. (Este grupo está agora defunto.)

The New Covenant Believers

Os Crentes no Novo Pacto
(1909 -- Presente)

O ex-peregrino da Torre de Vigia, M. L. McPhail, supostamente o Estudante da Bíblia mais amado a seguir a Russell, liderou os Estudantes da Bíblia do "Novo Pacto" nos Estados Unidos. Ele publicou alguns livros independentemente, a maior parte deles fortemente baseados nos escritos de E. C. Henninges. Em 1908 eles começaram a publicar o The Kingdom Scribe [O Escriba do Reino], que deixou de ser publicado em 1975. Eles também publicaram desde 1956 uma pequena folha informativa, Berean News [Notícias Bereanas], que continua até ao dia de hoje. Actualmente este grupo publica sob o nome Berean Bible Students Church [Igreja Bereana dos Estudantes da Bíblia].

Associated Bible Students
Estudantes da Bíblia Associados
(1917 -- Presente)

São várias classes independentes espalhadas pelos Estados Unidos, Europa, Canadá, Ásia, América do Sul, Médio Oriente e países africanos. O mais antigo de todos os grupos de Estudantes da Bíblia é o Jersey City Bible Students [Estudantes da Bíblia de Jersey City], tendo sido fundado na década de 1880 em resultado do ministério de Russell. A maior parte dos Estudantes da Bíblia são agora independentes uns dos outros, apesar de se associarem durante as convenções e ocasiões similares, trocando oradores e literatura. Muitas classes de Estudantes da Bíblia publicam as suas próprias folhas informativas mensais, tratados e folhetos e algumas têm os seus próprios jornais e ministérios. Existem muitos comités de Estudantes da Bíblia compostos por Estudantes da Bíblia de várias classes, para ajudar nas necessidades de outros que estão em países pobres. Existem vários "Centros de Reformados de Estudantes da Bíblia" tanto nos Estados Unidos como na Europa. Estes centros são compostos por pequenas comunidades de casas de cidade, condomínios e apartamentos, completos com quarto, sala de estar e cozinha, etc., e uma congregação para estudos e convívio.

Realizam-se Convenções Internacionais todos os anos: em 1996 foi em Budapeste, Israel e África, em 1995 foi em França e Israel, em 1994 foi em Israel, etc. Como têm ensinos sionistas, os Estudantes da Bíblia são muito respeitados e amados pela comunidade judaica.
Existem vários Campos de Estudantes da Bíblia para crianças, durante o Verão. Praticamente cada classe de Estudantes da Bíblia patrocina a sua própria convenção anual. Estas normalmente duram um ou dois dias, exceto a Convenção Geral, patrocinada pela "Aurora", que normalmente dura cinco dias. Portanto existem muitas convenções para assistir; existe pelo menos uma convenção por mês em alguma parte dos E.U.A.

Houve um tempo em que associações como a "Aurora", o P.B.I. e o L.H.M.M. tinham as suas próprias congregações afiliadas, de forma semelhante ao que se passa com a Sociedade Torre de Vigia e as Testemunhas de Jeová. Atualmente o único grupo que tem as suas próprias congregações é o L.H.M.M. A "Aurora" e o P.B.I. agem principalmente como casas editoras. Os seus jornais são lidos tanto por Estudantes da Bíblia como por outros que não são Estudantes da Bíblia. Apesar das diferenças entre si, é frequente os Estudantes da Bíblia unirem os seus recursos para darem um testemunho unificado.

Association of Free Bible Students of France
Associação Francesa de Estudantes da Bíblia Livres

Esta associação tem publicado um jornal quinzenal intitulado Zion's Journal and the Message of Christ Presence [Jornal de Sião e a Mensagem da Presença de Cristo] desde 1951. Eles produziram a maior parte dos escritos de Russell na língua francesa.

German Bible Students Association
Associação Alemã de Estudantes da Bíblia

Eles publicam actualmente o mensário Herald of Christ's Kingdom [Arauto do Reino de Cristo]. Na década de 1930 eles publicaram o mensário Der Pilgrim [O Peregrino], que foi suspenso quando Hitler tomou o poder. Depois publicaram The Burning Lamp [A Lâmpada Acesa]. Este grupo estava associado com a Torre de Vigia, depois perdeu-se o contacto durante a I e a II Guerra Mundial. Quando o contacto foi finalmente restabelecido e foi permitido introduzir literatura da Torre de Vigia na Alemanha, os Estudantes da Bíblia notaram as mudanças e decidiram que ficavam melhor sem a Sociedade. Em 1949 começaram a publicar The Christian Watchtower [A Torre de Vigia Cristã] e The Tagesanbruch, bem como numerosos livros e folhetos e os escritos de Russell foram traduzidos para a língua alemã.

