quarta-feira, 18 de maio de 2016

Eu escapei do engano religioso das TJs

Antes de conhecer o verdadeiro JESUS, cria e ensinava “um outro Jesus” (II Co. 11.3-4). Educado desde os oito anos de idade na seita das “Testemunhas de Jeová”, aprendi a amar e a dedicar toda a minha vida ao grupo. Fui ativo pregador de casa em casa. Seguia com fidelidade as instruções vindas da sede mundial, localizada no Brooklin, Nova Iorque, EUA. Lá encontra-se um grupo de homens conhecidos como “CORPO GOVERNANTE” (CG), que declara que o Senhor Jeová lhe concedeu autoridade para ser o único intérprete da Bíblia. Questioná-lo, jamais! Jeová poderia destruir-me no Armagedon. Para ser salvo eu precisaria ser fiel à organização liderada pelo CG e aceitar as interpretações da Bíblia por ele expostas (confira A Sentinela de 15/08/81, p. 19; 01/09/91, p. 18, 19 e Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra, p. 255 §14). Contudo, em 1988, dois eventos contribuíram para o rompimento da lavagem cerebral da qual fui vítima durante cerca de dez anos, a saber:

Primeiro. Por meio de suas publicações, o CG revelou que no dia do Juízo Final Jeová iria ressuscitar alguns habitantes de Sodoma e Gomorra, para que tivessem uma segunda oportunidade de obter a vida eterna no Paraíso terrestre (apesar da excessiva imoralidade daquela gente), de acordo com o Poderá Viver…, p. 179, § 9, edição de 1983, em português. Porém, em abril daquele ano recebi A Sentinela de 12 de junho, p. 30, que dizia justamente o oposto, ou seja, os sodomitas NÃO SERIAM MAIS RESSUSCITADOS. Então, raciocinei: Ou Jeová não sabe mais interpretar a Sua Palavra, ou o CG não pode ser o Seu “canal de comunicação”. O CG afirmou que se cumprira mais uma vez Pv. 4.18 (Tradução do Novo Mundo [TNM]): “A vereda do justo é como a luz clara que clareia mais e mais até o dia estar firmemente estabelecido”. Em outras palavras, houve um progresso no entendimento acerca da ressurreição dos injustos. Assim sendo, a nova edição do Poderá Viver…, de 1989, traz a mais “nova verdade”. Contudo, o CG já ensinou até 1964 que os sodomitas NÃO SERIAM RESSUSCITADOS (confira em Do Paraíso Perdido ao Paraíso Recuperado, p. 236 §6, ed. 1959). A “vereda do justo” ficou assim:

1.  NÃO SERÃO RESSUSCITADOS (1959)
2.  SERÃO RESSUSCITADOS (1964)
3.  NÃO SERÃO RESSUSCITADOS (1988)

Interessante que na A Sentinela, de 19 de agosto de 1982, p. 27, o CG declara que não volta a pontos de vista anteriores (uma evidente mentira!). Digno de nota é a seguinte afirmação do livro Poderá Viver…, p. 32 § 19, a saber: “Não pode haver duas verdades, quando uma não concorda com a outra”. Coitado do CG, esqueceu de ler Provérbios 4.19 (TNM): “O caminho dos iníquos é como as trevas; NÃO SOUBERAM EM QUE TEM ESTADO TROPEÇANDO“.

Segundo. Em agosto, assistindo a um congresso anual realizado pela seita, no estádio do Maracanã (RJ), presenciei um protesto pacífico realizado por um grupo de aproximadamente 40 evangélicos, liderados pelo ICP (INSTITUTO CRISTÃO DE PESQUISAS), que portava faixas e cartazes com a intenção de alertar os congressistas sobre o autoritarismo do CG. Uma das faixas declarava que o CG proibiu a VACINAÇÃO de 1931 a 1952. Proibiu os TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS de 1967 a 1980. Imaginei quantas pessoas poderiam ter morrido devido a estas proibições. Então, acrescentava a faixa (em essência): “E ainda proíbem as TRANSFUSÕES DE SANGUE desde 1945. ATÉ QUANDO?” Com tudo isso, fiquei profundamente abalado. Como pôde o CG ser tão irresponsável? E que dizer das vítimas que acreditavam ser o CG o “canal de comunicação de Jeová?” O que fez o “Corpo Desgovernado” das Testemunhas de Jeová? Simplesmente desculpou-se usando Provérbios 4.18! Sem comentários!

Passei a não ter certeza de mais nada. A dúvida gera um estado depressivo na mente da Testemunha. Pensando que talvez esqueceria tudo isso, fui morar em São José dos Campos/SP, em Janeiro de 1990, porém, nada adiantou. Tentei suicídio. A vida para mim perdera sentido. Contudo, algo fez-me recuar desse intento maligno, a saber: O CG ensina que ao morrer entramos num estado de inconsciência total. Não há um local de tormento eterno, ou algum “inferno de fogo” que se deva temer. Daí, pensei: “E se o CG estiver errado? E se amanhã ele mudar de ideia?” Que depressão! Todavia, ao conversar com um ancião (líder de uma congregação local), em Campinas/SP, resolvi voltar ao Rio de Janeiro em julho de 1990, e esquecer todas as dúvidas que nutria contra a “Organização Teocrática de Jeová”.

Mas, em março de 1991, deparei-me com um pastor batista (José Kennedy de Freitas) ao pregar de casa em casa. Disse-me que tinha provas materiais que confirmavam que o CG era um falso profeta, pois havia predito o “fim do mundo” (Armagedon) por diversas vezes: 1914, 1915, 1918, 1925, 1975 (entre outras). Convidou-me para um debate que durou quatro horas. Fui derrotado (Graças a Jeová). Era impressionante como o CG enquadrava-se em DEUTERONÔMIO 18.20-22. Passei a estudar a Bíblia sem os óculos do CG. Tive valiosas ajudas, entre elas destaco a figura cândida de Dom Estevão Bittencourt, um monge beneditino, do Mosteiro de São Bento/RJ, e do Instituto Cristão de Pesquisas/SP, por meio de sua valiosíssima literatura sobre as seitas e a fé cristã. Surgiram então as grandes “descobertas”, já reveladas há séculos aos “santos” do Senhor (Judas 3), a saber: JESUS NÃO ERA UM SER CRIADO (o Arcanjo Miguel), mas sim o CRIADOR DE TODAS AS COISAS (João 1.3; Colossenses 1.16-17). Não mais “[um] deus”, e sim, o VERDADEIRO DEUS (I João 5.20). Também queria ir para o Céu, e na Bíblia vi que não era prerrogativa somente de 144.000 pessoas (João 14.2-3; Filipenses 3.20).

Assim sendo, no dia 12 de dezembro de 1991, entreguei uma carta declarando que não mais desejava ser reconhecido como TJ (Testemunha de Jeová). Com essa decisão perdi todos os meus amigos, que a partir de então não poderiam nem mesmo dirigir a mim um simples “oi!”. Para as TJs tornara-me um “apóstata”. Minha própria família (mãe e quatro irmãs) cortaria todo tipo de relacionamento espiritual comigo, permanecendo o carnal. Agora, sem família e sem amigos, não sabia o que fazer. Todavia, em fevereiro de 1992, o Espírito Santo levou-me a uma Igreja Batista. O pastor da Igreja (Paulo Lima) falou-me do amor de JESUS por mim. Então, o mesmo Espírito mostrou-me que eu precisava urgentemente de JESUS: Eu era pecador; morto espiritualmente: separado de Deus e condenado. JESUS era a única saída, o único meio de Salvação (Atos 4.12). Apesar de minhas falhas e pecados, Deus me amava e tinha um plano para a minha vida. Então, resolvi aceitar o perdão e a nova vida que Deus me oferecia. Desse modo, tomei a decisão de receber JESUS CRISTO, aquele que venceu a morte e ressuscitou vitoriosamente, como o meu SENHOR e SALVADOR pessoal. EU ESCAPEI DO ENGANO RELIGIOSO E HOJE SOU TESTEMUNHA DE JESUS, “porque sei em quem tenho crido, e estou certo de que Ele é poderoso” (2 Timóteo 1.12) para mudar a sua vida, assim como mudou a minha. Agora tenho verdadeiramente o que testemunhar: O Poder de JESUS em Minha Vida! Glória a Deus!

Se você ainda não tomou sua decisão de seguir a JESUS, então não perca tempo! Aceite-o hoje mesmo como o seu SENHOR e SALVADOR pessoal.


Conforme Narrado por Aldo dos Santos Menezes

0 comentários: