terça-feira, 6 de abril de 2010

PODEMOS VIOLAR O SÁBADO?

Geralmente quando encontramos um sabatista somos interrogados acerca da guarda da lei de Deus e da guarda do sábado. Pergunta o sabatista?

“Você guarda a lei de Deus?”

Nossa resposta é:Sim.

Então continua ele.
“Você guarda o sábado?”. Nossa resposta invariavelmente é:Não!

Dizem eles, “Então não sabe que a lei de Deus é integrada pelos dez mandamentos e que a quebra de um mandamento envolve a quebra de todos? Citam para nós Tiago 2.10 como prova bíblica “. “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos“.

NOSSA RESPOSTA

Analisemos, de novo, a pergunta com que iniciam o diálogo conosco:

“Você guarda a lei de Deus?”

Qual deve ser nossa resposta?”.Sim – respondemos nós.

Mas não esqueça que estamos vivendo sob o Novo Concerto ou Nova Aliança e que dentro da Nova Aliança ou Novo Concerto não existe mandamento para guardarmos o sábado. Por exemplo, nunca Jesus mandou guardar o sábado, embora saibamos que ele guardou a lei com 613 mandamentos, considerando que ele nasceu sob a lei. “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.” (Gálatas 4:4, 5)

ABRANGÊNCIA DA LEI DE DEUS

Além disso, deve ter-se presente que a lei de Deus não consiste de apenas dez mandamentos, mas de 613 mandamentos. Paulo escrevendo aos gálatas disse:
“Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las”. (Gl 3.10)

A lei de Deus contém preceitos morais fora dos dez mandamentos como também, dentro dos 10 mandamentos, existe um preceito cerimonial ou ritual e que foi abolido por Cristo, isto é, a guarda do sábado, da mesma forma que foram outros preceitos cerimoniais fora do decálogo. Hoje vivemos sob a lei de Cristo e não mais sob a lei de Moisés.
“Pois, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos para ganhar o maior número possível: Fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse eu debaixo da lei (embora debaixo da lei não esteja), para ganhar os que estão debaixo da lei; para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei”.(1 Co 9.19-21).

JESUS CUMPRIU OS PRECEITOS CERIMONIAIS DA LEI

Algumas referências bíblicas mostram isso: foi circuncidado ao oitavo dia do seu nascimento (Lc 2.21); foi apresentado no templo segundo a lei das purificações (Lc 2.22-24); Maria fez os sacrifícios correspondentes (Lc 2.27). Jesus subiu a Jerusalém para a Festa da Páscoa com a idade de 12 anos – a idade quando um menino judeu toma a responsabilidade legal, sendo chamado dessa idade como “filho da lei”. Durante toda sua vida honrou o templo e as leis referentes aos cultos (Mt 8.4: Lc 17.14; Mt 17.24-27). Assim, Jesus se submeteu a todas as leis cerimoniais da Lei de Moisés. Disse, depois de ressuscitado, “Convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.”(Lc 24.44)

DE NOVO O DECÁLOGO
.
Voltam, de novo, a questionar apontando para o livro de Êxodo, onde se encontram os dez mandamentos. Teatralmente, abrem o livro de Êxodo e começam a ler o capítulo vinte dos versículos três a dezessete:

Lêem, apontando para o primeiro mandamento:

(Ex 20.3) “Não terás outros deuses diante de mim”. Perguntam: “Podemos ter outros deuses diante de Deus?”. Nossa resposta é:Não

Apontam o segundo mandamento:

Lêem Ex 20.4, “Não farás para ti imagem de escultura...”. Ex 20.5; “Não te encurvarás diante delas, nem as servirás...” Podemos nos curvar e servir imagem de escultura? Nossa resposta é, Não!

Apontam o terceiro mandamento:

Lêem Ex 20.7 “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão” Perguntam: Podemos tomar o nome de Deus em vão? Nossa resposta é: Não!

Pulam o 4o mandamento
Pulam Ex 20.8-11 que trata da guarda do sábado.


Apontam o quinto mandamento:
Lêem Ex 20.12, “Honra a teu pai e a tua mãe...” Perguntam: Podemos desonrar pai e mãe? Nossa resposta é: Não!

Apontam o sexto mandamento:

Lêem Ex 20.13, “Não matarás”.Perguntam: Podemos matar?
Nossa resposta é: Não!

Apontam o sétimo mandamento:

Lêem Ex 20.14, “Não adulterarás”. Perguntam: Podemos adulterar? Nossa resposta é: Não!

Apontam o oitavo mandamento:

Lêem Ex 20.15, “Não furtarás”.Perguntam: Podemos furtar? Nossa resposta é: Não!

Apontam o nono mandamento:

Lêem Ex 20.16, “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” Perguntam: Podemos falar falsos testemunhos?
Nossa resposta é: Não!

Apontam o décimo m andamento:

Lêem Ex 20.16, “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo...” Perguntam: Podemos cobiçar...? Nossa resposta é: Não!

E O QUARTO MANDAMENTO?

De novo, teatralmente, voltam a Ex 20.8-11 e perguntam: Podemos violar o sábado? E esperam então que respondamos também, não!

E nós respondemos, com segurança, Sim.

“Mas como? Interrogam? Você respondeu a nove mandamentos que não podem ser violados, como, então, quanto ao quarto mandamento respondem que sim, que pode ser violado?”.

A nossa resposta é simples: Respondo, sim! pela autoridade do Senhor Jesus Cristo que é o “Senhor do sábado”. E justifico.

MATEUS 12.5-7

Vamos examinar Mt 12.5-7 onde Jesus declara: “Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa? Mas, se vós soubésseis o que significa: “Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes. Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor.”

Aí está a palavra clara, inequívoca do Senhor Jesus quanto à natureza do sábado como preceito cerimonial ou ritual, não tendo natureza moral como reivindicam os sabatistas.

INVERTENDO AS PERGUNTAS

Invertemos as perguntas que nos fazem os sabatistas quando lêem mandamento por mandamento do decálogo, com a pergunta repetida se cada um deles pode ou não ser violado.

Podemos então indagar ao sabatista:

Podiam os sacerdotes no templo ter outros deuses diante de Deus “. (Ex 20.3) e ficar sem culpa? A resposta óbvia dos adventistas é: não!”.

Podiam os sacerdotes no templo fazer imagem de escultura...”“ e se encurvar a elas “? (Ex 20.4,5) e ficar sem culpa? A resposta deles é: não!

Podiam os sacerdotes no templo tomar o nome do SENHOR em vão e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

Podiam os sacerdotes no templo desonrar pai e mãe e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

Podiam os sacerdotes no templo matar no templo e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

Podiam os sacerdotes no templo adulterar e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

Podiam os sacerdotes no templo furtar e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

Podiam os sacerdotes no templo dizer falso testemunho e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

Podiam os sacerdotes no templo cobiçar a mulher do próximo e ficar sem culpa? A resposta dos sabatistas é: não.

E VIOLAR O SÁBADO?

SIM. OS SACERDOTES PODIAM VIOLAR O SÁBADO NO TEMPLO E FICAR SEM CULPA.

3 comentários:

Nuno disse...

“Mas não esqueça que estamos vivendo sob o Novo Concerto ou Nova Aliança e que dentro da Nova Aliança ou Novo Concerto não existe mandamento para guardarmos o sábado.”

Analisemos o que a Bíblia diz sobre o velho pacto:
““Então ele vos anunciou o seu pacto, o qual vos ordenou que observásseis, isto é, os dez mandamentos; e os escreveu em duas tábuas de pedra.” (Deuteronómio 4:13)

Vejamos agora o que a Bíblia diz sobre o novo pacto:

“sendo manifestos como carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne do coração.
(...) o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica. (...)
Pois até o dia de hoje, à leitura do velho pacto, permanece o mesmo véu, não lhes sendo revelado que em Cristo é ele abolido;
sim, até o dia de hoje, sempre que Moisés é lido, um véu está posto sobre o coração deles.
Contudo, convertendo-se um deles ao Senhor, é-lhe tirado o véu.
Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade.
Mas todos nós, com rosto descoberto, reflectindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. (2 Cor. 3: 2-3,6, 14-18)

O pacto é o mesmo: os dez mandamentos. Qual é a diferença então? Deus quer que a sua Lei (dez mandamentos) não esteja somente escrita na pedra, mas que esteja escrita no nosso coração.

Outro versículo que explica isso:

"Ora, este é o pacto que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo;" Hebreus 8:10

O que mudou no pacto foi a localização das Leis: de tábuas de pedra para um coração de carne; de escrita para o pensamento do homem -> Deus quer que o homem as ponha em prática na sua vida. Jesus guardou o Sábado na criação (Genesis 2:1-3), como homem (Lucas 4:16) e guardará na nova terra (isaias 66:23) pois ele não muda (Hebreus 13:8). Foi Ele que criou o Sábado para o homem descansar do seu trabalho, e esse dia o abençoou e SANTIFICOU.

“Por exemplo, nunca Jesus mandou guardar o sábado,”

Jesus é um Deus de amor. Ele deu a liberdade ao ser humano de escolher de servir a Deus por amor, ou não servir a Deus. Os dez mandamentos inclui o Sábado e Jesus diz sobre os mandamentos:

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” (João 14:21)
“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” (João 15:10)

São estas as instruções que Jesus dá aos Seus discípulos. Jesus inclui o Sábado pois ele não exlui o Sábado.

Jesus guardou o Sábado. Os Seus discípulos guardaram o Sábado, as mulheres que seguiam Jesus guardavam o Sábado, Paulo guardou o Sábado e ensinava ao Sábado; no futuro, continuará a se guardar o Sábado na nova terra.

“... embora saibamos que ele guardou a lei com 613 mandamentos, considerando que ele nasceu sob a lei.”

Ele nasceu Judeu porque “nós adoramos o que conhecemos; porque a salvação vem dos judeus.” (João 4:22).
Ele fez-se carne, mas era Deus, e como Deus deu o exemplo a seguir se tal maneira que os seus seguidores, incluindo Paulo, guardavam e ensinavam a guardar o dia de Sábado:

“Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade; mas qualquer que guarda a sua palavra, nele realmente se tem aperfeiçoado o amor de Deus. E nisto sabemos que estamos nele; aquele que diz estar nele, também deve andar como ele andou.” (1 João 2:4-6)

Nuno disse...

“Além disso, deve ter-se presente que a lei de Deus não consiste de apenas dez mandamentos, mas de 613 mandamentos.”

Essa é uma forma de interpretar a Lei, e está correcta.
Paulo escreve aos Gálatas isto:

“Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las”. (Gl 3.10)

Paulo escreveu a uma igreja que acreditava que era salva se cumprisse a Lei. Paulo ensina-lhe aqui que, pelo contrário, pelas obras da Lei não são salvos. Paulo cita aqui Deut. 27:16-26 e nem um dos mandamentos está lá incluído.
Quem utiliza este e outros versículos de Gálatas para provar que a lei foi abolida então está a usar um texto fora de um contexto – ou seja trata-se de má interpretação da Bíblia.


“A lei de Deus contém preceitos morais fora dos dez mandamentos como também, dentro dos 10 mandamentos, existe um preceito cerimonial ou ritual e que foi abolido por Cristo, isto é, a guarda do sábado, da mesma forma que foram outros preceitos cerimoniais fora do decálogo. Hoje vivemos sob a lei de Cristo e não mais sob a lei de Moisés.,”

Fui a um dicionário saber o que significa a palavra moral:

“moral
(latim moralis, -e, relativo aos costumes)
adj. 2 gén.
adj. 2 gén.
1. Relativo à moral.
2. Que procede com justiça. = CORRECTO!CORRETO, DECENTE, HONESTO, ÍNTEGRO, JUSTO, PROBO ≠ DESONESTO, ERRADO, IMORAL, INDECENTE
3. Não físico nem material (ex.: estado moral). = ESPIRITUAL
5. Conforme às regras éticas e dos bons costumes.
s. f.
6. Conjunto dos princípios e valores morais de conduta do homem.
7. Bons costumes.
8. Conjunto de regras e princípios que regem determinado grupo.
9. Filos. Tratado sobre o bem e o mal.
10. Susceptibilidade!Suscetibilidade no sentir e no proceder.”

Resumindo tudo isto significa: o que é correcto

Se o Sábado foi guardado por Jesus, então o que ele fez não é correcto, certo? Ou seja, ele agiu mal? Ele pecou? É que depois da sua morte, os seus discípulos e ainda Paulo continuaram a guardar o Sábado e a ensinar isso... ou seja, agiram mal também, certo?

Está correcto que Jesus aboliu o que é cerimonial (Col.2:14)
Mas o Sábado não é considerado cerimonial, onde está isso na Bíblia? Não está, nem em Col.2:16.
O Sábado é um dia da semana, repouso para o homem. Foi assim no princípio porque foi Deus que o instituiu. (Genesis 2:1-3)

É verdade que “Hoje vivemos sob a lei de Cristo e não mais sob a lei de Moisés.” Mas qual Lei de Cristo?

“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” João 15:10

“Respondeu-lhe ele: Por que me perguntas sobre o que é bom? Um só é bom; mas se é que queres entrar na vida, guarda os mandamentos.” Mateus 19:17

Jesus é o doador da vida, e os mandamentos são a Sua Lei.

Nuno disse...

“JESUS CUMPRIU OS PRECEITOS CERIMONIAIS DA LEI”

Exactamente, pois Jesus veio para cumprir pois Ele estava “debaixo da Lei”, mas com a sua morte ele aboliu as leis cerimoniais... e os seus discípulos continuaram a guardar o Sábado, até mesmo Paulo guardava o Sábado. Não acham incoerente alguém pregar Jesus e a verdade e dizer: o Sábado foi abolido mas ele continuava a guarda-lo?
Volto a lembrar que o Sábado faz parte do novo pacto de Deus que apresentei em cima.


“E O QUARTO MANDAMENTO?”

É curioso que o mandamento que querem esquecer é o único que Deus escreveu com o Seu dedo assim:

Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. (...)” (Êxodo 20:8)
Não só querem esquecer como também não santificam aquilo que Deus disse para fazer.
Porquê? Vejam a continuação da ordem:
“Nesse dia não farás trabalho algum,...” agora Deus diz porquê:
“Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou;”
Ou seja, o criador do mundo que nos criou diz que devemos de descansar no dia em que ele criou para nós, e santificou e abençou. Se não seguem a sua ordem então não estão a louvar a Deus pois Deus disse que isso era bom: “Abençoou Deus o sétimo dia, e o santificou”

Falando de uma forma moral, certamente que não não santificava algo que não era bom, mas como p Sábado era bom, ele o santificou.

“MATEUS 12.5-7”

O que Jesus está a ensinar aqui é que todos aqueles que trabalham para Ele (pregadores, pastores, etc) não cometem pecado no Sábado pois estão a trabalhar para Deus.
A história não fica aqui, pois logo a seguir Jesus cura alguém ao Sábado e diz:

“É lícito curar nos sábados?” e depois responde:
“Ora, quanto mais vale um homem do que uma ovelha! Portanto, é lícito fazer bem nos sábados.” Mateus 12:12

Para Jesus é lícito fazer o bem ao Sábado, e foi isso que ele fez: curou o homem que tinha um problema na mão. Os discípulos estavam com Jesus no Sábado e trabalhavam para Deus, por isso faziam o bem para o próximo e assim louvavam a Deus, o “Senhor do Sábado”.

Não é por acaso que estas duas hitórias estão seguidas uma à outra: as duas juntas ajudam-se a interpretar uma à outra.


“E VIOLAR O SÁBADO? SIM. OS SACERDOTES PODIAM VIOLAR O SÁBADO NO TEMPLO E FICAR SEM CULPA.”

Claro que podiam, porque os sacerdotes trabalhavam para Deus, estão ao serviço de Deus, assim como os discípulos de Jesus trabalhavam para Jesus em Mateus 12:1-7.
Se formos para a rua falar de Deus ao Sábado também não pecamos porque estamos a louvar a Deus. Qualquer actividade que glorifique a Deus no Sábado, não é ilícita ao Sábado.

Por isso o Sábado é o dia do Senhor, e Ele é o Senhor do Sábado, pois foi Ele que o criou.