Greek Bible Students Association
Associação de Estudantes da Bíblia Gregos

Estes Estudantes da Bíblia estão afiliados com os da "Aurora" e publicam uma versão grega do jornal deles.

International Bible Students of India
Estudantes Internacionais da Bíblia da Índia

Este grupo tem estado independente da Sociedade desde 1921 e publica o seu próprio mensário Zion's Express [Expresso de Sião], bem como o India Bible Students Monthly [Mensário dos Estudantes da Bíblia da Índia] e outros escritos. Existem actualmente sete eclésias (congregações) na Índia. [Russell era tão influente na Índia, nas suas visitas ali e a colónias de leprosos, que existem actualmente várias cidades e ruas com o nome dele.]

Polish Bible Students Association
Associação Polaca dos Estudantes da Bíblia

Os Estudantes da Bíblia Polacos assumiram o controlo sobre a sede original da Torre de Vigia na Polónia. Foi só em 1925 que eles souberam que Russell tinha morrido. Quando as mudanças ocorreram, eles ficaram com os ensinos de Russell. Alguns anos depois a Sociedade registou o nome The International Bible Students Association II [Associação Internacional dos Estudantes da Bíblia II] porque perderam a primeira, que ficou sob o controlo dos Estudantes da Bíblia Polacos. Porém, a segunda associação também caiu sob o controlo dos Estudantes da Bíblia Polacos quando o gestor da filial se juntou aos Estudantes da Bíblia. Alguns anos depois a Sociedade tentou incorporar, sem sucesso, a The International Bible Students Association III [Associação Internacional dos Estudantes da Bíblia III]. Os Estudantes da Bíblia Polacos começaram a publicar The Watchman [O Vigia] logo em 1921, embora até 1919 houvesse duas publicações com o nome Watch Tower [Torre de Vigia] em língua polaca, uma produzida pela Sociedade e outra pelos Estudantes da Bíblia Polacos de Chicago, Illinois, com o mesmo título e a mesma capa. Rutherford pôs termo a isso. Em 1930 eles começaram a publicar o mensário Dawn of a New Era [Aurora de Uma Nova Era] e em 1948 publicaram o mensário The Watch. Em 1958 publicaram o mensário DayBreak [Romper do Dia]. Todos os anos eles realizam uma convenção à qual assistem cerca de 2.000 Estudantes da Bíblia.

Conclusão

Desde a queda do comunismo, foram descobertos outros Estudantes da Bíblia em certas partes da Europa. Na Roménia e noutras partes do ex-bloco comunista de leste foram encontrados Estudantes da Bíblia ainda intactos, até mesmo na Rússia. Também existem Estudantes da Bíblia no México, na Argentina, na Bélgica, na Suécia, na África, na China, no Japão, etc.

Quando a cortina de ferro desapareceu da Europa, a Sociedade Torre de Vigia estava ansiosa por ver o que restava das Testemunhas de Jeová romenas. A Sociedade ficou muito desapontada. Devido à falta de comunicação provocada pela guerra, os Estudantes da Bíblia tinham adoptado o nome "testemunhas de Jeová", mas ainda continuavam a ler e a estudar os escritos de Russell e rejeitaram a literatura atual da Sociedade. Quando a Sociedade viu aquilo, ficou aparvalhada. Estudantes da Bíblia usando o nome "testemunhas de Jeová"!

O que a Torre de Vigia também encontrou na Roménia e na Polónia foram cerca de 10.000 Rutherforditas. Eles são Testemunhas de Jeová que não se sentiram confortáveis com a mudança constante das doutrinas e da estrutura organizacional da Sociedade depois da morte de J. F. Rutherford. Eles estudam exclusivamente os escritos de Rutherford e consideram-no "o maior expositor bíblico do mundo".
Em anos recentes muitas Testemunhas de Jeová (betelitas, anciãos, servos, pioneiros, etc.) vindas de todo o lado, juntaram-se à Bible Students Association [Associação dos Estudantes da Bíblia].
Existiram e ainda existem muitos outros grupos, indivíduos e classes de Estudantes da Bíblia que publicaram extensivamente, embora grande parte da literatura se tenha perdido. Esta lista mostra a variedade de grupos que surgiram.


0 comentários: