sábado, 5 de julho de 2008

1984 e a Grande Mãe

por Randall Watters

Ninguém pensou muito no livro quando foi publicado em 1949, na realidade, não chamou muita atenção por vários anos. Porém, nas últimas duas décadas, o livro 1984 de George Orwell ganhou uma audiência de leitura muito maior. Orwell retrata uma Sociedade cometida pela lavagem cerebral por ideologias políticas ao ponto de serem intolerantes com qualquer outra forma de pensar. Contudo e ironicamente, são esbeltas as chances de alguma organização política hoje em dia ter tal controle na vida das pessoas. Para um sistema ideológico absoluto realmente funcionar, todas as questões de tal sistema não só teriam que acreditar que realmente funciona, mas também serem entusiásticas sobre ele. Até mesmo na Rússia comunista que uma vez quase se comparou ao mundo de Orwell, foi impossível cativar todas as pessoas para esta ideologia. Todavia e de certo modo, em círculos religiosos foi alcançado um nível de controle de pensamento, que faria inveja aos políticos.

Aleijados Emocionais

Foi dito que Cultos transformam seus membros em aleijados emocionais; e se a vítima conseguir deixar o grupo, têm que lutar para se tornar um membro "normal" da sociedade outra vez. Por que isto acontece?

Freqüentemente tais grupos religiosos ensinam a evitar exibições normais de emoção; seja abraçar, cantar, dançar, chorar, rir, ou seja lá o que for. Quando é dito para alguém que tal exibição de emoção ou sentimentos está "fora de linha", eles são forçados a desenvolver novos códigos de conduta, normalmente baseado no medo de homens em lugar do temor de Deus. Tais mudanças abruptas nas respostas de uma pessoa podem causar problemas psicológicos e confusão. Mas há outros problemas mais significantes que normalmente se desenvolvem.

Sendo expostos em uma certa sociedade ou cultura, nós desenvolvemos certas reações normativas às circunstâncias da vida. Se alguém nos esmurrar, ficamos furiosos. Se fizerem uma cara engraçada, nós rimos espontaneamente. Se sorrirem para nós, nós sorrimos para eles. Se discordarem de nós, nós tentaremos nos acomodar se nada vital está em jogo. Em outras palavras, nós aprendemos a ficar bem com os outros para poder ter amigos neste mundo, até mesmo se não concordamos com o modo como eles conduzem suas vidas ou com sua visão filosófica ou religiosa. Nosso objetivo deveria ser se dar bem com as pessoas apesar das diferenças. Porém, o que acontece quando nós começamos a pensar mais em nós mesmos ou nosso pequeno grupo que nos outros, e formar um grupo exclusivo? Então nós nos separamos ou fisicamente ou psicologicamente dos outros. Não podemos mais nos associar com aqueles que uma vez consideramos uma pessoa igual a nós. No reino religioso, este é o primeiro passo para a mentalidade de Culto.

Como a mentalidade de grupo exclusivo se desenvolve em mentalidade de Culto? Há uma linha tênue entre os dois. A linha é geralmente traçada quando esses com um espírito sectário tentam colocar Deus distante do quadro, fazendo com que a convicção na visão deles se torne essencial para a salvação. O medo de perder sua vida no Armageddon pode ser uma motivação poderosa para mudar sua doutrina! Se não é, pode ser o medo de você perder seus amigos e família, isso proverá a motivação necessária para conseguir que você mude. Considerando que o tratamento outorgado por um grupo exclusivo para com os de fora do grupo é normalmente uma atitude indiferente ou de olhar por baixo, o tratamento servido aos membros do Culto afeta o lado psicológico, emocional, e talvez (como no caso de Jonestown) até mesmo o assassinato físico.

1984 é um testemunho de como este princípio funciona em uma arena política. Desde que muitas religiões como as Testemunhas de Jeová, os Mórmons, a Igreja Mundial de Deus, etc. são simplesmente uma forma espiritualizada de governo, envolvendo muita "atividade política", há uma analogia íntima. Então eu escolhi usar alguns excertos de 1984 para demonstrar as semelhanças entre a Sociedade Torre de Vigia e o mundo de Orwell.

O livro de Orwell começa pintando o quadro do maior poder mundial que borrifa verdades e registros históricos para se fazer visto como se fossem sempre "corretos". A Oceania é o poder mundial, e a Eurásia é sua rival. Você notará a menção do "Grande Irmão" ou a "Sociedade". Pense nas semelhanças de tal sistema político com a "Mãe organização das Testemunhas de Jeová, também geralmente chamada de a "Sociedade" (um termo usado tanto pela Sociedade Torre de Vigia como também pelo mundo comunista, para encobrir a verdade que o real poder de reger está nas mãos de um punhado de homens). Neste momento, eu não posso resistir de citar a Sentinela de Maio de 1957 - página 274 que ilustra essa terminologia: "Se nós estamos para entrar na luz da verdade, nós não só temos que reconhecer Jeová Deus como nosso pai mas a organização Dele como nossa "mãe."

Agora iremos considerar alguns excertos de 1984.

... A coisa amedrontadora era que tudo isso poderia ser verdade. Se o partido pudesse colocar sua mão no passado e pudesse dizer que este ou aquele evento nunca aconteceu, seguramente, seria mais terrificante que a mera tortura e morte.

O partido disse que a Oceania nunca teve aliança com a Eurásia... Mas de onde veio esse conhecimento? Só na própria consciência deles... se todos os outros aceitassem a mentira que o Partido impôs, se todos os registros contassem a estória--então a mentira se transformaria em história e se tornaria verdade. "Quem controla o passado", diz o slogan do Partido, "controla o futuro: quem controla o presente, controla o passado." Era bastante simples. Tudo que era necessário era uma série interminável de vitórias sobre sua própria memória. "Controle da realidade", eles chamaram isto de "Novilingua, e "Duplipensar." (pág. 32)

Quão real é a verdadeira realidade, ou o que nós percebemos como realidade? Se uma organização tiver o poder de fato para alterar a história, que horrores poderiam ser perpetrados? O passado só pode ser registrado a longo prazo em livros -- mas e se os livros forem alterados?

O Corpo Governante das Testemunhas de Jeová sabe que para controlar o futuro, têm que ter controle sobre o passado. Como? Basicamente de quatro modos: Impedindo a Testemunha de Jeová comum de acessar os enganos ou decepções passados, colorindo sua história, jogando fora o passado como irrelevante, ou de fato, alterando ou atualizando seus livros!

Para o Corpo Governante, realidade é tudo que eles estão ensinando como luz atual do "escravo fiel e discreto", quer dizer, eles mesmos, é claro. Tudo que eles ensinaram no passado não é mais para ser considerado; de fato, seria apostasia voltar a acreditar em suas visões anteriores (o qual eles se referem como " velhas luzes"). As Testemunhas de Jeová tem que manter boa relação com os ajustes do passar dos tempos!

Para a Testemunha de Jeová, isso significa obter uma série de "vitórias sobre sua memória", o que foi ensinado dez anos atrás não é para ser lembrado no momento, pois isto confundiria a compreensão da verdade presente. Se for necessário explicar os ensinos passados a alguém, pode-se usar explicações complicadas, como por exemplo que a verdade só é relativa à progressão da Organização de Jeová. Ele deve estar pronto para negar o passado, contudo subconscientemente, procura compensar isso de alguma forma, para não enganar sua própria consciência e a noção que está a fazer um tolo de si mesmo.

... Sua mente deslizou para longe, no mundo dos labirintos do "Duplipensar". Saber e não saber, estar consciente da veracidade completa enquanto contando mentiras cuidadosamente construídas... esquecer, era necessário esquecer de tudo, então retirar isto novamente da memória no momento requisitado, e então prontamente esquecer novamente, e acima de tudo, aplicar o mesmo processo ao próprio processo--Esta era a última sutileza: conscientemente induzir inconsciência, e então, uma vez mais, ficar inconsciente do ato de hipnose que há pouco tinha executado. Até mesmo entender a palavra "Duplipensar" envolvia o uso do Duplipensar. (1984, pág. 32,33)

Saber, por exemplo, que a Sociedade Torre de Vigia na verdade levou seus adeptos a acreditar que o fim do mundo viria em 1975; apesar de negar que de fato acreditaram; estar consciente da veracidade completa enquanto contando mentiras cuidadosamente construídas... esquecer que a Torre de Vigia tinha predito o fim do mundo para 1914 em lugar do retorno invisível de Cristo (que foi sustentado para ter acontecido em 1874); esquecer isto quando era necessário esquecer, então quando encurralados retirar isto da memória e taxar de engano. E então, apontar para outros grupos religiosos que fazem a mesma coisa e os acusam de ser falsos profetas--está usando dois modos de pensar, conseqüentemente a comparação para o Duplipensar. Note as próprias palavras do Corpo Governante: "Verdade, houve esses no passado que predisseram o fim do mundo", até mesmo anunciando uma data específica... O fim não veio. Eles foram culpados de falsas profecias. Por que? O que faltou? faltou a medida completa de evidência requerida em cumprimento das profecias da Bíblia. O que faltou para tais pessoas foram as verdades de Deus e a evidência que ele as estava guiando e usando. (DESPERTAI!, 08 de Outubro de 1968 - p.23)

