domingo, 29 de novembro de 2009

É A Guarda do Sábado Obrigatória Aos Cristãos?

É preciso guardar o sábado?

Veja a análise:

A doutrina mais cara ao adventismo é sem dúvida a guarda do sétimo dia da semana como repouso semanal e dia de culto a Deus. Este era também um dos pontos que, no primeiro século levou ao aparecimento da seita dos "judaizantes" que fora amplamente combatida pela Igreja Primitiva. Segundo a igreja adventista do sétimo dia todos os cristãos devem guardar o sábado do sétimo dia, pois para eles "Santificar o Sábado ao Senhor importa em Salvação eterna" (Testemunhos Seletos, volume III, p. 23) e sua base principal para este ensino é o quarto mandamento da lei, onde lemos:

"Lembra-te do dia de Sábado, para o santificar, seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou" (Ex 20.8-11).

Nossa questão é, será que esta interpretação adventista do mandamento está correta? Temos mesmo que guardar o sábado para sermos salvos ou por qualquer outro motivo? Cremos que NÃO por diversos motivos, a saber:

a) A palavra sábado neste texto e em todo o Antigo Testamento significa DESCANSO (em hebraico "shabat") e não está ligado exclusivamente a um determinado dia da semana.

b) Deus ordenou aos israelitas a guarda do sábado nos dez mandamentos, bem como ordenou outros dias, inclusive outros dias da semana, como "sábado" ao Senhor, por exemplo, em Lv 23.32 lemos "Sábado de descanso solene vos será; afligireis a vossa alma; aos nove do mês, duma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso Sábado". Veja bem, este sábado aqui não cairia no sétimo dia da semana, podria cair em qualquer dias pois era o nono dia do mês, assim sendo poderia haver ´sabado no domingo, na segunda, na terça, etc. Não sendo importante o dia, mas como já vimos, o descanso. É interessante notar também, que Deus chamou o sábado do sétimo dia de "shabat shabaton" (sábado dos sábados), da mesma forma que o fez com o dia da expiação (Lv 23.3,32) equiparando assim, todos os tipos de sábado, caiam em que dia cair.

c) Os adventistas do sétimo dia (ASD) dizem que os dez mandamentos são "lei moral" e que o restante do pentatêuco seria "lei cerimonial", portanto, havendo diferença entre o sábado do sétimo dia e os demais sábados bíblicos. O erro deste argumento fica demonstrado no Salmo 19.7 onde lemos "A Torá (lei) do Senhor é perfeita". Cometendo um grave erro exegético, os adventistas tentam aplicar esta passagem só aos dez mandamentos, fato é que "Torá" é a designação hebraica de toda a lei (os cinco livros de Moisés), o que coaduna com o pensamento do apóstolo Paulo que, olhando para o Antigo Testamento, declara: "Toda escritura é inspirada por Deus" (2 Tm 3.16), portanto, quando o autor bíblico fala que a lei é perfeita, ele está falando do pentatêuco todo, do qual os dez mandamentos são só um resumo, da mesma forma que Jesus os resumiu ainda mais, em apenas dois mandamentos (Mt 22.34-40) e finalmente o apóstolo Paulo resumiu-os em um só mandamento (Rm 13.10). Portanto, o sétimo dia é sábado do mesmo modo que o décimo dia do sétimo mês hebreu o era, pois há uma só lei que é perfeita. Quando a Bíblia fala de "leis", ela está falando de aspectos particulares de uma mesma Lei do Senhor.

d) Lemos em Isaías 1.13,14: "Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as festas de lua nova, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniquidade associada ao ajuntamento solene. As vossas festas da lua nova e as vossas solenidades, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer". Deus, aqui, está aborrecido não só com as festas móveis de Israel, mas também com os seus sábados (do sétimo dia). Dizer que este texto só se aplica as festas móveis é um absurdo hermenêutico, pois o texto fala de "convocação das congregações" e isto ocorria também, e principalmente, no sábado do sétimo dia (Lv 23.3). Em Oséias 2.11 vemos o desgosto de Deus com o sábado judaico onde Ele afirma: "Farei cessar todo o seu gozo, as suas festas de lua nova, os seus sábados e todas as suas solenidades", nesta passagem clara, o Senhor afirma que faria CESSAR os sábados e que isto inclui o sétimo dia é liquido e certo pela expressão "todas as suas solenidades", obviamente o sétimo dia era uma solenidade de Israel e evidentemente seria cessada por mando de Deus.

e) A Bíblia nos diz com clareza que os sábados eram um sinal, uma aliança, uma instituição entre Deus e o antigo povo de Israel, portanto, não se aplica à Igreja do Novo Testamento, não sendo aplicável hoje aos cristãos. Lemos em Ezequiel 20.12,13: !Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o Senhor que os santifica. Mas a CASA DE ISRAEL se rebelou contra mim no deserto, não andando nos meus estatutos e rejeitando os meus juízos, os quais, cumprindo-os o homem, viverá por eles; e profanaram grandemente os meus sábados. Então, eu disse que derramaria sobre eles o meu furor no deserto, para os consumir". Façamos então, um pequeno exercício de interpretação bíblica: A quem foi dirigidas tais palavras? Quem estava peregrinando em rebeldia pelo deserto? Foi você? Sua Igreja? Seus pais? Claro que não, esta resposta é simples: o antigo povo de Israel, logo, o sábados, mesmo estando nos dez mandamentos, são sinal e instituição divina PARA Israel e não para a Igreja, portanto, impor isto aos cristãos é errado e anti-bíblico. Resumindo, leia o texto de Ex 31.12-18 e veja como os sábados são EXCLUSIVAMENTE para o antigo Israel, note no versículo 13: "Tu, pois, falarás aos FILHOS DE ISRAEL e lhes dirás: Certamente, guardareis os meus sábados, pois é sinal entre mim e VÓS", e ainda, no versículo 14: "Portanto, guardareis o sábado, porque é santo PARA VÓS OUTROS". Depois de lermos textos bíblicos tão claros pode haver dúvidas em uma mente honesta quanto ao fato de o sábado do sétimo dia ser um sinal distintivo para o antigo povo de Israel, como também o era a circuncisão (Gn 17.9-14), e, portanto, não aplicável ao cristão hodierno? Claro que não.

