sábado, 5 de dezembro de 2009

A LEI DE DEUS OU LEI DE MOISÉS - DUAS LEIS OU UMA LEI?

"...a palavra do nosso Deus permanece eternamente" (Isaías, 40: 8). "Porque eu, o Senhor não mudo" (Malaquias, 3: 6). "...a minha palavra não tornar atrás" (Isaías, 45: 23). "Quanto às tuas prescrições, há muito sei que as estabeleceste para sempre", disse o salmista (Salmos, 119: 152). São essas as palavras usadas para confirmar que a lei é imutável. São textos que dão muita força aos que pregam a imutabilidade dos mandamentos divinos. Não obstante as declarações de imutabilidade, vindas de personagens bíblicos e as que dizem ser do próprio Deus pelos profeta (Malaquias, 3: 6; Isaías, 40: 8; 45: 23), o Novo Testamento fala de mudanças. Essas mudanças são criações cristãs, mais propriamente paulinas, incompatíveis com tudo que se escreveu no velho testamento.

"Pois quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei" (Hebreus, 7: 12). O capítulo inteiro fala da mudança do "sacerdócio levítico" para o de Cristo.

A lei na antiga aliança continha princípio que figuravam a nova aliança, prescrições "impostas até ao tempo oportuno de reforma", disse Paulo (Hebreus, 9: 10). Embora queiram algumas religiões negar mudanças, é a própria Bíblia (novo testamento) que fala de "reforma". Para tentar harmonizar os textos que falam de imutabilidade e mudança, tenta-se provar a existência de duas leis distintas, falando-se de "lei moral" ou "lei de Deus" e "lei cerimonial" ou "lei de Moisés", sendo a primeira contida em duas tábuas de pedra e a segunda em um livro; divisão esta que, conforme análise dos textos, não existe. No "livro da lei de Deus" (Neemias, 8: 18), se há as duas classes de princípios, elas estão esparsas, e cabe ao leitor analisar os princípios em si e ver se têm natureza ou figurativa ou não.

Embora tenha dito, segundo o evangelista, que nada se omitiria da lei, Jesus teria estabelecido algumas correções:

"Ouvistes o que foi dito aos antigos... eu, porém, vos digo" teria sido a expressão de Jesus para fazer suas correções em alguns princípios morais da Velha Aliança. (Mateus, 5: 27 e 28, 38 e 39, 43 a 46). Paulo considerou "desonroso para o homem usar cabelo comprido" (I Coríntios, 11: 14), enquanto na Velha Aliança, o "nazireu", pessoa consagrada a Deus, não cortava cabelo (Números, 6: 5; Juízes, 13: 5).

Para saber se um princípio da lei é moral ou figurativo, é necessário estudar sua natureza, não sendo suficiente alegar que seja "concerto perpétuo", como fazem os sabatistas; pois as prescrições chamadas de figurativas eram também por "concerto perpétuo" (Levíticos, 23: 14, 21, 31, 41: 24: 3, 8).

Se uns textos e outros se contradizem, o que é bem comum na Bíblia, os que pretendem harmonizá-los criam maiores contradições.

Vejam a seguir as considerações a respeito da divisão da lei em duas, uma de Moisés e outra de Deus. São apenas artifícios criados para defender a eternidade do sábado.


QUE É A LEI DE DEUS?

Eis a explicação dos sabatistas:

"Há quem afirme, erroneamente, que em Cristo a Lei de Deus perdeu sua existência. Alto e bom som alertamos, todavia, que a única lei que foi cancelada, e, por conseguinte, estamos desobrigados dela, é a lei de Moisés, ou lei cerimonial, escrita num livro (não em pedra) e que constava de ordenanças, ofertas e holocaustos, cujo objetivo era tirar, de forma provisória, o pecado do povo - isto, até a chegada do Messias Prometido. (Leia Col. 2: 14)." (O Único Sinal, folheto da Igreja Batista do Sétimo Dia).


No folheto "AS DUAS LEIS", da Igreja Adventista do Sétimo Dia Movimento de Reforma, o assunto de duas leis está mais detalhadamente abordado, estabelecendo distinções entre supostas duas leis.

Mas, na realidade, as expressões "lei moral" e "lei cerimonial" não existem na Bíblia. Tampouco encontramos a expressão "lei dos dez mandamentos" ou "tábuas da lei", como dizem os sabatista; mas encontramos "tábuas do testemunho" (Êxodo, 31: 18) e "tábuas da aliança" (Hebreus, 9: 4).

E, analisando os textos que dizem se referirem à "lei de Deus, os dez mandamentos", notamos que ali não se fala simplesmente de dez mandamentos, mas de uma lei escrita em um livro.

Vejam-se os exemplos seguintes:

A LEI

"Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir" (Mateus, 5: 17). Dizem que aqui se fala dos dez mandamentos. É inegável que se refere a eles; pois nas várias vezes que Cristo disse: "ouvistes o que foi dito aos antigos", ele citou mandamentos, como, "não matarás" (vers. 21), "não adulterarás" (vers. 27); todavia mencionou mandamentos que não estão nas duas tábuas, e sim no livro: "Também foi dito: Aquele que repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio" (vers. 31; Deuteronômio, 24: 1-4); "olho por olho, dente por dente" (vers. 38; Êxodo, 21: 24). Assim não podemos dizer que a lei aqui referida se constitua de apenas os dez mandamentos, mas do livro da lei.

Dizem ser à lei "dos dez mandamentos" que Tiago se refere quando diz: "qualquer que guarda toda lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos" (Tiago, 2: 10). Está claro que esses mandamentos fazem parte da suposta lei referida, como vemos no versículo 11: "Não adulterarás ...Não matarás". No entanto, a lei não se limita a apenas aqueles dez mandamentos nas duas tábuas de pedra, porque ele citou "amarás o teu próximo como a ti mesmo" (Vers. 8; Levíticos, 19: 18). É a lei referida o LIVRO e não as duas tábuas.

A julgar por estes texto, na falta de qualquer referência à chamada "lei dos dez mandamentos", fica bem claro que a lei é o que está escrito num livro, sendo os dez mandamentos das duas tábuas apenas uma parte dela. Mas se isto não é suficiente, cheguei a essa conclusão ao ler Neemias capítulo 8.

"...disseram a Esdras o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha prescrito a Israel" (vers. 1).

"Esdras, o sacerdote, trouxe a lei perante a congregação". (vers. 2).

"E leu no livro... e todo o povo tinha os ouvidos atentos ao livro da lei" (vers. 3).

"Leram no livro, na lei de Deus" (vers. 8).

"Dia após dia leu Esdras no livro da lei de Deus" (vers. 18).

Não podemos, ao ler esse texto, negar que o "livro da lei de Moisés" (vers. l) é o "livro da lei de Deus" (vers. 18); muito menos, que a "lei de Deus" é um "LIVRO", e não duas tábuas de pedra, como afirmam os sabatistas.

Tendo toda a certeza de que a "lei de Deus" foi escrita em um livro, e que ela é a mesma chamada "lei de Moisés", resta ao cristão apenas tentar harmonizar aqueles textos citados sem procurar provar que tratam de duas leis distintas.

Não existe a lei dos dez mandamentos; pois essa expressão não existe na Bíblia.

Quando Paulo disse que a lei foi dada "por causa das transgressões" (Gálatas, 3: 19) ele falava da mesma lei pela qual "vem o conhecimento do pecado" (Romanos, 3:20), citada como lei moral (As Duas Leis, página 7). Quando disse "agora, porém libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeito" (Romanos, 7: 6), falava da mesma lei que contém o mandamento "não cobiçarás" (versículo 7). Não podemos afirmar que num versículo se diga sobre uma lei e no seguinte se refira a outra, quando se fala, não em uma e outra, mas "a lei", uma única.

O que se entende pelas palavras de Paulo é que A LEI, única lei, trouxe mandamentos como os das tábuas de pedra e os de oferecer holocaustos e ofertas de manjares. Quem é justificado pela fé está livre da lei, no seu dizer, mas seria absurdo afirmar que quis ele dizer que pudesse sair matando e furtando, etc.

As expressão "as leis" se refere a todos preceitos que foram reunidos no livro chamado "a lei".

Tão claro é isto, que o folheto reformista As Duas Leis, após dizer: "Não acha o prezado leitor que "as leis" é mais de uma lei?" (página, 5), diz: "A lei moral acha-se gravada no coração do crente: "... Porei as minhas leis no seu interior, e as escreverei no seu coração..." (Jr. 31: 33; Hb. 8: 10)" (página 6). Fala sobre "a lei moral", citando o texto que diz "minhas leis". Não dizem ser a moral e a cerimonial. Que incoerência!

No folheto "Qual o Dia da Semana Guarda e Por Que?", dizem os reformistas: "O sábado, por ser um sinal da criação, nada tem a ver com os judeus em particular" (pág. 2). Mas a Bíblia diz que sim: A guarda do sábado foi instituída pela primeira vez no deserto do Êxodo (Êxodo, 16: 5 e 22 a 30).

Foi instituída como figura do livramento de Israel do cativeiro egípcio e do repouso na terra prometida, onde não puderam entrar aqueles que foram desobedientes; pois está escrito: "Assim jurei na minha ira que não entrarão no meu descanso" (Salmos, 95: 11), isto é "não entrareis na terra, pela qual jurei que vos faria habitar nela" (Números, 14: 30) que não era o dia de descanso, mas a terra em que deviam repousar das agruras vividas antes, assim como do repouso prometido aos cristãos (Hebreus, 4: 1 e 2. Como Josué não pode dar ao povo um verdadeiro repouso, a promessa foi feita novamente, aos cristãos: "Ora, se Josué lhes houvesse dado descanso, não falaria posteriormente a respeito de outro dia" (Hebreus 4: 8), o que não poderia também ser outro dia de repouso em lugar do sábado como pensam os guardadores do domingo também, mas outra promessa de descanso. Os filhos de Israel, "por causa da desobediência não entraram" (Hebreus, 4: 6) foi na terra prometida. "Não puderam entrar por causa da incredulidade" (Hebreus, 3: 19). Seria muito tolo afirmar que Deus jurasse eles não guardariam o sábado; pois não era uma promessa e sim um mandamento. Por isto o mandamento trouxe esta informação: "porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito, e que o Senhor teu Deus te tirou dali com mão poderosa, e braço estendido: pelo que o Senhor teu Deus te ordenou que guardasse o dia de sábado". (Deuteronômio, 5: 15). Se tal acontecimento foi o motivo pelo qual se ordenou que guardassem o sábado, então se entende por que nunca se mencionou o sábado em relação à vida de Noé, Abraão, Isaque, Jacó, etc. A conseqüência não poderia existir antes da causa.

Como os cristãos consideravam que as figuras vigoraram apenas no antigo pacto, Paulo disse: "ninguém mais vos julgue por causa" de "sábados" (Colossenses, 2:16). Dizem que os sábados aqui mencionados são os dias comemorativos em que também havia sábados (repousos) conforme Levíticos 23, o que não fazem ao citar Isaías 65: 23. Mas aqueles dias já estão mencionados no texto como "dias de festa" ("dias de festa, lua nova ou sábados" - três coisas distintas).

Também afirmam: "O dia de repouso de Deus, o sábado, é chamado o "dia do Senhor". Comparar Apocalipse l: 10 com Isaías 58: 13 e Marcos 2: 28. (Página 2). Mas o que é "dia do Senhor" em Apocalipse?

O termo grego kiriake emera=kiriake emera (Novum Testamentum Graece), em Apocalipse, 1: 10, em latim é traduzido para dies dominicum, que em português é dia do Senhor.

A versão católica do Padre Antônio Pereira de Figueiredo traduz a palavra para "dia de domingo". E, literalmente, este nome, dado ao primeiro dia da semana, é uma evolução de dies dominicum.

As igrejas guardadoras do domingo, assim como os sabatistas o aplicam ao sábado, baseado nesse sentido da palavra, falam do termo usado por João como sendo o primeiro dia da semana. Quem está certo? O que era "dia do senhor" para os apóstolos?

Ao se referirem ao sábado, os apóstolos o chamavam pelo seu nome costumeiro: sabbaton, forma grega do hebraico shabath, que foi latinizada para sabatum e evoluiu para o português como sábado (Mateus, 12: 10; 24: 20; 28: 1; Marcos, 2: 27; 3: 4; Lucas, 4: 16; 6: 2, 5, 7 e 9; 14: 1; 23: 56; João, 7: 23; Atos, l7:2; Colossenses, 2: 16, etc.).

Ao falar do primeiro dia da semana, tratavam-no como tal, não lhe dando nenhum título (Mateus, 28: 1; Marcos, 16: 1: Lucas: 24: 1; João 20: 1).

O título dies dominicum, segundo informações históricas, foi dado por decreto imperial ao primeiro dia da semana, anteriormente dies solis = dia do sol, quando o imperador romano se converteu ao cristianismo e a igreja criou um sincretismo de princípios cristãos e romanos.

Os apóstolos jamais chamaram qualquer dia da semana de dia do Senhor; mas essa palavra lhes era muito familiar com outro sentido:

"Ah! que dia! porque o dia do Senhor está perto, e vem como assolação do Todo-Poderoso" (Joel, 1: 15). "...grande é o dia do Senhor, e mui terrível" (Joel, 2: 11). "Ai de vós que desejais o dia do Senhor... dia de trevas e não de luz" (Amós, 5: 18). "Porque o dia do Senhor está prestes a vir sobre todas as nações" (Obadias, 15). "Pois eis que vem o dia, e arde como fornalha" (Malaquias, 4: 1) "O sol se converter em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e glorioso dia do Senhor" (Atos 2: 20). "... o dia do Senhor vem como ladrão de noite" (I Tessalonicenses, 5: 2). Virá, entretanto, como ladrão, o dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo e os elementos se desfarão abrasados" (II S. Pedro, 3: 10).

É bem mais lógico deduzir que João estava se referindo ao que sempre chamavam de "dia do Senhor" - o julgamento divino deste mundo.

"Em espírito", isto é, em visão, João presenciou o julgamento divino deste mundo, conforme vemos em todo o Apocalipse. Por isto, ele disse: "Achei-me, em espírito, no dia do Senhor" (Apocalipse, 1: 10). Significa: em minha visão eu me encontrei naquele dia, quando Deus irá julgar e condenar os maus e dar recompensa aos justos. Pois é o dia do juízo divino que eles chamaram sempre de "dia do Senhor", conforme as passagens acima.


O SÁBADO NA NOVA TERRA

"Na nova terra, o sábado será guardado por todos os habitantes como o grande dia comemorativo do Altíssimo, pois assim diz o Senhor: "...de sábado em sábado toda carne vir prostrar-se diante de Mim..." Isaías 66:22-23" (Qual Dia Guarda e Por Que?, pág. 8).

O texto citado diz: "de uma lua nova à outra, e de um sábado a outro" (Isaías, 66: 23). Curioso é que aqui lua nova e sábado são princípios morais, para serem guardados a nova terra, mas, em Colossenses, 2: 16, são princípios cerimoniais, sem mais validade. Aqui aceitam que é o sétimo dia. Lá, dizem ser outros dias. Se o texto de Isaías justifica a guarda do sábado, também aprova a da lua nova, o que os sabatistas não guardam.

Não entendem que na Jerusalém de Isaías, haveria MORTE, PECADO e MALDIÇÃO (Isaías, 65: 20), o que não deveria haver na nova terra do Apocalipse.

As profecias de Isaías foram feitas durante o cativeiro de Babilônia. Eram promessas de restauração de Jerusalém, mas não a mesma do Apocalipse, que contém o pensamento cristão.

Como ficou suficientemente claro na análise do capítulo 8 de Neemias, não há com afirmar a existência das chamadas "duas leis", uma mutável e outra imutável. E, se formos enquadrar a guarda do sábado em uma dessas duas partes da lei, não há como não ser na parte transitória, o que ficou esclarecido pelas palavras de Paulo aos Colossenses (Col. 2:16).

As contradições só ficam ainda maiores quando se tenta dividir a lei em duas.

O que se pode concluir de tudo isso é que tudo que estava no livro da lei mosaica era mesmo para ser eternamente observado pelos hebreus; mas essa abolição da lei foi criação de Paulo, e agora os cristãos vivem enfrentando essa dificuldade para não admitir que o cristianismo não tem qualquer apoio no velho testamento.

14 comentários:

Anônimo disse...

"Neste Novo pacto, o Senhor instituiria um novo dia para Sua Adoração"

Onde está isso escrito?
Oseias 2 e Col. 2:14-17 não falam nisso. Lol

Nuno disse...

Acho que esta procura imoral de justificar o que querem das Leis já foi muito longe...

Acho que cada um de nós devia de estar mais preocupado com a nossa relação pessoal com Jesus. Lembrem-se que, no último dia, é Jesus que ressuscita (João 6:54), é ele o Juiz (2 Tim.4:8) e a Jesus foi dado todo o poder nos céus e na terra (Mateus 28:18).

Jesus também afirmou:

"Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão." (Mateus 24:35)
- E ele guardou o Sábado (Lucas 4:16)
- Guardou os Dez mandamentos de Seu Pai(João 15:10)
- Disse que tínhamos vida eterna se guardarmos os dez mandamentos

"...mas se é que queres entrar na vida, guarda os mandamentos." (Mateus 19:17)

Quando Jesus voltar Ele responderá a todos aqueles que não fizerem a Sua vontade:

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demónios? e em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." (Mateus 7:22-23)

A iniquidade para Jesus é a não obediência às Suas Leis.

Quando estiver ao pé de Jesus vou-lhe dizer: Senhor, meu Criador, eu segui-te e guardei os Teus mandamentos incluindo o Sábado que autentifica-te como Criador (Êxodo 20:11).
Certamente se mantiver a minha fé até à Sua vinda, herdarei a vida eterna. (pois a fé sem obras é morta (Tiago 2:17) e se amas a Jesus, guardas os Seus Mandamentos (João 14:15) que não são penosos (1 João 5:3)e são um dever para todo o homem(Eclesiastes 12:13)pois até o Sábado foi criado para todo o homem (Marcus 2:27) e Jesus é o Senhor do Sábado (Mateus 12:8), e o Sábado foi o único dia da semana a ser santificado, e abençoado(Génesis 2:3))

Se Jesus mudou o Seu dia de repouso e adoração então eu quero saber onde Ele ensina isso para o poder seguir. Obrigado

Ámen

O Peregrino disse...

Guardar o sábado é iniquidade?

Digo mais uma vez, Atos 15:11 Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como "eles" também.

Interessante que nessa passagem não falaram da guarda do sábado, falaram da lei "moral" mas do sábado não.

Nuno disse...

Se crês que a lei foi abolida, então podemos matar.
Como defines o pecado?

como sei que a outra pessoa está a pecar?

Ensina-me sff.

Nuno disse...

"cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo,"

o que é a graça?

O Peregrino disse...

Graça é o favor imerecido que Deus me deu pela fé que tenho nEle.

Jonas 2:9 A Salvação pertence ao Senhor.

Nuno disse...

podes apresentar um versículo da Bíblia para definir pecado?

O Peregrino disse...

Errar o alvo que é Cristo.

Nuno disse...

"Assim não podemos dizer que a lei aqui referida se constitua de apenas os dez mandamentos, mas do livro da lei."


"Também foi dito: Quem repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.
Eu, porém, vos digo que todo aquele que repudia sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, a faz adúltera; e quem casar com a repudiada, comete adultério." (Mt 5:31-32)

Aqui menciona um mandamento das tábuas de pedra. enganaste-te

e termina assim:

(Mt 5:44 [JFA-RA(Pt)])
Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem;

(Mt 5:45 [JFA-RA(Pt)])
para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.

Aqui faz menção aos 6 últimos mandamentos outra vês.
Embora, neste contexto refira somente o "olho por olho", que não está no decálogo, esta Lei foi baseada no decálogo que foi dado primeiro, que é a base das leis das ordenanças escritas no livro, e ainda, depois de várias apresentações de mandamentos, Jesus resume dando os 6 mandamentos que denotam amor para o proximo.

e contrui assim:

"Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial." Mateus 5:48

Por outras palavras: sede Santo como o Pai no Céu é Santo:

Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus. (Apocalipse 14:12)

Nuno disse...

Jesus disse: "É, porém, mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei." (Lucas 16:17)
e a seguir refere uma das palavras do Decálogo.

porem Paulo anuncia:
"e a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos;
e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz" Col 2:13-14

e ainda:
"Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.
É evidente que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé;
ora, a lei não é da fé, mas: O que fizer estas coisas, por elas viverá.
Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro (Galatas 3:10-13)


Não existe só uma Lei, pois uma foi abolida, a outra, como Jesus disse, é eterna.

A primeira lei, foi dita a todo o povo, pela boa de Deus (Êxodo 20) e posteriormente escrita com o dedo de Deus em tábuas de pedra - alguma vez viu alguém cravar pedra em madeira? ou é mais fácil cravar papel em madeira?
A segunda lei, de ordenanças, tem como base o decálogo e foi dada devido às transgressões do povo (Marcos 10:4-6) quando Moisés subir à montanha para falar com Deus e volta ao acampamento e vê que o povo criou um ídolo de ouro.

"Tomai este livro da lei, e ponde-o ao lado da arca do pacto do Senhor vosso Deus, para que ali esteja por testemunha contra vós.
Porque conheço a vossa rebeldia e a vossa dura cerviz; eis que, vivendo eu ainda hoje convosco, rebeldes fostes contra o Senhor; e quanto mais depois da minha morte!"

Em Deuteronómio (segunda vez em que são apresentadas as Leis) são apresentadas as dez palavras e no fim é dito:

"Essas palavras falou o senhor a toda a vossa assembleia no monte, do meio do fogo, da nuvem e da escuridão, com grande voz; e nada acrescentou. E escreveu-as em duas tábuas de pedra, que ele me deu." (Deut. 5:22)

O versículo seguinte apresenta, juntamente com Ex. 20:2 o que há no decálogo:

"e dissestes: Eis que o Senhor nosso Deus nos fez ver a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo; hoje vimos que Deus fala com o homem, e este ainda continua vivo." Deut. 5:22

"Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egipto, da casa da servidão." Exodo 20:2

Deus deu-se a conhecer, quem ELE era, dando o decálogo (Deus deu-lhes Leis de liberdade), e o povo viu a sua glória, e Deus escreveu o seu carácter em tábuas de pedra para que o que foi escrito permanecesse escrito. Por isso é que Jesus diz: "se me amas, guardas os meus mandamentos."; pois Ele os guardou, os mandamentos de Seu Pai.

"Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta.(...) Quem me viu a mim, viu o Pai... Aquele que crê em mim, esse também fará as obras que eu faço... (João 14:8-12)

"...não vim destruir, mas cumprir" "Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.

Jesus veio cumprir a Lei e os profetas, por isso é que ele festejou várias festas dos Judeus.
A lei que aparece no versículo seguinte é especificado no outro versículo seguinte como MANDAMENTOS. Jesus podia continuar a pronunciar a palavra "Lei" mas especificou-a como sendo os mandamentos.

(continua)

Nuno disse...

O texto a que dão tanto crédito (Col 2:14-17) prova que as Leis cerimonias foram abolidas, mas o carácter de Deus é sempre o mesmo:

"Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente." Hebreus 13:8

e assim Deus deu as Suas Leis ao povo para que se tornassem santos:

"para que vos lembreis de todos os meus mandamentos, e os observeis, e sejais santos para com o vosso Deus." Números 15:40

pois Deus é Santo e quer que sejamos Santos:

"Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus." Apocalipse 14:12

A santidade, ou seja, a preparação para a ida para o céu, é feita aqui na terra, senão Jesus vos dirá

"Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." (Mat. 7:23)

Só têm aceso à vida eterna aqueles que guardam os dez mandamentos:

"Blessed [are] they that do his commandments, that they may have right to the tree of life, and may enter in through the gates into the city." KJV Apocalipse 22:14

Nuno disse...

O mesmo Paulo que diz que a Lei foi abolida diz:

(Rm 2:11 [JFA-RA(Pt)])
pois para com Deus não há acepção de pessoas.

(Rm 2:12 [JFA-RA(Pt)])
Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei também perecerão; e todos os que sob a lei pecaram, pela lei serão julgados.

(Rm 2:13 [JFA-RA(Pt)])
Pois não são justos diante de Deus os que só ouvem a lei; mas serão justificados os que praticam a lei


São justificados os que praticam a Lei? Ora tendo em conta que os 10 mandamentos já eram conhecidos antes da sua entrega em tábuas de pedros no sinai, deduzimos então que Noé, que foi considerado por Deus como homem justo na terra antes do dilúvio, pois Noé praticava os 10 mandamentos e por isso era justo perante Deus:

"(Gn 6:8 [JFA-RA(Pt)])
Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.

(Gn 6:9 [JFA-RA(Pt)])
Estas são as gerações de Noé. Era homem justo e perfeito em suas gerações, e andava com Deus."

Francisco A. de Azevedo disse...

Nuno,

Cordiais saudações em Cristo Jesus!

Conforme 2 Coríntios 3:

6 - o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.

Mensagem para avaliação… não é uma crítica, é uma colaboração construtiva.. não leve a mal..

Jesus é O Caminho, A Verdade e A Vida.

Vejam as considerações abaixo…

FÁBIO, VOCÊ TEM ASCENDÊNCIA JUDAICA? É CONTADO NAS GERAÇÕES DE ISRAEL?

Êxodo 31:13 Tu, pois, fala aos FILHOS DE ISRAEL, dizendo:
Certamente guardareis meus sábados; porquanto ISSO É UM SINAL ENTRE MIM E VÓS NAS VOSSAS GERAÇÕES; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica.

Êxodo 31:16 GUARDARÃO, POIS, O SÁBADO OS FILHOS DE ISRAEL, CELEBRANDO-O NAS SUAS GERAÇÕES por aliança perpétua.

Pergunto:

Somos da linhagem de Israel(Jacó)? pertencemos às suas gerações? Temos sangue Hebreu ou Israelita? Somos praticantes do judaísmo?

“QUANDO VOCÊ CONSIDERA SER O QUE NÃO É, ASSUME COM ISTO RESPONSABILIDADES QUE NÃO SÃO SUAS”

ISTO NÃO É BOM! veja apocalipse 2:9 e apocalipse 3:9; REFERE-SE A QUEM SE CONSIDERA SER JUDEU, NÃO O SENDO.

veja bem:
- se digo que sou Cristão/gentio (Não judeu) vou me comportar como tal;
- Se digo que sou Cristão/Judeu, vou me comportar como tal;
- Se digo que sou Judeu, hebreu ou israelita, VOU ME COMPORTAR CONFORME SUAS GERAÇÕES;

SE LERMOS DIREITO EZEQUIEL 20:12 E EZEQUIEL 20:20, VERÁS QUE É UM SINAL ENTRE DEUS E OS ISRAELITAS !!

E SE SOU GENTIO? O QUE A BÍBLIA DIZ… ?

Pergunta ?

Os Gentios fizeram o antigo pacto com Deus, ou foram os israelitas?
O Sábado é um sinal entre Deus e os gentios? Ou sinal entre Deus e os Israelitas?

Cabe ler no novo testamento as orientações dadas por Jesus e os Apóstolos para os gentios/Cristãos, dentre OS QUAIS PENSO ESTAR, pois penso não ter descendência/ ascendência Judaica.

veja baixo…

Atos 15
5- Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés.
10- Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar?
27- Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais por palavra vos anunciarão também as mesmas coisas.
28- Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias:
29- Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá.
30- Tendo eles então se despedido, partiram para Antioquia e, ajuntando a multidão, entregaram a carta.
31- E, quando a leram, alegraram-se pela exortação.

(Observação:O sábado ficou fora das orientações)

Diga-se de passagens bíblicas:
Se você guarda o sábado que ninguém te julgue-Col 2:16 e 17, Contudo, também, não julgue quem não faz diferença entre dia e dia (Rom 14:5)
Col 2:16- Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados,
Rom 14:
5- Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.
6- Aquele que faz caso do dia para o Senhor, o faz, e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus.

Obs: Não encontrei na bíblia que Jesus e os apóstolos tenham reivindicado a guarda do sábado para Os Gentios/Cristãos.

Mas os Judeus/Cristãos tinham esta obrigação, pois é um sinal entre Deus e os Israelitas e praticantes do Judaísmo.

Quando for ler novamente todo novo testamento, vais perceber que quando há referências ao "sábado"; TRATAVA-SE DA OBSERVÂNCIA DO MESMO PELOS JUDEUS E JUDEUS CRISTÃOS; E NÃO PELOS GENTIOS CRISTÃOS.

Atenciosamente

Com muito respeito e consideração,

Um Cristão não judeu

Anônimo disse...

Senhores Cristãos,

saudações!

Se Cumprirmos este mandamento, cumprimos todos os outros! Está na bíblia.

João, 4

7. Caríssimos, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
8. Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.
9. Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em nos ter enviado ao mundo o seu Filho único, para que vivamos por ele.
10. Nisto consiste o amor: não em termos nós amado a Deus, mas em ter-nos ele amado, e enviado o seu Filho para expiar os nossos pecados.
11. Caríssimos, se Deus assim nos amou, também nós nos devemos amar uns aos outros.
12. Ninguém jamais viu a Deus. Se nos amarmos mutuamente, Deus permanece em nós e o seu amor em nós é perfeito.
13. NISTO É QUE CONHECEMOS QUE ESTAMOS NELE E ELE EM NOS, POR ELE NOS TER DADO O SEU ESPÍRITO.
14. E nós vimos e testemunhamos que o Pai enviou seu Filho como Salvador do mundo.
15. Todo aquele que proclama que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus.
16. Nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem para conosco. Deus é amor, e quem permanece no amor permanece em Deus e Deus nele.
17. Nisto é perfeito em nós o amor: que tenhamos confiança no dia do julgamento, pois, como ele é, assim também nós o somos neste mundo.
18. No amor não há temor. Antes, o perfeito amor lança fora o temor, porque o temor envolve castigo, e quem teme não é perfeito no amor.
19. Mas amamos, porque Deus nos amou primeiro.
20. Se alguém disser: Amo a Deus, mas odeia seu irmão, é mentiroso. Porque aquele que não ama seu irmão, a quem vê, é incapaz de amar a Deus, a quem não vê.
21. Temos de Deus este mandamento: o que amar a Deus, ame também a seu irmão.

Olhando e entendendo as promessas E ORIENTAÇÕES da NOVA ALIANÇA devemos afastar-nos do legalismo e ser ministrados pelo Espírito de Deus, veja:

Romanos 13:
8. A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, a não ser o amor recíproco; PORQUE AQUELE QUE AMA O SEU PRÓXIMO CUMPRIU TODA A LEI.

Cordialmente.