terça-feira, 30 de setembro de 2008

A História do Mormonismo

O Mormonismo teve início com Joseph Smith Jr.que nasceu em 25 de Dezembro de 1805, em Vermont. Ele era o quarto filho de Lucy e Joseph Smith. O pai de Joseph era conhecido como caçador de tesouros enterrados, particularmente o do Capitão Kidd. Sua mãe era extremamente supersticiosa.
Joseph Smith Jr. afirmou que estava perturbado pelas diferenças entre as denominações do Cristianismo e perguntava-se qual seria a verdadeira. Em 1820, quando ele tinha 14 anos, ele foi para a mata para orar a respeito disto e alegou que Deus, o Pai, e Jesus apareceram a ele e lhe disseram para não unir-se a qualquer daquelas igrejas denominacionais.
Três anos depois, em 21 de setembro de 1823, quando tinha 17 anos, um anjo chamado Moroni, que supostamente era filho de Mórmon, o líder de um povo chamado Nefitas, que tinha vivido na América, apareceu a ele e lhe disse que fora escolhido para traduzir o Livro de Mórmon que fora compilado pelo pai de Moroni perto do quarto século. O livro fora escrito em placas de ouro e escondido próximo de onde Joseph vivia em Palmyra, Nova York. Joseph Smith disse que em 22 de setembro de 1827 ele recebeu as placas e que o anjo Moroni o instruiu a iniciar o processo de tradução. A tradução foi finalmente publicada 1830 como o Livro de Mórmon. Joseph afirmou que durante este processo de tradução, João Batista apareceu-lhe e ordenou-lhe que completasse o trabalho divino de restaurar a verdadeira igreja pela pregação do verdadeiro evangelho que, alegadamente, havia se perdido da Terra.
O Livro de Mórmon é, supostamente, a história de um povo que veio viver no Meio-Leste da América do Norte. Ele cobre o período de 600 a.C. a 400 d.C. Fala acerca dos Jareditas, povo que originou-se na Torre de Babel e que veio para o centro da América, mas que pereceu por causa da sua própria imoralidade. Ele descreve, também, alguns judeus que fugiram da perseguição em Jerusalém e vieram para a América liderados por um homem chamado Nefi. Os judeus eram divididos em dois grupos conhecidos como Nefitas e Lamanitas, que lutavam entre si. Os Nefitas foram eliminados em 428 d.C. Os Lamanitas continuaram e são conhecidos como os Índios Americanos. O Livro de Mórmon é o registro do líder Nefita, Mórmon, acerca da sua cultura, civilização e da aparição de Jesus aos americanos.
Depois da publicação do Livro de Mórmon, o mormonismo começou a crescer. Devido ao fato da sua religião aceitar desvios do Cristianismo, como por exemplo, pluralidade de deuses, poligamia (dizem que Joseph teve 27 esposas), etc., a perseguição forçou-os a mudarem-se de Nova York para Ohio, depois para o Missouri, e finalmente para Nauvoo, Illinois. Depois de ser acusado de quebrar algumas leis em Nauvoo (por destruir uma gráfica que estava imprimindo uma publicação que alertava contra o mormonismo), Joseph e seu irmão Hyrum terminaram na cadeia. Depois, uma multidão invadiu a cadeia e matou Joseph e seu irmão.
Depois da sua morte, a igreja dividiu-se em dois grupos: um liderado pela sua viúva, que voltou para Independence, Missouri. Eles eram conhecidos como Reorganized Church of Jesus Christ of Latter-day Saints (A Igreja Reorganizada dos Santos dos Últimos Dias). Eles afirmavam ser a igreja verdadeira e permaneceram afirmando ter a sucessão legal da presidência da igreja que fora passada para o filho de Joseph Smith por ele mesmo. O outro grupo, liderado por Brigham Young, foi para Utah onde, em 1847, chegaram ao Lago Salgado e fundaram a cidade de Salt Lake City. Brigham teve 25 esposas e acumulou muita fortuna.

3 comentários:

**mariana * (rebelde)*** disse...

Quando começei a ler sua reportagem pensei que você havia se preparado com fundamentos reais e concretos. Mais apartir do momento em que você escreveu que a Igreja pratica poligamia, acabou sua moral ai. Para sua informação, Joseph foi casado apenas com Emma Smith, se não acredita em mim é só confirmar você mesmo. Informe-se.
Em quanto Brigham Young, casou-se primeiro com Miriam Angelina Works, e APENAS DEPOIS QUE ELA FALECEU, casou-se com Mary Ann Angeli. O que é perfeitamente normal, e NAO é poligamia.
OS boatos são falsos, a Igreja não aceita e nem permite poligamia. Se algum dia ouve, foi por questão de necessidade. Como em fins de guerra onde muitas mulheres ficam dezabrigadas e sem maridos. A mais de 60 anos atrás. E pense com você, seria melhor casar-se com mais de uma mulher, para não deixar que ela passaçe fome com seus filhos depois de uma guerra, a penas por questões fincanceiras, ou deixar que elas pereçessem? O que seria mesmo ruim?
um conselho, vai orar. Porque você ta bem perdidinho, faça como Joseph fez, ore pedindo respostas. MAis com fé, tomara que isso ajude em sua vida. Pois todos nós mereçemos ser orientados.

O Peregrino disse...

Graça e paz Mariana, dê uma lida nesse artigo aqui por favor:

http://www.centralmormon.110mb.com/espinho.htm

Tem outros, inclusive em sites pró mormon, mas esse artigo já é o suficiente.

Depois me retorne ok?

Tenho certeza absoluta que não estou perdidinho.

Ah! Estarei orando por você ok?

Shalom!

Anônimo disse...

- A mórmon Melissa Lott (Smith Willes) testemunhou que ela tinha sido “de fato” esposa de Joseph Smith. (Depoimento de Melissa Willes, 3 de agosto de 1893, Temple Lot case, 98, 105; Foster, Religion and Sexuality, 156.)

- Em uma declaração à corte, o mórmon Joseph Noble afirmou que Joseph lhe disse que ele passou a noite com Louisa Beaman. (Temple Lot case, 427)

- Emily D. Partridge (Young Smith) disse que ela “morou num quarto” com Joseph na noite seguinte a seu matrimônio com ele e disse que ela teve “relações sexuais” com ele. (Temple Lot case (cópia completa), 364, 367, 384; ver Foster, Religion and Sexuality, 15.)

No total, 13 mulheres mórmons que foram casadas com Joseph Smith juraram em depoimentos no tribunal que tiveram sexo com ele.

http://mcapologetico.blogspot.com/2011/01/por-que-joseph-smith-teve-33-esposas.html