f) Embora Deus tenha abençoado e santificado o dia sétimo da criação (Gn 2.2,3), Ele não ordenou a Adão guardá-lo, somente em Moisés o sábado se tornou uma lei, portanto, o sábado do sétimo dia é uma lei de aspecto cerimonial, nacional e litúrgico, pois a parte moral da lei de Deus é eterna, haja vista que o pecado é a transgressão da lei (1 Jo 3.4) e Adão pecou, logo, transgrediu a lei que já existia e era de seu conhecimento e obiamente não incluia o sábado.

g) Muito embora Deus tenha descansado no sétimo dia da criação, após a queda do homem, Ele interrompeu este descanso e passou a trabalhar pela salvação humana, inclusive nos sábados. Isto é provado quando Jesus, em dia de sábado do sétimo dia, é questionado pelos judeus sobre a guarda deste dia e responde-lhes dizendo: "Meu Pai trabalha atéa AGORA, e eu trabalho também" (Jo 5.17), ou seja, tanto Deus Pai, como Deus Filho (Nosso Senhor Jesus Cristo) certamente trabalham no dia de sábado, o que seria um absurdo para os adventistas, mas é claramente atestado na Bíblia.

h) Os adventistas do sétimo dia argumentam dizendo 'Jesus não veio mudar mas cumprir a lei' e citam Mt 5.17,18, portanto, entendem eles, o sábado está em "vigor". Isto é um contrasenso, pois como já vimos o sábado era só para Israel. O que o Senhor está dizendo então em Mt 5.17,18? Para uma correta compreensão deste texto é importante notar que a expressão "lei e profetas" usada por Jesus não se refere ao sábado ou as cerimônias judaicas, esta expressão significa na linguagem de hoje o mesmo que o termo BÍBLIA, Jesus estava então afirmando que como Messias que ele era e é, veio cumprir as profecias bíblicas do Antigo Testamento e não mudá-las, isto nada tem haver com sábado, circuncisão, carne de porco, etc.

i) Os adventistas argumentam também que, a lei, esegundo eles por conseguinte o sábado, estão ainda em vigor porque o pecado é a transgressão da lei (1 Jo 3.4), e sem ela não haveria pecado. Aqui eles erram novamente na interpretação, por isolarem um texto do seu contexto. Qual a lei que o apóstolo João está se referindo neste texto? A resposta está em 1 Jo 4.8, é a lei do amor/caridade (veja também Rm 13.10; Mt 7.12) e não as cerimônias e datas do Antigo Testamento. Portanto, segundo João, pecado é agir com desamor para com Deus e o próximo, isto nada tem haver com dias da semana e não prova nada a favor do sétimo dia, eles erraram novamente.

j) Guardam os adventistas verdadeiramente o sábado? Claro que não. O mandamento diz: "seis dias trabalharás" (Ex 20.9), isto é, para guardar o quarto mandamento não basta se abster do trabalho no sétimo dia é necessário, também, trabalhar os outros seis, trabalham os funcionários públicos adventistas brasileiros no domingo? Vão às aulas no domingo os jovens adventistas? Abrem eles suas lojas neste dia? Claro que não, logo, neme eles guardam o mandamento,e, portanto, não podem cobrar o mesmo dos outros.

k) Podemos afirmar biblicamente que o sábado não é necessário no Novo Testamento? Claro que sim. Primeiro, porque já vimos que o sábado era só para o antigo povo de Israel; em segundo lugar, porque não existe mandamento em o Novo Testamento que nos leve a guardar qualquer dia da semana; e em terceiro lugar, porque não temos obrigações morais em cima de cerimônias e liturgias e isto é claro na Bíblia, pois senão vejamos:

- "Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo". (Cl 2.16,17).

- "Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. Cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente" (Rm 14.5).

- "como estais voltando, outra vez, aos rudimentos fracos e pobres, aos quais, de novo, quereis ainda escravisar-vos? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós tenha eu trabalhado em vão para convosco" (Gl 4.9b-11).

l) Um outro golpe mortal no sabatismo encontra-se em Atos capítulo 15. Nesta ocasião reuniu-se um concílio da Igreja Primitiva para resolver um problema sério, é que alguns "cristãos" estavam ensinando a respeito dos crentes não-judeus que "é necessário circuncidá-los e determinar-lhes que observem a lei de Moisés" (verso 5b), que o sábado do sétimo dia faz parte da lei de Moisés é nquetionável (Ex 20.8-11), logo, também este tema estava em questão naquele concílio cristão, uma vez que os que levantaram tal polêmica eram de origem farisaica e os fariseus tinham o sábado em alta estima. Nossa pergunta é, o que os apóstolos e a Igreja iluminados pelo Espírito Santo decidiram sobre esta questão? A resposta é clara e bíblica, encontrando-se nos versículos 28 e 29 deste capítulo: "Pois pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO e a nós não vos impor maior encargo além destas cousas ESSENCIAIS: que vos abstenhais das cousas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas; destas cousas fareis bem se vos guardardes". Desta decisão aprendemos três verdades importantes: primeiro que, foi uma decisão do Espírito Santo através da Igreja, segundo que, da lei de Moisés só foi exigido dos cristãos gentios o abster-se do mal testemunho ("cousas sacrificadas a ídolos") e do sexo ilícito, o resto estamos livres, inclusive do sábado, das cerimônias, da circuncisão, etc., e em terceiro lugar, aprendemos que o sábado não é, na visão do Espírito Santo e dos apóstolos, algo essencial para a verdadeira fé cristã, pois ele não está incluído nas "cousas essenciais" da lei de Moisés mencionadas em nosso texto. Portanto, vemos biblicamente ruir toda a base sabatista do adventismo.

m) Também na História da Igreja Cristã os adventistas estão desamparados. Existem diversos testemunhos históricos que desde a Igreja Primitiva os cristãos tem guardado o domingo como seu dia de repouso e culto em comemoração à ressurreição do Senhor Jesus, marco principal da fé cristã. Temos testemunhos como o de Inácio de Antioquia (110 AD), do Didaquê XIV:1 e da Epístola de Barnabé XV:9, todos favorecendo a observância cristã do domingo e sendo todos no máximo do século II, em plena Igreja Primitiva. Além do que, temos o testemunho do estudioso e ex-adventista D. M. Canright que para compreender a expressão bíblica "No dia do Senhor" de Apocalipse 1.10 (no original grego: EN THÊ KURIAKE HEMERA), fez uma contextuação do texto sagrado com outros textos encontrados em documentos históricos, mostrando uma sequência, em sentido regressivo, de testemunhos que vão do século XVIII, initerruptamente ao I século da era cristã, especificamente ao ano 96 AD, em que foi escrito o Livro do Apocalipse, concluindo que esta expressão aplica-se ao primeiro dia da semana - o domingo.

n) Concluindo este assunto, qual o conselho do Novo Testamento sobre o dia de guarda atual dos cristãos? Por tradição apostólica e segundo o exemplo do Novo Testamento, os cristãos faziam seus cultos públicos no primeiro dia da semana, isto é, no domingo (At 20.7) e também nesse dia tiravam suas ofertas para os irmãos necessitados (1 Co 16.1,2). Não há nada que nos leve a mudar este costume, cremos ser de bom alvitre nos mantermos nele, todavia é importante saber que não tratamos o domingo com a fúria legalista de judeus e adventistas em relação ao sábado, pois, como explica Martinho Lutero em seu Catecismo Maior, guardar o dia de descanso não é se abster de trabalho e compras, mas é outrossim tomar tempo com a Palavra de Deus. E é isto que os evangélicos fazem, biblicamente, no domingo.

o) Como vimos, os adventistas exigem a guarda do sábado para a salvação ou como prova dela, a Bíblia nos diz que é "pela graça sois salvos, mediante a fé; isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras para que ninguém se glorie" (Ef 2.8,9). Logo, se é por graça não depende de guardar este ou aquele dia, pois isto é obra da lei ou seja, esforço humano. Se o próprio Deus e seu Filho Jesus Cristo não guardaram, outrossim, trabalharam no sábado (Jo 5.16,17), como exigiriam tal coisa como pré-requisito ou prova de salvação? Eis aqui uma grave heresia adventista - a salvação por méritos próprios, nós cristãos estamos livres do peso do sábado e de outras frustrantes tentativas de colaboração com Deus ou auto-salvação, nossa salvação é graça - um presente imerecido, que recebemos somente pela fé em Jesus Cristo.

15 comentários:

Nuno disse...

1. “A palavra sábado neste texto e em todo o Antigo Testamento significa DESCANSO (em hebraico "shabat") e não está ligado exclusivamente a um determinado dia da semana.”
Nossa questão é, será que esta interpretação adventista do mandamento está correta?”



Ora vamos lá ler melhor se faz favor:

"Lembra-te do dia de Sábado, para o santificar, seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor, teu Deus (...)porque, em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, e o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou" Êxodo 20:8-11

A palavra usada nesta passagem é iom, que significa literalmente dia (de 24horas)
Também diz que é O DIA do Senhor, teu Deus.

וְיֹום הַשְּׁבִיעִי שַׁבָּת ׀ לַיהוָה אֱלֹהֶיךָ – sétimo dia é o Sábado do Senhor teu Deus.

É só ler.

2. Deus ordenou aos israelitas a guarda do sábado nos dez mandamentos, bem como ordenou outros dias,"

Sim é verdade. Mas o Sábado, sétimo dia da semana é em memória da criação do mundo (volta a ler Êxodo 20:11) e os restantes Sábados apontam para a vinda de Cristo:

...dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras...” Col. 2:16b-17a


3. “Os adventistas do sétimo dia (ASD) dizem que os dez mandamentos são "lei moral" e que o restante do pentatêuco seria "lei cerimonial", portanto, havendo diferença entre o sábado do sétimo dia e os demais sábados bíblicos.”

Correcto. Acrescento que esses Sábados Bíblicos são considerados descansos mas são diferentes do Sábado, sétimo dia da semana, devido ao que simbolizam.

4. ”O erro deste argumento fica demonstrado no Salmo 19.7 onde lemos "A Torá (lei) do Senhor é perfeita". Cometendo um grave erro exegético, os adventistas tentam aplicar esta passagem só aos dez mandamentos, fato é que "Torá" é a designação hebraica de toda a lei”


Peregrino, porque é que ficaste, mais uma vez, num só versículo? Sabias que o quarto mandamento são 3 versículos? Esta explicação da “Lei” continua nos 2 versículos seguintes. Vejamos o que diz:

“A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples.
Os preceitos do Senhor são rectos, e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos.
O temor do Senhor é limpo, e permanece para sempre; os juízos do Senhor são verdadeiros e inteiramente justos.“ (Salmo 19:7-9)

Pedemos analizar que esta passagem destingue as duas Leis: os dez mandamentos e as leis de juízos ou cerimonias.
Embora o versículo 7 refira Lei, o versículo 8 fala em preceitos (que também é traduzido por mandamentos) e confirma a seguir “o mandamento”. No fim do versículo 9 acresenta que os juízos são verdadeiros e inteiramente justos (eu acrescentaria que, David, ao dizer isso, está a dizer que embora sejam penosos, são justos). Volto a sublinhar: “A Lei do Senhor é perfeita...”
Para a próxima lê os restantes versiculos para não ficares mal visto sff.


5. Isaías 1.13,14 “"Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as festas de lua nova, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniquidade associada...”

Paulo diz que as festas de lua nova e Sábados são Leis cerimonias e foram abolidos na cruz: (Col. 2:14-17) é só ler:

“e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz;
e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz.
Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo.” Col. 2:14-17)

Nuno disse...

6. A Bíblia nos diz com clareza que os sábados eram um sinal, uma aliança, uma instituição entre Deus e o antigo povo de Israel, portanto, não se aplica à Igreja do Novo Testamento, não sendo aplicável hoje aos cristãos. Lemos em: !Também lhes dei os meus sábados, para servirem de sinal entre mim e eles, para que soubessem que eu sou o Ezequiel 20.12,13Senhor que os santifica."

Certíssimo! Como podes ler em Ezequiel 20.12,13: Também lhes dei os meus sábados... (Sábados no plural, mais uma vez)

Será que leste o versículo anterior para ver do que o Autor de Ezequiel estava a falar:

“E dei-lhes os meus estatutos, e lhes mostrei as minhas ordenanças, pelas quais o homem viverá, se as cumprir.” 20.11 ... e continua no versículo 13.

Como vez, o autor de Ezequiel falava em ordenanças e não nos Mandamentos. Por isso é que Col. 2:16 faz alusão a “que são sombras das coisas vindouras;” pois essas leis cerimonias eram um sinal, como disseste e muito bem, que apontava para Cristo, para a sua futura vinda.

7. “e veja como os sábados são EXCLUSIVAMENTE para o antigo Israel, note no versículo 13: "Tu, pois, falarás aos FILHOS DE ISRAEL e lhes dirás: Certamente, guardareis os meus sábados, pois é sinal entre mim e VÓS"

Muito bem. É por isso que os Adventistas do Sétimo dia não guardam as leis cerimonias nem esses Sábados que serviam de sinal, pois foram abolidos em Col. 2:14-17. Nota, que já passaram quase 2000 anos depois da morte de Jesus.

8. “Embora Deus tenha abençoado e santificado o dia sétimo da criação (Gn 2.2,3), Ele não ordenou a Adão guardá-lo, somente em Moisés o sábado se tornou uma lei, portanto, o sábado do sétimo dia é uma lei de aspecto cerimonial, nacional e litúrgico”

Não tem nada a ver.
Vejamos a ordem dos acontecimentos:

“Enoque andou com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus o tomou.” Gênesis 5:24

Aqui Enoque foi transladado vivo para o céu pois obedecia a Deus. Em Gen. 5:22 Enoque gera Matusalem, em Gen. 5:24 Matusalem gera Lameque, Lameque gerou Noé v.28-29.
O que a Bíblia fala de Noé?

“Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.
Estas são as gerações de Noé. Era homem justo e perfeito em suas gerações, e andava com Deus. “ Gênesis 6:8-9

Noé era homem justo e perfeito e andava com Deus. Guardava ele o Domingo? Não, Deus instituiu o Sábado e a prova disso está no seu descendente, Abraão:

“porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis.” Gênesis 26:5

Abraão guardava: o seu mandado, OS preceitos, as Leis de Deus – os seus dez mandamentos, claro e isso inclui o Sábado pois Deus criou o homem e a mulher no sexto dia e no Sétimo dia descançou para servir de exemplo para eles pois Deus não se cansa, de facto e sobre isso Jesus diz:

“Mas Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, (...)” João 5:17

Por outras palavras: Deus trabalha desde a criação até aos dias de hoje por isso Deus descansou no Sábado para servir de exemplo ao homem... e Jesus fez o mesmo.

9. e passou a trabalhar pela salvação humana, inclusive nos sábados.(...)ou seja, tanto Deus Pai, como Deus Filho (Nosso Senhor Jesus Cristo) certamente trabalham no dia de sábado, o que seria um absurdo para os adventistas, mas é claramente atestado na Bíblia."

Vou usar a mesma frase de Jesus para te responder à tua declaração:

“Ora, quanto mais vale um homem do que uma ovelha! Portanto, é lícito fazer bem nos sábados. Mateus 12:10

Por isso, usando a tua expressão: “passou a trabalhar pela salvação humana” , confirmo que Jesus fez tudo para salvar o homem enquanto esteve na terra, e isso cincluía orar noites inteiras. Agora pergunto-te: é lícito trabalhar no Sábado para salvar servos salvos? Sim, e Jesus guardava o Sábado e os mandamentos de Deus e ensinava-os aos seus discípulos. Uma coisa não impede a outra.

(continua)

Nuno disse...

10. “Os adventistas do sétimo dia argumentam dizendo 'Jesus não veio mudar mas cumprir a lei' e citam Mt 5.17,18, portanto, entendem eles, o sábado está em "vigor". Isto é um contrasenso, pois como já vimos o sábado era só para Israel.”

É curioso que aparecem de vez em quando afirmações que já refutei com a Bíblia.
Jesus diz que o Sábado é para o homem (literalmente) e não diz que é para o Judeu:

“E prosseguiu: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado.
Pelo que o Filho do homem até do sábado é Senhor.“ Marcos 2:27-28)

Porque quando Deus criou o Sábado em Gênesis 2:1-3, não existiam Judeus, só exista Adão e Eva.

11. “Os adventistas argumentam também que, a lei, esegundo eles por conseguinte o sábado, estão ainda em vigor porque o pecado é a transgressão da lei (1 Jo 3.4), e sem ela não haveria pecado. Aqui eles erram novamente na interpretação, por isolarem um texto do seu contexto. Qual a lei que o apóstolo João está se referindo neste texto? A resposta está em 1 Jo 4.8, é a lei do amor/caridade”

Primeiro: não há nenhum versiculo na Bíblia que diz que o Sábado foi abolido, bem pelo contrário, já provei anteriormente que o Sábado será o dia de adoração de Deua no céu em Isaias 66:22

Segundo: como o pecado é a transgressão da Lei, então essa Lei existe pois a Bíblia diz que todos pecámos. (Romanos 2:12, 3:23, 5:12)

Terceiro: em relação a 1 Joao 3:4, na minha Bíblia KJV, esse discurso que começa em 1 joao 3:3 tem como título: “quem conseqüentemente obedece guardar os seus commandments” (who therefore ought obediently to keep his commandments) por isso é correctíssimo.

Em relação a 1 João 4:8 começa no versículo 7 por dizer:

“Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.” 1 João 4:7

O mesmo João acrescenta sobre o amor:

Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, se amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos.
Porque este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são penosos;” 1 João 5:2-3

Jesus também diz:

“Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.” João 14:15

Como vês, os mandamentos são amor, pois Deus é amor:

“E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele.” 1João 4:16

Por isso o contexto está correcto ou não fosse João chamado o discípulo do amor.

12. Guardam os adventistas verdadeiramente o sábado? Claro que não. O mandamento diz: "seis dias trabalharás" (Ex 20.9),"

Eu começo por fazer a pergunta ao contrário: e tu, guardas ao menos o Sábado?
Meu amado, todos os Adventistas sabem guardar o Sábado só quem não guarda o dia do Senhor é que não sabe o que é isso. No primeiro dia da semana, cada Adventista trabalha, mesmo que não seja no seu trabalho que tem de segunda a sexta-feira, fazendo o que quer: poder ser fazer limpeza à casa, lavar o carro, varrer o jardim, etc. Vê aqui o Deus pede do Sábado:

“Se desviares do sábado o teu pé, e deixares de prosseguir nas tuas empresas no meu santo dia; se ao sábado chamares deleitoso, ao santo dia do Senhor, digno de honra; se o honrares, não seguindo os teus caminhos, nem te ocupando nas tuas empresas, nem falando palavras vãs;
então te deleitarás no Senhor, e eu te farei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Jacob; porque a boca do Senhor o disse.” Isaias 58:13-14

(continua)

Nuno disse...

13. “Podemos afirmar biblicamente que o sábado não é necessário no Novo Testamento? Claro que sim. Primeiro, porque já vimos que o sábado era só para o antigo povo de Israel; em segundo lugar, porque não existe mandamento em o Novo Testamento que nos leve a guardar qualquer dia da semana; e em terceiro lugar, porque não temos obrigações morais em cima de cerimônias e liturgias.”

O Sábado é o selo do povo de Deus pois liga o crente ao seu Deus Criador, Êxodo 20:11
O Sábado é para todo o homem (Marcos 2:27-28)
Existe sim um mandamento que nos leva a guardar o Sábado, aqui (Hebreus 4)
Como vimos anteriormente, Jesus, os seus discipulos e seguidores fazem separação das duas Leis e Paulo confirma mesmo que a Lei cerimonial foi abolida na cruz.

(Rm 14.5)- fora do contexto
(Gl 4.9b-11)- fora do contexto

14. "e determinar-lhes que observem a lei de Moisés" (verso 5b), que o sábado do sétimo dia faz parte da lei de Moisés é nquetionável (Ex 20.8-11),"

Meu amado, como já vimos anteriormente, o Sábado foi criado antes de Moisés existir, o Sábado era guardado por Abraão, e o Sábado foi criado antes do pecado e mesmo antes de existir os dez mandamentos. Nessa passagem de Actos, é feita a distinção entre Leis cerimonias e os mandamentos.

"Pois pareceu bem ao ESPÍRITO SANTO e a nós não vos impor maior encargo além destas cousas ESSENCIAIS: que vos abstenhais das cousas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas; destas cousas fareis bem se vos guardardes" Actos 15:28-29
Aqui diz que não é preciso a circuncisão (ver versículos 10,19) e afirma que “...não vos impor maior encargo ALÉM destas cousas ESSENCIAIS” e começa a enumerar o que é essencial: “que vos abstenhais das cousas sacrificadas a ídolos” ou seja, o primeiro mandamento (Êxodo 20:3); “relações sexuais ilícitas” o oitavo mandamento (Êxodo 20:14). Aqui cita que é obrigatório manter os dez mandamentos.

15. “Também na História da Igreja Cristã os adventistas estão desamparados. Existem diversos testemunhos históricos que desde a Igreja Primitiva os cristãos tem guardado o domingo como seu dia de repouso e culto em comemoração à ressurreição do Senhor Jesus”

É curioso que mesmo à pouco li um texto de um dos pais da igreja, chamado Irenée (em francês) e ele é muito conhecido e ele diz que defende os dez mandamentos.
Mesmo assim, aquilo que os outros pensam não justifica nada, pois na história do povo de Deus, o povo que servia a Deus era sempre muito pouco: Enoch, Noé (e sua família eram 8 pessoas no dilúvio), Abraão, Jacó, José, etc. Por isso a quantidade não prova nada.

(continua)

Nuno disse...

16. “Por tradição apostólica e segundo o exemplo do Novo Testamento, os cristãos faziam seus cultos públicos no primeiro dia da semana, isto é, no domingo (At 20.7) e também nesse dia tiravam suas ofertas para os irmãos necessitados (1 Co 16.1,2). Não há nada que nos leve a mudar este costume,”

Costume? Tu disseste costume? Olha o que Jesus tem para te dizer:

“Este povo honra-me com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim.
Mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homem.” Mateus 15:8-9
Em relação a Actos 20:7 analizemo-lo:

“No primeiro dia da semana, tendo-nos reunido a fim de partir o pão, Paulo, que havia de sair no dia seguinte, falava com eles, e prolongou o seu discurso até a meia-noite. (At 20:7)”

Acredito que não saibas que Paulo ficou somente um dia aqui mesta terra pois estava só de passagem por isso é que ele alargou o seu discurso até à meia-noite pois no dia seguinta partiria. Aqui, Paulo aproveitou para ficar com irmãos de igreja e fraternizar com eles e fez a santa-ceia que pode ser feita em qualquer dia da semana – aqui, calhou no primeiro dia da semana, e depois? Certamente não sabes também que Jesus comemorou a santa ceia numa quinta-feira, por isso associar esta reunião ao Domingo então está errado. Outro argumento contra é que os discípulos se juntavam frequentemente para partirem o pão, era um hábito:

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração,
louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.” (Actos 2:46-47)
Por isso o teu argumento não é válido.

17. “Como vimos, os adventistas exigem a guarda do sábado para a salvação ou como prova dela, a Bíblia nos diz que é "pela graça sois salvos, mediante a fé; isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras para que ninguém se glorie" (Ef 2.8,9)”

É preciso ler todos os versículos desta agumentação. Este discurso Efésio 2:1-9 ensina-nos isto:

Estavamos no pecado fazendo a vontade da carne (v.1-3) mas Deus enviou o Seu filho para nos resgatar do pecado (v.5-6). Não há obras que possam substituir o sacrifício de Jesus que nos resgatou do pecado. É o mesmo sentido que temos aqui:

Porque, se a aspersão do sangue de bodes e de touros, e das cinzas duma novilha santifica os contaminados, quanto à purificação da carne,
quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará das obras mortas a vossa consciência, para servirdes ao Deus vivo? (Hebreus 9:13-14)

Quando lemos isto "pela graça sois salvos, mediante a fé” Tiago explica isso aqui:

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta. (Tg 2:26)

Jesus ensina que pelos frutos os conhecereis (Mateus 7:20). Ele ainda ensina que se guardarmos os mandamentos teremos vida eterna, não é só o Sábado (Mateus 19:17-18)
Pois Jesus apela a que andemos como Ele andou, e que não peques mais, como ele disse à adúltera, por exemplo.

18. “Eis aqui uma grave heresia adventista...”

Eu diria: eis aqui mais uma má interpretação, de quem apresentou isto, como tem vindo a ser costume.
É pena que o conhecimento e o bom-senso não se comprem...

O Peregrino disse...

Por que no decreto de Atos 15 que trata de preceitos a serem observados pelos gentios, o sábado não aparece? A omissão é estranha não? E aliás , só se justificaria a omissão se os gentios por natureza tivessem o costume de observar o sábado, o que não é o caso.

O Peregrino disse...

Vocês dizem que antes mesmo do sábado - formalmente - ser incluído na lei mosaica já era observado pelos ancestrais de Moisés. Dizem mais: que a obrigatoriedade de guardar o sábado não foi dado aos hebreus mas à humanidade. Corroboram tais palavras com Gên. 2: 2,3.

"E ao sétimo dia Deus havia acabado sua obra que fizera e passou a repousar no sétimo dia de toda a sua obra que fizera. E Deus passou a abençoar o sétimo dia e a fazê-lo sagrado, porque nele tem repousado de toda a sua obra que Deus criara com o objetivo de [a] fazer."

Onde está no texto qualquer obrigação a humanidade ou a guarda do sábado?

Vânia disse...

"Por que no decreto de Atos 15 que trata de preceitos a serem observados pelos gentios, o sábado não aparece? A omissão é estranha não?"

"...como primeiramente Deus visitou os gentios para tomar dentre eles um povo para o seu Nome." v.14
"...reedificarei as suas ruínas, e tornarei a levantá-lo" v.16
" para que o resto dos homens busque ao Senhor, sim, todos os gentios ..." v.17
" diz o Senhor que faz estas coisas, que são conhecidas desde a antiguidade."v.18
"Porque Moisés, desde tempos antigos, tem em cada cidade homens que o preguem, e cada sábado é lido nas sinagogas."

Como vês, a informação aqui é evolutiva. Primeiro Deus visita os gentios para os chamar para Si, pois Ele quer reestabelecer a sua vontade nos homens (v.16), que é conhecida desde a antiguidade (v.18) para o resto dos homens (certamente Deus quer se sejam todos os homens) busquem a Deus. A seguir é presentado um exemplo de Moisés, que é pregado nas sinagogas, ao Sábado.

- O que é que Deus quer estabelecer e que é conhecido desde a antiguidade e que foi escrito por Moisés? Aqui é presentado 2 grande pilares dos dez mandamentos:

- amor para Deus "Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos," - 1º mandamento e que representa os 4 primeiros mandamentos
- amor com o próximo "e da prostituição" (ou actos sexuais, depende da versão) e que representa os restantes 6 mandamentos.

"Onde está no texto qualquer obrigação a humanidade ou a guarda do sábado?"

Não precisa de lá estar na criação, peregrino. No entanto sabemos que Noé, o único homem justo foi chamado por Deus, Enoque, que andava com Deus foi chamado para Deus, e Abraão que certamente aprendeu os mandamentos de Deus por meio dos descendentes de Noé, foi também considerado justo e chamado por Deus.
Relê:

"porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis." Gênesis 26:5

Abraão obecedeu à voz de Deus. E por intermédio de Moisés, Deus apela a que obeçademos à Sua voz:

"Moisés falava, e Deus lhe respondia por uma voz."
"Então falou Deus todas estas palavras, dizendo:"

E Deus apresentou as suas Dez palavras, ou Dez mandamentos, ou o Decálogo, ou a Sua Lei. No Sábado, Deus apela que nos lembremos dele:

"Lembra-te do dia do sábado, para o santificar"

Volto a lembrar que devido aos 430 anos de escravatura no Egipto, o povo esqueceu a vontade de Deus e aqui Deus revela a Sua vontade.
Jesus também foi um exemplo pois Ele mesmo guardou os 10 mandamamentos de Seu pai e ordena-nos a fazer o mesmo:

"Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor." João 15:10

Lembra-te que Deus (Jesus) não mente nem se arrepende do que faz:

"Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa" Numeros 23:19

Jesus é sempre o mesmo:

"Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente." Hebreus 13:8

E a sua Lei é Eterna:

"Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;
e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos." Salmo 119:44-45

Nuno disse...

peço desculpa mas a minha esposa tinha a sua conta de email aberta e postei a resposta com a conta dela.

O Peregrino disse...

Especulações, somente. Nada de objetivo.

O Peregrino disse...

Essa guarda do sábado em Hebreus 4 não é a guarda do sábado semanal.

Nuno disse...

"Especulações, somente. Nada de objetivo."

Anulei todas as tuas afirmações, é só ler.
Deixa-me te dizer, visto que dizes que foram só especulações, que pegar num só versículo sem ler os versículos anteriores e posteriores é muito mau e prova a tua falta de conhecimento na análise de um capítulo!... e foi o que fizeste e várias vezes.



,"Onde está no texto qualquer obrigação a humanidade ou a guarda do sábado?"

O meu Senhor e Deus Jesus diz:

"E prosseguiu: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. 28 Pelo que o Filho do homem até do sábado é Senhor." Marcos 2:27-28

Jesus é o meu Deus, e qual é o teu Deus? Se esperas ir para o céu sem o obedecer então estás enganado pois Ele acrescenta:

"Se me amardes, guardareis os meus mandamentos." Joao 14:15
"mas se é que queres entrar na vida, guarda os mandamentos. Mateus 19:17

- aceitar Jesus como nosso Deus é uma questão de obediência.

"Essa guarda do sábado em Hebreus 4 não é a guarda do sábado semanal."

Vamos analisar melhor:
v.3 "
Porque nós, os que temos crido, é que entramos no descanso... (só alguns é que crêm e quando fala em "nós", então inclui o autor do livro de Hebreus)

v.4 "pois em certo lugar disse ele assim do sétimo dia: E descansou Deus, no sétimo dia, de todas as suas obras;" (referências a Gn 2:2-3, Ex. 20:11 e faz referência dia DIA de 24horas)

v.6 "...que aqueles a quem anteriormente foram pregadas as boas novas não entraram por causa da desobediência," (aqui é apresentado que o Sábado foi anunciado e alguns não o aceitaram por desobediência)

v.8 Porque, se Jesus (ιησους) lhes houvesse dado descanso, não teria falado depois disso de outro dia (ημερας - literalmente dia).
(Jesus é quem dá o dia(literal) de repouso)

v.9 Portanto resta ainda UM repouso sabático para o povo de Deus. (Esta é a primeira conclusão do autor de Hebreus, e a palavra utilizada aqui é: σαββατισμος, que significa repouso de Sábado)

v.10
"Pois aquele que entrou no descanso de Deus, esse também descansou de suas obras, assim como Deus das suas." (aqui temos que se seguirmos o exemplo de Deus então estaremos a obedecer-lhe)

V.11 "Ora, à vista disso, procuremos diligentemente entrar naquele descanso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência." (mais uma conclusão: devemos de guardar o Sábado, senão caímos em desobediência)

v.12 "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração." (esta expressão sublinhada quer dizer: distinguir o bem e o mal (moral), o que é pecado ou não.)

Como vês, Hebreus 4 comprova que o Sábado do Senhor está em vigor: é só ler todo o capítulo com atenção. Onde está a passagem que o 1º dia da semana é o dia de adoração de Deus?? Não há.

O Peregrino disse...

Amado, a questão de Hebreus 4 significa o sábado espiritual e não o semanal, é o descanso que o Senhor dará aos salvos.

Interessante que as leis dos 10 mandamentos também estão na de Moisés, que pra mim é a mesma coisa, ou seja, lei moral está inserida na cerimonial, então Cristo aboliu na cruz essas?

Amado, duas coisas estou estudando e vou lhe apresentar, uma é a questão de Colossenses 2:16, esse sábado é o sábado semanal, a outra questão é essa passagem de Hebreus 4 que não tem nada a ver com a sua tese.

Mas eu chegarei lá.

Nuno disse...

Meu amado:
existe somente uma verdade que o Espírito de Deus ensina a todos profetas (2Pedro1:20-21).

- Se Jesus é Deus e o Senhor do Sábado (Êxodo 20:10, Isaias 58:13;
Marcus 2:28)

- e Ele mesmo guardava o Sábado(Lucas 4:16),

- os Seus discípulos (incluindo Paulo) guardavam o Sábado (Actos 17:2, Actos 18:4)

- mesmo as mulheres que seguiam Jesus guardavam o Sábado

- os gentios guardavam o Sábado (Actos 13:42),

- Jesus queria que o Seu povo guardasse o Sábado depois da Sua morte (Mateus 24:20; Apoc. 14:6-7 (Êxodo 20:11))

- A bíblia ensina que o povo de Deus do tempo do fim guardará os dez mandamentos (Apocalipse 12:17;
Deuterenómio 5:29; Apocalipse 14:12; Apocalipse 22:14;

- e todos os mandamentos são importantes para Deus, até mesmo o Sábado (Tiago 2:10)

- Será que Deus permite que alguém mude o Seu dia sagrado? Não: (Provérbios 30:15; Sl 12:6; Sl 18:30; Sl 19:8; Sl 119:140)

- O dia de Sábado tem uma benção prometida: (Mateus 11:28; Êxodo 33:14; Hebreus 4:5)

- O dia de Sábado foi criado antes do pecado e ainda foi abençoado e Santificado (como Deus é Santo) Gênesis 2:2-3)

Agora pergunto: há algum problema com o dia de Sábado para que Deus o mudasse? A Bíblia só fala bem dele, e posso acrescentar que os Dez mandamentos são eternos, bonsm são vida... etc, etc, etc é só procurar no Bíblia.
Não sou eu que tenho que provar o que 2 Col.2:16 diz pois a bíblia toda fala a verdade e não é um versículo que muda a verdade pois se Jesus entregou com grande aparato os 10 Mandamentos no Sinai, pela sua boca e pelo seu dedo a escreveu em tábuas de pedra, então SE o decálogo mesmo que é de sua autoria, fosse mudado, então Jesus, que veio ao mundo, diria que mudava.

O que Ele disse foi:

" Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Lc 16:17;Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus." Mateus 5:17-19

"É, porém, mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei. (Sl 102:26; Is 40:8; Is 51:6; Mt 5:18) Todo aquele que repudia sua mulher e casa com outra, comete adultério; e quem casa com a que foi repudiada pelo marido, também comete adultério" Lucas 16:16

"Seca-se a erva, e murcha a flor; mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente." 1Pe 1:25 (Isaías 40:8)

Qual palavra? As palavras ou o Decálogo pois Ele é o conjunto de várias palavras, dez para ser exacto.

(continua)

Nuno disse...

Conclusão
--->
Não precisa de provar nada em Col.2:16 que já não se saiba. Para isso comece por provar que o que Jesus e os Seus profetas fizeram e disseram BASEADOS nas:
10 palavras, ou o Decálogo, ou os Dez mandamentos ou a Lei Moral, ou a Lei Eterna, ou a Lei do Reino (é tudo o mesmo que se encontra em Êxodo 20:1ss)
...se são ou não mentira.

Lembra-te que Jesus é sempre o mesmo hoje, ontem e eternamente e que Ele não mente pois não é homem, nem Deus muda por isso tens muito para explicar e não é Col. ou Oseias, dois versículos que não se baseiam no que Jesus, Deus que se fez homem, fez quando esteve na terra pois Ele veio como testemunha do Deus Pai (ver o Evangelho de João), e tudo o que Ele fez foi para glorificar o Pai e não vinha de Jesus mesmo, pois o Pai o enviou:

"Porque o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o julgamento, Mt 11:27; Jo 3:35; para que todos honrem o Filho, assim como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou. Jo 2:23; Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida" (João 5:22-24)

Terás muito para justificares a Jesus pois todo o poder é dele e quem crê nele tema vida Eterna.

O meu desejo é que Deus te abençoe com a Sua Palavra, que o sigas como Ele é e que não sigas preceitos de homens, pois Jesus não ensinou a adoração do 1º dia da semana,

"E o testemunho é este: Que Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho; Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida." 1joão 5:11-12

Ámen