Como o Corpo Governante pode fazer uma declaração assim a despeito de seu próprio registro de falsas predições? É amplamente documentado que eles predisseram o fim mundial várias vezes. É como Orwell diz, "... É necessário esquecer de tudo, então retirar da memória, e então esquecer novamente... e aplicar o mesmo processo ao próprio processo (ser desavisado desta fachada inteira, em outras palavras), isso era a última sutileza. " Duplipensar realmente é a palavra apropriada para isto.

Ego-decepção é muito complexo, é muito parecido com a fabricação de uma mentira para cobrir outras; muitos fatores têm que ser considerados cada vez que você dá uma desculpa para as asneiras da Sociedade Torre de Vigia. Diferente disso é simplesmente ser objetivo e simplesmente dizer a verdade sem rodeios! Com muita freqüência as Testemunhas de Jeová ficam aborrecidas com as pessoas porque não acreditam completamente sobre um assunto, como por exemplo "Somente quem será poupado no Armageddon"', ou, "Quem apenas pode entender a Bíblia."

Apresentar uma expressão imprópria em sua face era uma ofensa castigável. Havia até mesmo uma palavra para isto em Novilingua: Facecrime, assim foi chamado. (1984, pág. 54)

Um membro do partido é requerido não apenas para ter opiniões certas, mas os instintos certos. Muitas das convicções e atitudes exigidos dele nunca são declarados claramente, e não pôde ser declarado sem se deitar por terra as contradições inerentes ao Ingsoc. Se ele é uma pessoa naturalmente ortodoxa (em Novilingua, um Bompensador), ele irá saber em todas as circunstâncias, qual é a verdadeira convicção ou emoção desejável. Mas em todo caso, um treinamento mental elaborado, aplicado desde a infância e se agrupando a Novilingua, Crimidéia, Brancoepreto, e ao Duplipensar, o faz pouco disposto e incapaz de pensar muito profundamente sobre qualquer assunto. (1984, pág. 174)

Da experiência pessoal de servir por seis anos na sede da Sociedade Torre de Vigia, tanto como ancião quanto inspetor de fábrica, e sendo famoso como um "homem de organização", eu busquei ser o epítome do que era suposto ser uma TJ diligente. Na realidade, isso poderia ser realizado, não apenas por ler a Sentinela, mas sabendo totalmente como funciona o sistema, e como esses no comando realmente pensam; sabendo quais são suas motivações, que os transformam em "carrapatos". Se alguém apenas lê a Sentinela, sem associar de fato com as Testemunhas de Jeová, a pessoa adquiriria um quadro inexato da mentalidade atual da organização. Eu gastei muito tempo com os membros mais velhos do pessoal de sede, e trabalhei diariamente com esses que já estavam por lá durante 30 anos ou mais, até mesmo alguns do Corpo Governante. Eu soube do modo deles de pensar com bastante precisão, e poderia determinar o modo mais efetivo para ter sucesso no sistema que eu participei por então. Da mesma maneira que em organizações políticas, entender a mentalidade desses com quem você está negociando, é o fator chave para entender o sistema. Você descobre logo por que são tomadas decisões e quem as fez. Você entende por que são adotadas certas políticas e não outras. Você também percebe por que novas "regras são feitas", mas não são colocadas para imprimir, ou são expressas na "linguagem dupla".

O resultado é que a expressão impressa será interpretada por dois tipos de mentes, de duas formas diferentes. Por exemplo, pela TJ ingênua, uma declaração como... "Seria sábio para um irmão usar barba em uma área onde isto não é comum? Ter uma consciência treinada na Bíblia pode o mover a considerar os sentimentos dos outros"... poderia ser interpretado como está escrito; como apenas uma questão de consciência. Mas um ancião ou uma TJ organizacional, entenderiam isto claramente para ser uma nova posição tomada pelo Corpo Governante, significando claramente que se você espera ser tratado como um irmão, ou se você deseja alguma responsabilidade na congregação, você não deve cultivar uma barba! (Ou se você tiver uma, faria bem em se barbear)

Freqüentemente, aparecem coisas nas revistas ou no Ministério do Reino (um boletim mensal inter-organizacional) que não foram completamente entendidos pelo TJ comum, mas quando você conhece toda a informação de fundo, assume uma inteira nova perspectiva. Por exemplo, um artigo do Ministério do Reino nos recentes anos 70, declarou que a Sociedade já não permitiria para as TJs celebrar grandes reuniões para discursos especiais ou programações, sem a direção da Sociedade no evento. Enquanto para a TJ comum significou apenas mais um regulamento, alguns do pessoal souberam as razões subjacentes.

Parece que um de seus anciãos, Cólon Quackenbush, regularmente viajava por todo o país e dava discursos especiais para a mocidade. O Corpo Governante ficou invejoso da maior atenção dada para tal programa em detrimento de seu próprio aparecimento. Até mesmo alguns da sede entenderam as reais razões por detrás dessas decisões. Perspicácia mais extensa neste assunto é apresentada no livro de Raymond Franz, Crise de Consciência. Tendo sido por muitos anos um membro do Corpo Governante, ele estava familiarizado com os métodos deles.

Porque o Corpo Governante simplesmente não afirma e coloca as claras seus padrões de regras e códigos de conduta, de forma que não dê margem a perguntas e duvidas sobre os assuntos? Enquanto reivindicando permitir escolhas em assuntos de consciência, a real razão é que fazer regras para cristãos é contraditório à Bíblia (Rom. 7:6; 9:31,32; Gal. cap. 3) e eles sabem disto; mas não obstante sentem que eles têm que ter uma multidão de regras em ordem que todos marchem em passo com o Corpo Governante. Assim eles têm leis não escritas que só são averiguadas pelo espírito desses em posições responsáveis que agem como intérpretes para a Testemunha menos ranqueada. Geralmente este papel de interprete é cumprido pelos Superintendentes de Circuito (representantes ambulantes que presidem sobre várias congregações). Eles aprendem a ser agudos através de treinamento especial dispensado pela Sociedade Torre de Vigia, e então passam este "esclarecimento" para os anciãos locais das Testemunhas de Jeová.

Se uma Testemunha for diligente para averiguar o espírito atual da organização, ele vai, como Orwell semelhantemente destaca, "em todas as circunstâncias saber, sem pensar, o que é a verdadeira convicção ou emoção desejável." Um dos aspectos mais difíceis de meu ministério presente não é convencer as TJs da injustiça da Sociedade, mas, melhor, lhes mostrar o que a Sociedade de fato ensina e acredita. Se o indivíduo nunca foi uma Testemunha totalmente "ortodoxa", isto pode ser confuso a princípio. Para aquele que teve o espírito da organização, ele provavelmente se recusará a discutir isto mais adiante, já que é muito devastador para ele.

... As especulações que poderiam induzir a uma atitude cética ou rebelde possivelmente são aniquiladas com antecedência pela disciplina interna adquirida. A primeira e mais simples das fases pode ser ensinada até mesmo a uma criança, é chamada em Novilingua, de Crimidéia. Crimidéia significa a faculdade de impedir, como que através do instinto, o limiar de qualquer pensamento perigoso. Inclui o poder de não traçar analogias ávidas, de não perceber erros lógicos, do engano aos argumentos mais simples, se eles forem hostis ao Ingsoc, e de repelir qualquer via de pensamento que seja capaz de conduzir em uma direção herética. (1984, pág. 174, 175)

A TJ aprende cedo no jogo a matar suas especulações se elas o colocar na direção de território perigoso. Ele ou sente que eles serão perigosos à sua relação com outra Testemunha (que o verá com suspeita), ou ele descobre a duras penas que abrir a boca pode levar a uma repreensão particular! Ele depressa aprende que tem de adentrar na luz presente, não permitindo que sua mente se mova à frente da organização. Não é para ele pensar independentemente. Agora, o Corpo Governante representará sua mente em todos os assuntos. É o único "caminho seguro".

Uma Testemunha aprende automaticamente a colocar de lado seus pensamentos perturbadores, como poderia desenvolver se ele bater em uma porta onde alguém tira o livro "Verdade" das mãos e abre na página 13, onde diz:

Nós precisamos examinar, não só o que nós acreditamos pessoalmente, mas também o que é ensinado por qualquer organização religiosa com que possamos estar associados. Seus ensinos estão em completa harmonia com a Palavra de Deus, ou são baseados em tradições de homens? Se formos amantes da verdade, não há nada que temer de tal exame.

A pessoa à porta onde a TJ bateu poderia tentar argumentar com a Testemunha usando a lógica que seu livro apresentou, dizendo, "Então por que nós não examinamos o registro da Sociedade durante os últimos 100 anos? " A TJ normalmente responde com um olhar fixo no vazio ou com uma resposta do tipo, você já "foi uma Testemunha antes? " Em outras palavras, "Como você sabe tanto sobre nós?" Esta é assim, uma recusa inconsciente de levar a cabo um argumento lógico iniciado por outros, tentando eles mesmos ao mesmo tempo iniciar argumentos lógicos. Eles ficarão aborrecidos ou serão repelidos a qualquer tipo de pensamento não iniciado por eles que poderia se mostrar perigoso à segurança organizacional.

Em resumo, Crimidéia significa estupidez protetora. Mas a estupidez não é suficiente. Pelo contrário, a ortodoxia demanda uma carga de controle em seus próprios processos mentais assim como um contorcionista controla seu próprio corpo. A sociedade da Oceania jaz no final das contas na convicção que o Grande Irmão é onipotente e que o Partido é infalível. Mas desde que na realidade o Grande Irmão não é onipotente e o Partido não é infalível, há necessidade de flexibilizar momento a momento o tratamento dos fatos. A palavra chave aqui é Pretoebranco. Como tantas palavras da Novilingua, estas duas palavras tem dois significados contraditórios. Aplicado a um oponente, significa o hábito de reivindicar que o preto impudentemente é branco, em contradição dos fatos claros. Aplicado a um membro do Partido, significa uma vontade leal para dizer que o preto é branco quando a disciplina do Partido exigir isto. Mas também significa a habilidade de acreditar que preto é branco, e mais, saber que preto é branco, e esquecer que alguma vez acreditou o contrário. Isto exige uma alteração contínua do passado, feito possível pelo sistema de pensamento que realmente abraça todo o resto, e que é conhecido em Novilingua como Duplipensar. (1984, pág. 175)

A Sociedade Torre de Vigia está deitada na convicção que a organização "Mãe" não o pode desviar. Se eles são depois expostos como tendo cometido um erro ou promovido uma mentira, você faria melhor em conviver com o engano ou viver na mentira, que reconhecer a verdade do assunto por conta própria! Você não vai errar se permanecer no passo com sua "Mãe". Assim sendo, ela é, com efeito, infalível (embora negue simultaneamente tal reivindicação). Então dentro da Torre de Vigia (como o Grande Irmão) há um esforço de branqueamento por parte do departamento de redação visando ser flexível com a "verdade", sempre de prontidão para achar alguma analogia ridícula para mostrar como eles estavam realmente no curso correto desde o principio, como usar o exemplo de um navio, que ao sair do ponto A para o B às vezes tem que alinhavar, ou ziguezaguear por toda parte para chegar ao objetivo (veja a Sentinela de 01.12. 1981 - p.27). Ou a explicação poderia ser dada que Jeová Deus apenas o está testando ao permitir que Sua organização Mãe o leve a acreditar que o mundo ia terminar em um momento específico, mesmo sabendo que não iria acontecer. (veja a Sentinela de 15.02.1984 - p.26, pp.2)

Todavia, se outra religião mudar suas doutrinas, o Corpo Governante os criticará depressa usando as palavras de Efésios 4:14: "Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente."

De forma interessante, a Sentinela de 15 de Maio de 1976 diz na página 298, "É uma questão séria representar Deus e Cristo de um modo, então descobrir que nossa compreensão dos ensinos principais e doutrinas fundamentais das Escrituras estavam em erro, e então depois disso, voltar para as mesmas doutrinas que, antes de anos de estudo, nós tínhamos determinado como estando completamente erradas. Cristãos não podem estar vacilando flip-flop sobre tais ensinos fundamentais. Que confiança alguém sincero poderia ter no julgamento de tais pessoas? " Se eles pudessem aplicar só isto a eles mesmos! Note os comentários de Orwell:

O segredo de reger é combinar uma convicção na própria infalibilidade da pessoa com o poder de aprender dos enganos passados. (1984, pág. 177)

Este é o último desejo de todos os Cultos inteligentes: combinar autoridade absoluta e infalibilidade com o poder de aprender de falsas profecias e procedimentos ruins.

A organização Mãe quer lealdade absoluta a toda hora. Reivindica ser um profeta como Ezequiel e Jeremias (veja a Sentinela de 01.10.1982 - p.26,27). Reivindica ser porta-voz de Jeová Deus, o Criador do universo, contudo recusa assumir a responsabilidade de um profeta. De acordo com Deut. 18:20-22, eles são falsos profetas quando examinados na luz de seu próprio registro histórico. Às vezes a desculpa é determinada, "Nós não somos falsos profetas, porque admitimos nossos enganos." Bem, eu tenho novidades para você! Qualquer falso profeta que prediz o fim do mundo vai admitir seu engano um dia depois! De que outra forma poderiam segurar seus seguidores?

Mas este é precisamente o desejo do Corpo Governante; autoridade absoluta sem a responsabilidade de compartilhar qualquer engano. Quem iria querer mais?

Claro que, alguns dirão que a Sociedade Torre de Vigia não é inspirada. Porém, eles ignoraram as mesmas palavras dos membros do Corpo Governante durante os anos quando disserem isto! Por exemplo, em discursos na Escócia em 1943, Fred Franz, o quarto presidente, disse:

O próprio Jeová é o editor da revista, e que ela está estabelecida como a Palavra de Deus, (Segundo. #25962597 da cópia)!

Explicando como Jeová transmite a "verdade" para a "classe do escravo fiel e discreto" - A Sentinela de 01 de Julho, 1943 - diz na página 203:
Ele (Jeová) somente usa a classe do "escravo" para publicar a interpretação depois que o Tribunal Supremo de Cristo Jesus o revelar.
Se referindo ao ser angelical que Ezequiel viu em Ezequiel cap.. 43:6, no livro Vindicação, Joseph Rutherford (o segundo presidente) diz no volume III, página 250,:

"O homem" era o mensageiro divino, e isto retrata os mensageiros divinos ou anjos de Deus. Sem nenhuma dúvida eles ouvem a instrução que Deus emite aos remanescentes, e então estes mensageiros invisíveis passam tal instrução para a restante. Os fatos mostram que os anjos do Deus com ele no templo têm feito este serviço para o restante desde 1919.

Outro ponto importante na discussão de Orwell está intimamente relacionado ao "Duplipensar", isto é, para a manipulação próspera da mente de uma pessoa, não está em dizer o oposto do que ela pensa, mas dizer que ela pensa o oposto do que é a verdade. Especificamente isto se aplica a ideologias. "Da mesma maneira que os Inquisidores que torturaram seus prisioneiros acreditaram que eles agiram em nome do amor Cristão, o Partido rejeita e vilifica todo princípio que o movimento Socialista representava originalmente, e escolhe fazer isto em nome do socialismo." Seu conteúdo é invertido em seu oposto, e ainda as pessoas acreditam que a ideologia significa o que diz.

Este é o aspecto mais assustador sobre as decepções do Corpo Governante. Por um programa inteligente de lavagem cerebral, eles tiveram sucesso não só fazendo seis milhões de pessoas acreditar que preto é branco e dia é noite, mas lhes ensinou prosperamente a não questionar absolutamente o assunto!

Jesus nos disse que devemos nascer novamente para ver o reino de Deus (João 3:3,7). Ele disse que nós temos que compartilhar real comunhão com ele para ter vida (João 6:53,54). Ele disse para não escutar esses que reivindicam que o Cristo voltou secretamente ou invisivelmente; mas que ele viria como o relâmpago (Mateus 24:23-27) e seria visto até mesmo por seus inimigos (Rev. 1:7)! O escritor de Hebreus diz definitivamente que Jesus não é um anjo (Heb. capítulo 1) e o apóstolo João diz que Jesus possui a mesma natureza de Deus (embora ele não seja o Pai--veja João 1:1).

Pensar que eu era (e que seis milhões de almas ainda são) tão habilmente enganadas por uma organização que repudiou quase tudo que a igreja Cristã sustentou por 2000 anos de história, e então se nomear como igreja Cristã, é amedrontador, para dizer o mínimo. Nós não podemos nos sentar e lhes permitir exercitar tal controle sobre a vida das pessoas. Eles tiveram sucesso convencendo seu povo que verdade é relativa a política organizacional. Suicídio intelectual! Eles rejeitaram tudo que o "inimigo" (Cristandade) reivindica ser, e reivindicou ser eles mesmos.


Fonte: Freeminds - 1984 and Big Mother

Tradução: Fábio Pacheco

0 comentários: