quarta-feira, 10 de junho de 2009

Testemunhas: o que eu quero dizer por Trindade

Por: Josh McDowell e Bart Larson

Definições dos termos
Definições adequadas da natureza de Deus, a natureza da Trindade, e a pessoa e natureza de Jesus Cristo são pré-requisitos para entender as muitas Escrituras relativas à divindade de Cristo.

1. Deus: As Escrituras ensinam que Deus é pessoal, inteligente, amoroso, justo, fiel, eterno, criativo, e em interação dinâmica com Sua criação. Os atributos de Deus podem ser resumidos em dois grupos: atributos gerais e atributos morais. Robert Passantino declara "Deus [de acordo com seus atributos gerais] é sem igual, eterno, immutable, onipotente, onisciente, onipresente, triúno, espiritual e pessoal". Ele continua "os atributos morais de Deus incluem sua santidade, retidão, amor e verdade". O cristianismo ensina que Deus sustenta e rege o Universo no presente, e, como nós tentaremos mostrar, foi encarnado em Jesus de Nazaré.

2. Trindade: Fora de toda a realidade ou existência, só Deus é tripessoal ou triúno. Quando dizemos que Deus é triúno, estamos nomeando a visão de Deus derivada de um panorama de passagens das Escritura que descrevem a natureza pessoal de Deus. Por triúno, do qual vem a palavra "Trindade", queremos dizer que Deus é constantemente revelado eternamente como três pessoas (Pai, Filho, e Espírito Santo). Estas três pessoas compõem a Divindade, mas só há um Deus.

Nós não queremos dizer que:

(1) há um Deus e três deuses.

(2) há um Deus e uma pessoa com três nomes, modos ou manifestações.

(3) há um Deus e uma pessoa que se tornou três pessoas separadas e sucessivas.

(4) há três deuses que estão em uma "família".

(5) Deus é esquizofrênico.


A doutrina bíblica da Trindade pode ser resumida dessa forma:

O verdadeiro Deus, como já estabelecido (Is. 43:10; Dt. 6:4), é composto do Pai, Filho, e Espírito Santo. Cada membro da divindade é chamado "Deus" na Bíblia. O Pai recebe o nome de Deus (Gl. 1:1; Ti. 1:4; etc.). O Filho, ou Palavra (logos), é chamado repetidamente de Deus em versículos como Jo. 1:1,14; At. 20:28; Jo. 20:28; Ti. 2:13; Hb. 1:8, etc. O Espírito Santo é identificado como Deus em várias Escrituras (At. 5:3-4; 1 Jo. 4:2,3; Hb. 10:15,16). O conceito da unidade dentro da Trindade é visto em um versículo como Mt. 28:19, onde o Pai, Filho, e Espírito Santo incluem um "nome" (singular em grego).

Neste livro nós não estamos tentando defender a doutrina da Trindade. Uma vez que uma pessoa acredita na divindade de Cristo, crê na existência de Deus como Pai, Filho, e Espírito Santo normalmente não é um problema. Para a pessoa que quiser pesquisar o que a Bíblia diz sobre a Trindade, estude os seguintes versículos (Mt. 3:16,17; Mc. 1:9-11; Lc. 1:35; 3:21,22; Jo. 3:34-36; 14:26; 16:13-15; At. 2:32,33; 38,39; Rm. 15:16,30; ICo. 12:4-6; IICo. 3:4-6; 13: 14; Ef. 1 :3-14; 2:18-22; 3:14-17; 4:4-6; 2 Ts. 2:13,14; ITm. 3:15,16; Hb. 9:14; 10:7; 10-15; IPd. 1:2; para dizer alguns).

3. Jesus Cristo: "Jesus Cristo" é um nome e um título. O nome Jesus é derivado da forma grega do nome Jeshua ou Joshua que significam "Jeová-salvador" ou "o Senhor salva ". O título Cristo é derivado da palavra grega para Messias (ou o Mashiach hebraico - Daniel 9:26) e significa "ungido ". Dois ofícios, o rei e sacerdote, são envolvidos no uso do título Cristo. Aquele título aponta a Jesus como o sacerdote e rei prometido das profecias do Velho Testamento.

Além isso, acreditamos que Jesus possui duas naturezas, a humano e a divino; assim cremos na idéia de que Jesus é completamente Deus (em natureza) e ainda completamente humano - Deus revelado na forma humana.

A Bíblia descreve a natureza dupla de Jesus como Deus e homem assim:

"Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus [sua natureza divina], não julgou como usurpação o ser igual a Deus [o Pai]; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo [forma número dois, sua natureza humana], tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus [o Pai] o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre [adore] todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor [Deus Filho] , para glória de Deus Pai" (Fl. 2. 5-11. ARA)


- Extraído de "Jesus: uma defesa bíblica de Sua divindade", de Josh McDowell e Bart Larson.

0 comentários: